Soft skills e hard skills: entenda as diferenças
Avalie este artigo
5 de julho de 2021 | 6 min de leitura
Habilidades e Competências

Soft skills e hard skills: entenda as diferenças

Anos atrás, o recrutador de uma empresa costumava considerar apenas as hard skills quando estava avaliando um candidato a uma vaga. Hoje, com as mudanças constantes no mercado e novas necessidades surgindo, as soft skills ganharam espaço e, em muitos casos, podem ser até mais importantes do que as hard skills.

Você provavelmente já ouviu falar sobre estes dois conceitos, mas não tem clareza sobre as suas diferenças e não sabe por que as soft skills são as grandes protagonistas do mercado de trabalho hoje em dia.

Neste artigo você poderá conferir tudo isso, além de entender como essas habilidades podem ser desenvolvidas dentro das organizações. Continue a leitura para ter acesso a todas as informações!

Quais as diferenças entre soft skills e hard skills?

Assim como os colaboradores de uma empresa devem ter conhecimento sobre as diferenças entre sobre soft e hard skills, todo profissional de RH também precisam saber diferenciar estes conceitos. Afinal, isso é importante para a avaliação de um possível candidato para uma vaga e também para a análise de performance dos funcionários atuais da empresa.

Confira, em seguida, as definições de soft e hard skills!

As hard skill

As hard skills estão mais atreladas ao conhecimento técnico de uma pessoa. São habilidades que podem ser aprendidas por meio de treinamentos, cursos, graduação, mestrado etc. Dessa forma, são facilmente mensuradas e identificáveis, afinal, basta a apresentação de um certificado ou diploma para ter certeza de que essa pessoa domina determinada habilidade.

Normalmente, as empresas olham para as hard skills para terem certeza de que o indivíduo tem o conhecimento técnico para assumir uma determinada posição. Dependendo do cargo e função do profissional, são habilidades que podem ser mais essenciais para a execução do trabalho e cabe ao profissional de RH entender isso para direcionar o recrutamento da melhor forma possível.

Alguns exemplos de hard skills são:

  • conhecimento em tecnologia e informática;
  • conhecimento em uma língua estrangeira;
  • entendimento sobre algum software, máquina ou ferramenta;
  • certificação em marketing de conteúdo;
  • habilidades para executar cálculos matemáticos.

Fica claro, portanto, que as hard skills dizem respeito às habilidades técnicas que se desenvolve na faculdade, cursos livres ou técnicos e que podem ser necessárias para assumir uma determinada função em uma empresa. No entanto, lembre-se de que não são mais o único fator de avaliação de um profissional e, portanto, é necessário ficar de olho nas soft skills também.

As soft skills

As soft skills, por sua vez, não são habilidades técnicas facilmente identificáveis e mensuráveis. São habilidades sociocomportamentais, que estão ligadas às aptidões mentais de uma pessoa e, assim, acabam sendo mais complexas de se desenvolver e avaliar.

Fazer um curso não irá garantir o desenvolvimento completo das soft skills, pois elas abrangem outras esferas da personalidade e modo de ser agir de uma pessoa. Dessa forma, são mais difíceis de serem aprendidas e ensinadas. Confira alguns exemplos de soft skils:

O que está acontecendo no mercado nos últimos anos é que as empresas se deram conta de que não adianta um profissional ter ótimas habilidades técnicas se não consegue lidar com adversidades, pressões e cultivas bons relacionamentos interpessoais. Tudo isso está relacionado às soft skills e são importantes para o crescimento dos colaboradores e da organização em si.

Como são mais difíceis de serem avaliadas (não basta simplesmente apresentar um diploma ou certificado), o RH precisa criar dinâmicas que ajudem na análise dessas habilidades comportamentais para, assim, contratar profissionais que equilibrem as hard e soft skills conforme as exigências de cada cargo.

Por que as soft skills são tão importantes no ambiente de trabalho?

Segundo o relatório do Fórum Econômico Mundial divulgado em 2019, as principais habilidades que todo profissional precisaria desenvolver até 2020 estavam muito atreladas às soft skills. Estamos falando sobre pensamento crítico, inteligência emocional, criatividade e por aí vai.

São essas características e habilidades que diferenciam um ser humano de uma máquina. As capacidades de criar, lidar com adversidades, liderar e se relacionar são únicas e não podem ser substituídas por robôs (pelo menos por enquanto). Já a parte técnica pode, muitas vezes, ser otimizada e até melhor executada por meio da automação e sistemas inteligentes.

Entre as principais habilidades do futuro ressaltadas no relatório, estão:

  • resolução de problemas complexos;
  • pensamento crítico;
  • criatividade;
  • gestão de pessoas;
  • coordenação com os outros;
  • inteligência emocional;
  • julgamento e tomada de decisões;
  • orientação de serviço;
  • negociação;
  • flexibilidade cognitiva.

Quando você olha para esta lista, se dá conta de que as soft skills são o presente e o futuro, não é mesmo? As organizações precisam de pessoas preparadas para lidar com emoções, obstáculos, crises, pressões, relações humanas. Tudo isso contribui para um dia a dia de trabalho muito mais eficiente e saudável.

Qual é a influência das soft skills na empresa?

Agora que você já entendeu o que são soft skills, é necessário ter clareza sobre o impacto direto dessas habilidades na empresa. Caso a sua organização ainda não esteja atenta às habilidades comportamentais, agora não restarão mais dúvidas sobre a sua importância.

Recrutamento

Com os holofotes nas soft skills e seu crescente protagonismo na avaliação de candidatos, o recrutamento das empresas sofre mudanças significativas.

Isso porque não adianta mais avaliar somente o currículo da pessoa e garantir que ela tenha todos os diplomas e certificados. Agora é necessário prestar atenção também nas habilidades comportamentais e entender como aquele profissional agiria em situações de conflitos, adversidades, crises e, é claro, como lidaria com outros colegas de trabalho.

O peso de cada habilidade depende do cargo e função que o indivíduo irá ocupar, mas, de qualquer forma, praticamente todos os candidatos precisam ser avaliados de acordo com as soft skills. Afinal, todos podem enfrentar obstáculos e precisarão se relacionar com outras pessoas no dia a dia da empresa.

Clima organizacional

O clima organizacional é um indicador que mede a satisfação e percepção dos colaboradores de uma empresa em relação ao ambiente de trabalho no qual estão inseridos.

Diversos fatores podem interferir neste índice, inclusive funcionários sem habilidades comportamentais. Isso porque uma pessoa que não tem soft skills bem desenvolvidas pode afetar negativamente os relacionamentos interpessoais e ter dificuldade para liderar um time. Dessa forma, o clima é afetado porque as relações deixam de ser produtivas e saudáveis.

Momentos de crise

Adaptabilidade, resiliência inteligência emocional são algumas das soft skills mais desejadas hoje em dia. Pense em um cenário de crise em que a empresa precisa agir rápido, pensar em novas estratégias e direcionar seus colaboradores para a ação.

Em contextos como esse, contar com profissionais capazes de lidar com as emoções e adversidades é essencial para que as coisas não saiam dos trilhos e todos se mantenham focados e motivados independentemente das frustrações. Principalmente das lideranças precisam estar preparadas para contornar situações de risco e possíveis fatores desmotivacionais.

Como as soft skills podem ser desenvolvidas?

Um profissional completo é capaz de aliar seus conhecimentos técnicos, ou seja, as hard skills, às capacitações pessoais e habilidades comportamentais. Dessa forma, ele não fica defasado em nenhuma dessas esferas.

Ao mesmo tempo, uma empresa inteligente é aquela que consegue identificar o que é primordial para o seu crescimento, tanto em termos de hard como soft skills. Além disso, é sagaz o suficiente para promover o aperfeiçoamento destas habilidades em seus funcionários.

Esse desenvolvimento é uma via de mão dupla. Por um lado, o profissional pode ir atrás de diferentes formas de aprimoramento do conhecimento, tanto técnico como comportamental. Por outro lado, a empresa deve ter um compromisso com a evolução de cada um dos colaboradores e, para isso, pode promover algumas iniciativas que visem tal desenvolvimento.

Confira alguns exemplos de ações que podem ser executadas dentro da sua organização!

Palestras e workshops

Por mais que as soft skills sejam habilidades comportamentais e, portanto, mais subjetivas conforme o perfil de cada pessoa, é possível oferecer alguns conteúdos em formato de palestras e workshops. Dessa forma, os colaboradores podem se aperfeiçoar em relação a habilidades como comunicação, liderança, resolução de conflitos, entre outros.

Mentoria

Um acompanhamento individual por meio de uma mentoria pode ser interessante também. Por mais que workshops e palestras sobre assuntos relacionados às soft skills sejam eficientes, nem sempre são o suficiente para todos os profissionais.

Pode ser necessário que contem com algum tipo de acompanhamento mais próximo para entenderem como podem se desenvolver e aprimorar tais habilidades. Um programa de mentoria pode ser estruturado pelo time de RH de diversas maneiras: entre os próprios colaboradores (os mais velhos mentoram os mais novos) ou com parceiros da empresa que se disponibilizam para oferecer este serviço.

Psicoterapia

Por fim, é importante mencionar também o papel da psicoterapia quando estamos falando sobre o desenvolvimento de soft skills. Muita gente ainda associam essa ferramenta apenas à prevenção e tratamento de distúrbios psicológicos, mas sabia que também pode ser muito útil no desenvolvimento de habilidades que ajudam no crescimento na carreira?

Um psicólogo se trata de um profissional que ajuda as pessoas a se conhecerem melhor e entenderem quem são e como lidam com a vida, os problemas, dificuldades e receios. Dessa forma, ao longo do processo é possível compreender gatilhos e padrões de comportamento que podem estar impedindo o aperfeiçoamento de soft skills importantes.

Ao longo do tempo, é possível desenvolver habilidades de liderança, inteligência emocional, resiliência, entre outras que são muito relevantes para o dia a dia de trabalho.

Como levar a psicoterapia para a sua empresa?

Talvez você esteja se perguntando como a psicoterapia poderia ser um benefício corporativo e a resposta é simples: por meio de parceiros como o Vittude Corporate, que existe para facilitar esse processo.

Trata-se de um benefício corporativo que ajuda empresas a cuidarem de forma preventiva da saúde mental de seu time e desenvolverem habilidades importantes para o crescimento da organização. Por meio de um​ investimento fixo mensal, por colaborador, sua empresa oferece um subsídio parcial ou integral para sessões de psicoterapia com psicólogos da nossa base.

Especialmente desenhado para empresas que desejam desenvolver o pipeline de liderança, investir em inteligência emocional, ter funcionários mais engajados e cuidar preventivamente da saúde emocional do ativo mais precioso: o colaborador.

Se você quiser levar a psicoterapia para a sua empresa para começar a implementar iniciativas que visem o desenvolvimento de soft skills dos seus colaboradores, fale com os especialistas do Vittude Corporate e conheça as nossas soluções!

Você já baixou o nosso app? Por lá você pode buscar psicólogos e psicólogas, agendar consultas e até mesmo fazer as sessões. Disponível para Android e iOS:
App Vittude na Play Store
App Vittude na Apple Store

Por Bruna Cosenza

Este post ajudou você? Então, aproveite para seguir a Vittude no Instagram e assine nossa newsletter para receber, em sua caixa de emails, notificações de mais conteúdos bacanas e novidades!
Avalie Este artigo

Leia também

Receba novidades da Vittude