Pirâmide de Maslow: onde a saúde mental se encaixa?
Avalie este artigo
5/5 - (1 vote)
28 de outubro de 2021 | 7 min de leitura
Retenção de Talentos

Pirâmide de Maslow: onde a saúde mental se encaixa?

5/5 - (1 vote)

Você provavelmente já ouviu falar sobre a famosa pirâmide de Maslow. Mas será que você sabia que esta teoria pode influenciar diretamente em áreas da sua empresa, como o marketing, as vendas e a gestão de pessoas?

Também conhecida como Teoria da Hierarquia das Necessidades Humanas, é fundamental para lembrar os gestores das organizações de que, no final do dia, estamos sempre lidando com seres humanos. E, por isso, é tão importante entender as suas necessidades para criar um dia a dia de trabalho muito mais motivador e satisfatório.

Não basta somente enxergar os funcionários como peças de uma engrenagem, pois são indivíduos com aspirações, vontades e motivações. Neste artigo, você poderá se aprofundar em tudo o que envolve a pirâmide de Maslow e como este conceito é importante para várias pontas do seu negócio. Continue a leitura para conferir tudo!

O que é a pirâmide de Maslow?

A pirâmide de Maslow foi criada pelo psicólogo norte-americano Abraham Maslow. Seus estudos começaram com macacos, quando ele percebeu que os animais mudavam o comportamento quando tinham certas necessidades fisiológicas, como fome, frio, sono.

Em 1954, as conclusões de seus estudos foram divulgadas no livro Theory of Human Motivation (Teoria da Motivação Humana), obra na qual a pirâmide foi apresentada pela primeira vez. Ela se baseia na ideia de que as necessidades humanas têm uma relação hierárquica que tem o poder de impactar a motivação das pessoas para diferentes tipos de satisfação.

Quais são as camadas da pirâmide de Maslow?

As necessidades humanas fundamentais são apresentadas na pirâmide de Maslow. É importante ter em mente que a teoria de Abraham Maslow afirma que quando há a satisfação de necessidades em uma camada, a tendência é que a pessoa sinta as necessidades da camada superior com maior intensidade.

Ao mesmo tempo, se a camada inferior não for suprida adequadamente, automaticamente o indivíduo vai direcionar a sua atenção para ela.

Isso significa que as necessidades da base são as mais fortes (afinal, estão relacionadas à sobrevivência) e precisam ser atendidas para que a pessoa consiga focar nas seguintes.

Basta pensar no seu dia a dia: você consegue se concentrar no social ou até mesmo em conquistar seus sonhos quando está com muita fome ou sono? É preciso suprir essas carências antes de pensar em qualquer outra coisa, não é mesmo?

Com tudo isso em mente, entenda como as camadas da pirâmide de Maslow se organizam:

Base – necessidades fisiológicas

Dizem respeito às necessidades que estão ligadas à sobrevivência de um indivíduo, por exemplo:

  • alimentação;
  • hidratação;
  • sono;
  • sexo;
  • sono.

Sem a satisfação de tais necessidades, o ser humano provavelmente não conseguirá focar em outras esferas de sua vida, pois toda a sua energia e atenção estará voltada para estas carências. É o básico para sobrevivência.

Segunda camada – necessidades de segurança

A partir do momento em que as questões fisiológicas forem supridas, a motivação passa a ter outro foco: a segurança. Nesse caso, estamos nos referindo à proteção física, abrigo, conforto, cuidados com a saúde etc. Portanto, diz respeito a tudo aquilo que garantirá a autopreservação.

Terceira camada – necessidades sociais

Em seguida, estão as necessidades sociais, ou seja, as mais variadas relações afetivas: amorosas, entre amigos, colegas de trabalho etc. Trata-se da área social da vida de um ser humano e como ele se relaciona com as pessoas ao seu redor.

Quarta camada – necessidades de estima

Chegamos às necessidades voltadas para o reconhecimento, prestígio, aceitação etc. Aqui, a motivação está muito atrelada ao sentimento de valorização, tanto na vida pessoal como profissional.

Topo – autorrealização

Por fim, no topo da pirâmide de Maslow está tudo aquilo que se relaciona com a autorrealização de um indivíduo: sabedoria, independência, conquista de sonhos e desejos.

Onde fica a saúde mental na pirâmide de Maslow?

Dito tudo isto, você deve estar se perguntando onde ficam as necessidades relacionadas à saúde mental, afinal, não podemos ignorar esta esfera que impacta tanto a vida dos seres humanos.

Saúde mental é um termo que se relaciona à maneira que uma pessoa reage aos desafios, mudanças e exigências da vida e como ela lida com as suas emoções e as pessoas ao seu redor. Todos os dias é preciso enfrentar adversidades, conflitos e encarar novidades e como cada um lida com tudo isso determina a qualidade da sua saúde mental.

Ela contempla muitas esferas, como:

  • a capacidade de sensação de bem-estar e harmonia;
  • a habilidade de lidar e conduzir positivamente com conflitos e obstáculos;
  • o reconhecimento dos seus limites e dificuldades;
  • como você se relaciona com as pessoas ao seu redor.

Se pensarmos bem, a saúde mental é a base de todo ser humano para que ele viva bem e se relacione com outros indivíduos em harmonia. Ela tem um papel fundamental em todos os aspectos humanos e, justamente por isso, está conectada a todas as camadas da pirâmide de Maslow.

Sendo assim, a saúde mental não é somente uma grande base para a existência humana, como tem o poder de impactar e ser impactada pelas necessidades da pirâmide.

Por isso, cuidar da saúde mental dos colaboradores da empresa é tão importante. Apesar de não existir uma camada exclusiva para ela na pirâmide de Maslow, é uma esfera que permeia todos os âmbitos da vida de um ser humano.

A pirâmide de Maslow e a gestão de pessoas

O mais interessante é que a possibilidade de adaptar a pirâmide de Maslow para o contexto corporativo. Dessa forma, fica mais fácil entender as camadas de motivação dos colaboradores e qual é o papel dos gestores nisso tudo.

Afinal, é preciso ter clareza sobre as necessidades dos funcionários e trabalhar para que as suas carências básicas sejam supridas. Só assim os profissionais serão capazes de atingir o máximo do seu potencial e se sentirão motivados.

Ah, e é claro que algumas questões motivacionais fogem do controle da empresa, afinal, cada um tem seus desafios e adversidades pessoais. No entanto, o que muda de uma organização para outra é como os líderes e o RH compreendem tais necessidades, mesmo que não possam interferir diretamente.

Em seguida, confira como fica a adaptação da pirâmide no ambiente organizacional:

Base – necessidades fisiológicas

Nesse caso, estamos falando sobre o básico para a sobrevivência adequada do colaborador, por exemplo:

  • descanso físico;
  • horários flexíveis;
  • pausas para alimentação e higiene;
  • salário bom o suficiente para viver dignamente;
  • tranquilidade mental.

Segunda camada – necessidades de segurança

A segurança aqui diz respeito ao ambiente de trabalho e a importância de garantir condições seguras e acolhedoras para todos os colaboradores. Questões como ventilação, iluminação, ergonomia e proteção contra acidentes são fundamentais.

Terceira camada – necessidades sociais

No contexto corporativo, as relações de trabalho influenciam bastante na motivação dos colaboradores. Por isso, garantir um ambiente com bom clima organizacional e incentivar relações saudáveis e transparentes entre líderes e colegas é essencial.

Todos precisam se sentir parte de um mesmo time e, por isso, é tão importante prezar pela colaboração.

Quarta camada – necessidades de estima

As necessidades de estima estão diretamente atreladas ao reconhecimento profissional, bônus, aumentos salariais, premiações etc. Tudo aquilo que demonstra ao colaborador que o seu trabalho é valorizado.

Topo – autorrealização

Por fim, a autorrealização é muito relativa, pois para cada um pode significar uma coisa, mas vale a pena ter em mente alguns aspectos mais comuns: autonomia, flexibilidade, participar de projetos importantes, se sentir desafiado e ter autonomia.

Como trabalhar a motivação dos colaboradores?

A partir da pirâmide de Maslow é possível traçar diversas estratégias que visem aumentar os níveis de motivação dos funcionários. Mas, antes disso, é importante entender quais são os principais pontos que precisam de mais atenção, ou seja, as necessidades que não estão sendo atendidas.

Só assim será possível estruturar uma estratégia de ações eficientes contemplando as camadas da pirâmide que ainda não são tão bem trabalhadas na sua empresa.

Em seguida, confira alguns exemplos de ações:

Política de home office

A maioria das pessoas hoje em dia busca por maior qualidade de vida no trabalho e o home office e os horários mais flexíveis são grandes aliados nesse sentido.

Com a pandemia, muitas empresas se viram obrigadas a trabalhar remotamente, mas para que o modelo híbrido funcione de verdade e todos tenham acesso ao melhor dos dois mundos é preciso estabelecer uma política clara.

