O potencial das rodas de conversa de psicologia nas empresas
Avalie este artigo
24 de setembro de 2021 | 7 min de leitura
Saúde Mental

O potencial das rodas de conversa de psicologia nas empresas

Você já ouviu falar em rodas de conversa de psicologia? Essa prática ainda não é tão comum dentro das empresas, mas com a crescente necessidade de falarmos sobre saúde mental, tem se tornado uma alternativa interessante para organizações que desejam promover discussões saudáveis internamente.

Visto que o assunto ainda é um tabu para muita gente, quanto mais se fala abertamente e disseminam-se informações relevantes, mais os estereótipos são derrubados e as pessoas que precisam procuram ajuda.

Neste artigo, vamos falar sobre as rodas de conversa de psicologia nas empresas e como elas têm um papel importante nos dias atuais. Continue a leitura para ter acesso ao conteúdo completo.

O que são rodas de conversa de psicologia?

Uma roda de conversa nada mais é do que a criação de um espaço de diálogo em que os envolvidos têm a oportunidade de se expressar e aprender em conjunto. Em uma roda de conversa de psicologia, por sua vez, são abordados assuntos relacionados ao bem-estar no ambiente de trabalho e à saúde mental.

Para que ocorra dentro de uma empresa, é interessante que conte com um mediador da área, ou seja, um psicólogo, que será capaz de planejar tópicos para a conversa e fazer as intervenções que forem necessárias ao longo do processo.

O ideal é que todos se sintam confortáveis para expor as suas questões e pratiquem a empatia e a escuta ativa. A roda de conversa não é um lugar para julgamentos e sim para acolhimento. A ideia é que informações sejam compartilhadas para que todos aprendam mais sobre o assunto e se sintam motivados para contar suas experiências e sentimentos.

As rodas de conversa de psicologia podem ter temáticas específicas a cada encontro para que vários assuntos dentro da esfera da saúde mental possam ser aprofundadas. Portanto, para que o resultado seja o melhor possível, é importante que o mediador se prepare previamente para conseguir criar um ambiente amigável e acolhedor no qual todos se sentem à vontade.

Qual é a importância das rodas de conversa nas empresas?

Talvez você esteja se perguntando qual é a importância de realizar essas rodas de conversa de psicologia nas organizações. Afinal, é preciso mesmo falar sobre saúde mental no ambiente corporativo? Com certeza.

Antes da pandemia, as questões relacionadas à saúde mental já eram de extrema importância, porém, não recebiam tanta atenção. Um dos efeitos colaterais da COVID-19 foi o aumento significativo nos casos de transtornos psicológicos, como depressão ocupacional e ansiedade no trabalho. Com isso, pessoas e empresas se deram conta de que cuidar da mente é uma das grandes prioridades.

Sem saúde mental nenhuma pessoa consegue trabalhar adequadamente, se relacionar com outros indivíduos e, muito menos, se sentir motivado.

Uma pesquisa realizada pela Workana apontou que 43,7% dos trabalhadores sentiram algum sintoma ou prejuízo na saúde mental ao longo da pandemia. Os dados não mentem:

  • 24% sentiram dificuldade para se concentrar;
  • 13,2% sentiram ansiedade;
  • 5,8% sentiram solidão.

Com um cenário como este, as empresas não podem mais ignorar os cuidados com a saúde mental. Dessa forma, as rodas de conversa de psicologia surgem como uma maneira interessante e eficaz de abordar o assunto dentro do ambiente corporativo.

Um relatório da Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Econômico (OCDE), revelou que um em cada cinco trabalhadores sofre com algum problema emocional, como depressão ou ansiedade. E isso afeta diretamente a produtividade.

Portanto, para as organizações, a preocupação com o bem-estar psicológico também está diretamente relacionada aos negócios. Afinal, funcionários que estão enfrentando questões de saúde mental ficam menos motivados e produtivos e isso não é vantajoso para ninguém.

