Ejaculação precoce: como resolver e os melhores tratamentos

Ejaculação precoce: como resolver e os melhores tratamentos

  |  Tempo de leitura: 8 minutos
Clique e encontre seu psicólogo !

A ejaculação precoce é uma forma de disfunção sexual que pode afetar a qualidade da vida sexual de um homem. É caracterizada quando um orgasmo ou “clímax” ocorre mais cedo do que o desejado.

A ejaculação precoce ocorre quando um homem ejacula mais cedo durante a relação sexual do que ele ou seu parceiro gostariam. A ejaculação precoce é uma queixa sexual comum. Estima-se que 1 em cada 3 homens tenham esse problema em algum momento da sua vida adulta.

Quando se preocupar?

Tempo pode significar absolutamente tudo na cama. Se você está chegando ao clímax mais cedo do que você e sua parceira gostariam, o sexo provavelmente não está sendo satisfatório para nenhum de vocês.

A ejaculação precoce pode ser frustrante, embaraçosa e causar desconforto na relação, muitas vezes prejudicando a saúde do relacionamento.

Disfunção sexual

Enquanto ela acontece com pouca freqüência, não é motivo de preocupação. No entanto, a ejaculação precoce pode ser uma disfunção se você:

    • Sempre ou quase sempre ejacula dentro de um minuto de penetração;
    • É incapaz de atrasar a ejaculação durante o ato sexual durante quase todo o tempo;
    • Sente-se angustiado e frustrado, e tende a evitar a intimidade sexual como resultado.

Fatores psicológicos e biológicos podem desempenhar um papel na ejaculação precoce. Embora muitos homens se sintam envergonhados de falar sobre isso, a ejaculação precoce é uma condição comum e tratável. Medicamentos, psicoterapia e técnicas sexuais que atrasam a ejaculação – ou uma combinação deles – podem ajudar a melhorar o sexo para você e sua parceira.

>> Encontre um sexólogo online e agende sua consulta hoje mesmo!

Sintomas da Ejaculação Precoce

O principal sintoma da ejaculação precoce é a incapacidade de retardar a ejaculação por mais de um minuto após a penetração. No entanto, o problema pode ocorrer em todas as situações sexuais, mesmo durante a masturbação.

A ejaculação precoce pode ser classificada como:

    1. Ao longo da vida (primário). Ejaculação precoce ao longo da vida ocorre todo ou quase todo o tempo começando com seus primeiros encontros sexuais.
    2. Adquirida (secundária). A ejaculação precoce adquirida se desenvolve depois que você teve experiências sexuais anteriores sem problemas ejaculatórios.

Muitos homens sentem que têm sintomas de ejaculação precoce, mas os sintomas não atendem aos critérios diagnósticos para esta disfunção sexual. Em vez disso, esses homens podem ter ejaculação precoce variável natural, que inclui períodos de ejaculação rápida, bem como períodos de ejaculação normal.

Causas

A causa exata da ejaculação precoce não é conhecida. Embora já tenha sido considerado exclusivamente psicológico, os médicos agora sabem que a ejaculação precoce envolve uma complexa interação de fatores psicológicos e biológicos.

Causas psicológicas

Fatores psicológicos que podem desempenhar um papel incluem:

    • Experiências sexuais precoces;
    • Relações amorosas mal sucedidas;
    • Abuso sexual;
    • Imagem corporal distorcida ou timidez;
    • Preocupação com a ejaculação precoce;
    • Medo de engravidar a parceira ou de não satisfazê-la completamente;
    • Problemas profissionais que possam causar preocupação excessiva;
    • Sentimentos de culpa que aumentam sua tendência a se apressar em encontros sexuais.

Outros fatores que podem desempenhar um papel incluem:

Disfunção erétil

Homens que estão ansiosos em obter ou manter uma ereção durante a relação sexual podem formar um padrão de pressa para ejacular, o que pode ser difícil de mudar.

Ansiedade

Muitos homens com ejaculação precoce também têm problemas de ansiedade – seja especificamente sobre o desempenho sexual ou relacionados a outras questões.

Clique e encontre seu psicólogo !

Problemas de relacionamento

Se você teve relações sexuais satisfatórias com outros parceiros em que a ejaculação precoce ocorreu com pouca frequência ou não, é possível que questões interpessoais entre você e seu parceiro atual estejam contribuindo para o problema.

Causas biológicas

Vários fatores biológicos podem contribuir para a ejaculação precoce, incluindo:

    • Níveis hormonais anormais;
    • Níveis anormais de substâncias químicas cerebrais chamadas neurotransmissores;
    • Inflamação e infecção da próstata ou uretra;
    • Genética e condições hereditárias;
    • Diabetes (pacientes com diabetes podem apresentar problema na sua potência sexual)

Fatores de risco

Vários fatores podem aumentar o risco de ejaculação precoce, incluindo:

Disfunção erétil. Você pode estar em risco aumentado de ejaculação precoce, se ocasionalmente ou consistentemente tiver dificuldade em obter ou manter uma ereção. O medo de perder sua ereção pode fazer com que você se apresse consciente ou inconscientemente em encontros sexuais.