Assim, os colaboradores conseguem se organizar para viver os benefícios desse modelo de trabalho que mescla presencial e online.

Escritório com ergonomia

A ergonomia é uma questão básica para evitar problemas como as lesões por esforço repetitivo. Garantir um mobiliário adequado, tanto no escritório como no home office, é fundamental para a saúde e segurança dos colaboradores.

SIPAT

A SIPAT, Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho, se trata de um evento que contribui para a diminuição dos acidentes de trabalho dentro das organizações. São realizadas atividades e palestras com o objetivo de informar e conscientizar os funcionários em relação às doenças e acidentes de trabalho.

Trata-se de um evento muito importante quando o assunto é segurança no trabalho, por isso, se a sua empresa ainda não promove a SIPAT, coloque na agenda de planejamento de ações agora mesmo.

Programa de reconhecimento profissional

Oferecer um programa de reconhecimento profissional é uma estratégia fundamental para qualquer empresa que visa a valorização e motivação dos seus funcionários. Pode ser estruturado a partir de diferentes formatos, como comissão por vendas e bônus por metas atingidas.

Vale ressaltar que, apesar de muito importantes, não são somente os incentivos salariais que fazem a diferença para o colaborador. Por isso, pense fora da caixa e em formas de reconhecimento que vão além do dinheiro.

Programa de qualidade de vida no trabalho

Um programa de qualidade de vida no trabalho é um conjunto de técnicas e ações que tem como objetivo promover a satisfação e bem-estar dos colaboradores no meio corporativo. Ele pode contemplar ações voltadas tanto para a saúde física como mental e tem um impacto positivo na produtividade e redução de turnover.

Pesquisas de clima organizacional

A pesquisa de clima organizacional tem como objetivo detectar as percepções dos funcionários em relação ao ambiente de trabalho da empresa na qual estão inseridos. Por meio desta ferramenta, é possível detectar o nível de motivação, engajamento, satisfação e produtividade dos colaboradores.

Portanto, é ideal para entender o que precisa de mudanças e o que pode ser melhorado no dia a dia de trabalho. É um excelente ponto de partida para sempre traçar estratégias embasadas na opinião dos próprios funcionários.

Treinamento das lideranças

As lideranças são figuras muito importantes dentro de uma organização, pois além do conhecimento técnico, são responsáveis por direcionar e motivar seus times. Portanto, contar com líderes preparados de verdade é essencial para o sucesso da empresa.

Uma atração de talentos com fit cultural é o ponto de partida, mas oferecer treinamentos específicos para o desenvolvimento de soft e hard skills também é uma estratégia importante.

Benefícios corporativos atrativos

Por fim, os benefícios corporativos também fazem parte dos níveis de motivação dos colaboradores e podem suprir diversas necessidades importantes em diferentes camadas da pirâmide de Maslow.

Para oferecer aquilo que realmente fará a diferença na vida dos funcionários, vá além do óbvio. Estruture um pacote de benefícios com o básico, como vale-refeição, vale-alimentação e vale-transporte. Mas não deixe de pensar nas necessidades físicas e mentais, por exemplo.

Que tal oferecer a psicoterapia como benefício corporativo? Não se esqueça de que a saúde mental é uma esfera intimamente ligada a todas as camadas da pirâmide. Por isso, precisa de uma atenção especial.

O mais importante aqui é conversar com seus colaboradores, entender o que seria relevante para eles e, assim, rever o pacote de benefícios da empresa.

Use a pirâmide de Maslow a favor da sua empresa

Agora que você já conheceu a pirâmide de Maslow e a sua importância dentro do contexto organizacional, passe a usar esta ferramenta como sua aliada no dia a dia da empresa.

Não se esqueça de que os seus colaboradores são, antes de tudo, seres humanos com necessidades, desejos e ambições. A partir de agora, leve isso em consideração para traçar estratégias muito mais assertivas que irão aumentar a motivação e trazer resultados muito mais sólidos para a organização.

Se você curtiu este conteúdo, continue lendo mais artigos no blog do Vittude Corporate!

Por Bruna Cosenza

Este post ajudou você? Então, aproveite para seguir a Vittude no Instagram e assine nossa newsletter para receber, em sua caixa de emails, notificações de mais conteúdos bacanas e novidades!
Avalie Este artigo
5/5 - (1 vote)

Leia também

Receba novidades da Vittude