As rodas de conversa de psicologia são uma das maneiras de enfrentar este contexto e oferecer algum tipo de suporte aos trabalhadores. Quanto mais se fala sobre o assunto, mais fácil é para as pessoas entenderem o que estão enfrentando e procurarem ajuda.

Os principais benefícios das rodas de conversa de psicologia

Os benefícios são muitos, tanto para a empresa como para o colaborador. Em seguida, confira os principais:

  • sentimento de acolhimento e abertura para diálogo no ambiente de trabalho;
  • acesso a informações de qualidade que podem levar a pessoa a procurar por ajuda especializada, como psicoterapia;
  • melhora nos níveis de motivação e produtividade;
  • melhora no clima organizacional;
  • fortalecimento de uma cultura voltada para a saúde mental;
  • fortalecimento da marca empregadora.

Quais temas podem ser abordados nas rodas de conversa sobre saúde mental?

São muitos os assuntos que podem ser trabalhados em uma roda de conversa voltada para saúde mental. Por isso, é tão importante que haja um mediador para estruturar as pautas de cada encontro, assim, é possível realmente se aprofundar e evitar uma abordagem muito superficial.

Além disso, existem campanhas como o Janeiro Branco e o Setembro Amarelo, que levantam bandeiras importantes e podem ser discutidas nas rodas também. Entre as possibilidades, confira alguns temas:

Mitos e verdades sobre saúde mental

Essa é uma boa temática para as rodas de conversa, pois existem diversos mitos e verdades sobre o tema e muita gente não procura ajuda porque não tem acesso a informações confiáveis.

Infelizmente, muitos ainda ouvem frases como “terapia é coisa de louco” ou “depressão é frescura”. Tudo isso acaba reforçando ideias equivocadas sobre saúde mental e cuidados com o bem-estar psicológico.

Por isso, uma boa temática para uma roda de conversa de psicologia poderia ser justamente a exposição dessas ideias e pensamentos que as pessoas têm consolidadas sobre o assunto. Dessa forma, é possível derrubar tabus e estereótipos e repassar informações confiáveis.

Depressão e transtornos de ansiedade

O Brasil é considerado o país mais ansioso e deprimido da América Latina. Infelizmente, muitas pessoas não entendem o nível de gravidade desse tipo de transtorno e como eles são capazes de impactar a vida pessoal e profissional de um indivíduo.

Muitos também têm vergonha de expor que convivem com os distúrbios, pois ainda é visto como algo inferior e ruim pela sociedade.

E justamente por estar tão presente no dia a dia de milhares de brasileiros, é essencial que seja uma pauta dentro das rodas de conversa sobre saúde mental. Dessa forma, as pessoas se sentem mais acolhidas e confortáveis para expor as suas questões e procurar ajuda.

Síndrome de burnout

A Síndrome de Burnout se trata de um distúrbio psíquico de estresse físico e mental crônico provocado por condições de trabalho desgastantes. É consequência do acúmulo em excesso de estresse e tensão emocional no dia a dia profissional, sendo muito comum em profissionais que trabalham sob constante pressão.

Visto que é um transtorno resultante do ambiente de trabalho, é primordial que seja discutido nas rodas de conversa dentro das empresas.

É comum que trabalhadores ignorem o fato de que estão em burnout, seja por vergonha ou por nem se darem conta do que estão passando. Quando a pauta é levantada e se tem acesso a informações sobre o assunto, mais pessoas podem se identificar com a síndrome, expor o que estão passando e busca auxílio para lidar com o problema.

Suicídio

O suicídio é um dos temas mais delicados para se abordar dentro da esfera de saúde mental. Existe muito tabu em volta da questão e há quem pense que falar sobre é pior, pois pode induzir ao ato. No entanto, isso não é verdade.

Falar sobre é essencial para ser capaz de identificar quando alguém precisa de ajuda e também se tornar mais consciente em relação aos sinais da sua própria mente.

Estudos de 2019 apontaram que a taxa de suicídio aumentou 7% no Brasil nos últimos seis anos, ou seja, é preciso falar sobre para prevenir e tratar quadros graves que podem levar uma pessoa a tirar a própria vida.

Momentos como o Setembro Amarelo incentivam as empresas e pessoas levantarem o tema e disseminarem informações, mas é preciso criar constância e não ter medo de falar sobre suicídio o ano todo.

Benefícios da psicoterapia

Por fim, também pode ser interessante ressaltar a importância da psicoterapia em uma roda de conversa de psicologia. Os colaboradores que já fazem esse acompanhamento com um psicólogo têm a chance de expor como tem sido o processo. Ao mesmo tempo, aqueles que nunca fizeram terapia podem tirar dúvidas, expor inseguranças e fazer questionamentos.

É um momento para quebrar os estereótipos e mostrar que a psicoterapia é algo sério e necessário para muitas pessoas, não só aquelas que convivem com transtornos mentais.

Como implementar as rodas de conversa de psicologia na sua empresa?

Agora que você já entendeu o que são as rodas de conversa de psicologia, a sua importância para as empresas e até mesmo os temas que podem ser abordados, vale se aprofundar em como implementar esse tipo de atividade na sua organização.

Em seguida, confira um passo a passo com dicas de como fazer isso:

1. Pesquisa com os colaboradores

Um primeiro passo pode ser conversar com os funcionários para entender:

  • o que eles esperam de uma roda de conversa sobre saúde mental;
  • quais assuntos que gostariam que fossem abordados;
  • melhores dias/horários e formatos para a realização.

Dessa forma, o time de RH já terá um ponto de partida e começará a introduzir a ideia para os colaboradores. Esse também é o momento de definir os responsáveis para que o projeto seja executado da melhor forma possível.

2. Definição de parceiros

Para implementar algo como uma roda de conversa de saúde mental nas empresas é preciso de embasamento e direcionamento. Por isso, o ideal é buscar parceiros que sejam da área da psicologia para fornecer o suporte necessário e garantir uma execução de ponta.

O Vittude Corporate, por exemplo, oferece diversas soluções voltadas para saúde mental dentro das empresas. Além da psicoterapia como benefício corporativo, podem ser estruturados materiais, palestras, workshops e até mesmo as rodas de conversa.

É dessa forma, com o auxílio especializado, que é possível criar um ambiente corporativo com uma cultura organizacional que fortalece a saúde mental e promove iniciativas que geram mudanças reais.

3. Comunicação

Definida toda a estrutura e os processos para execução, chega a hora de comunicar aos colaboradores a novidade. Para engajar e realmente despertar o interesse, é interessante pensar em ações de comunicação interna eficientes.

Essa é a hora de mostrar a importância do assunto e os benefícios das rodas de conversa, além de tirar todas as dúvidas sobre como tudo acontecerá.

4. Coleta de feedbacks

Por fim, após as primeiras rodas de conversa de psicologia é interessante colher feedbacks dos participantes para entender se as expectativas foram atendidas e o que pode ser melhorado. É impossível aprimorar o processo se não houver essa troca constante.

Conheça o Vittude Corporate

Como já citado anteriormente, o Vittude Corporate oferece para a sua empresa as melhores soluções voltadas para saúde mental.

Entre as possibilidades, é possível incluir a psicoterapia dentro do plano de benefícios da organização e também promover soluções educacionais e estimular a conscientização e importância do cuidado com a saúde mental. E isso pode ser feito de diversas formas, inclusive por meio das rodas de conversa de psicologia.

Se a sua empresa já entendeu a importância da prevenção e tratamento de transtornos mentais, fale com um de nossos especialistas e conheça as soluções do Vittude Corporate!

Por Bruna Cosenza

Este post ajudou você? Então, aproveite para seguir a Vittude no Instagram e assine nossa newsletter para receber, em sua caixa de emails, notificações de mais conteúdos bacanas e novidades!
Avalie Este artigo

Leia também

Receba novidades da Vittude