Estresse. A tensão emocional ou mental em qualquer área da sua vida pode desempenhar um papel na ejaculação precoce, limitando sua capacidade de relaxar e se concentrar durante os encontros sexuais.

Complicações

A ejaculação precoce pode causar problemas em sua vida pessoal, incluindo:

Problemas de estresse e relacionamento. Uma complicação comum da ejaculação precoce é o estresse no relacionamento, falta de comunicação,  brigas e em alguns casos a separação.

Problemas de fertilidade. A ejaculação precoce pode ocasionalmente dificultar a fertilização para casais que estão tentando engravidar se a ejaculação não ocorrer intravaginalmente.

Tratamento

Na maioria dos casos, há uma causa psicológica e o prognóstico é bom. Se o problema ocorre no início de uma nova parceria sexual, as dificuldades geralmente se resolvem à medida que o relacionamento continua.

Se, no entanto, o problema for mais persistente, os médicos podem recomendar aconselhamento de um sexólogo especializado em relações sexuais, terapia sexual ou terapia de casal.

95% dos homens são ajudados por psicoterapia e técnicas comportamentais que ajudam a controlar a ejaculação.

Intervenção medicamentosa

Nenhum medicamento é oficialmente licenciado para o tratamento de ejaculação precoce, mas alguns antidepressivos podem ajudar, uma vez que apresentam o efeito colateral de retardar a ejaculação, porque aumentam a quantidade de serotonina no cérebro.

Um médico provavelmente não prescreverá qualquer medicamento antes de fazer uma anamnese sexual detalhada para chegar a um diagnóstico claro de ejaculação precoce. Tratamentos medicamentosos podem ter efeitos adversos, e os pacientes devem sempre discutir com um médico antes de usar qualquer medicação.

A dapoxetina é usada em muitos países para tratar alguns tipos de ejaculações precoces primárias e secundárias. A dapoxetina é um fármaco que pertence à mesma classe da fluoxetina, sendo considerado um inibidor seletivo da recaptação da serotonina. No entanto, certos critérios devem ser atendidos.

Pode ser usado se:

    • O sexo vaginal dura menos de 2 minutos antes da ejaculação ocorrer;
    • A ejaculação persistentemente ou recorrentemente acontece após muito pouco estímulo sexual e antes, durante ou logo após a penetração inicial, e antes que ele deseje chegar ao clímax;
    • Há acentuada aflição pessoal ou dificuldade interpessoal por causa da disfunção;
    • Há pouco controle sobre a ejaculação;
    • A maioria das tentativas de relação sexual nos últimos 6 meses envolveu a ejaculação precoce

Os efeitos colaterais da dapoxetina incluem náusea, diarréia, tontura e dor de cabeça.

Medicamentos tópicos

Algumas alternativas tópicas podem ser aplicadas ao pênis antes do sexo, com ou sem preservativo. Esses cremes anestésicos locais reduzem a estimulação.

Exemplos incluem lidocaína ou prilocaína, que podem melhorar a quantidade de tempo antes da ejaculação.

No entanto, o uso prolongado de anestésicos pode resultar em dormência e perda de ereção. A sensação reduzida criada pelos cremes pode não ser aceitável para o homem, e a dormência também pode afetar a mulher

Exercícios e técnicas complementares

Pare e comece: trabalhe em conjunto com seu parceiro(a). Vocês devem estimular seu pênis até que você sinta que vai ter um orgasmo. Pare a excitação por cerca de 30 segundos ou até que a sensação passe. Comece a estimulação novamente e repita três ou quatro vezes antes de realmente ejacular.

Aperto: Funciona da mesma forma que o método anterior. Mas, quando você sente que está chegando ao orgasmo, você ou seu parceiro apertam a cabeça do seu pênis até perder a ereção. Repita isso algumas vezes antes de ejacular.

Fortaleça os músculos:  músculos do assoalho pélvico fracos, por vezes, contribuem para o ejaculação precoce. Exercícios de Kegel podem ajudar a fortalecê-los. Encontre os músculos certos para apertar, parando sua urina no meio do caminho. Segure-os firmemente por 3 segundos e depois solte-os por 3 segundos. Faça isso 10 vezes, pelo menos 3 vezes ao dia.

Use um preservativo: pode reduzir a sensibilidade o suficiente para que você possa durar mais tempo.

Ocupe-se antes de se “ocupar”: alguns homens acham que se masturbar algumas horas antes do sexo os ajuda a permanecer no controle durante o ato sexual.

Alguns homens acreditam que, se pensarem em outra coisa durante o sexo, podem durar mais tempo.

Como a psicologia pode ajudar?

Se você identificou algum dos sintomas ou causas listadas acima, busque a orientação de um psicólogo ou psiquiatra. Eles podem ajudar você a lidar com problemas como depressão, ansiedade ou estresse que podem estar contribuindo para o seu desempenho sexual.

Se o seu relacionamento é afetado, falar sobre o problema é um primeiro passo importante. Um bom psicólogo ou terapeuta sexual pode ser capaz de ajudar. Agende sua consulta hoje mesmo e leve uma vida sexual feliz e saudável. Afinal, sexo é vida!

Clique e encontre seu psicólogo !

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade.