acompanhamento psicológico

7 benefícios de um acompanhamento psicológico bem feito

5/5 - (6 votes)

  |  Tempo de leitura: 9 minutos
5/5 - (6 votes)

Um acompanhamento psicológico de qualidade pode se tornar a sua melhor armadura para enfrentar as dificuldades do dia a dia.

Nos dias atuais, com tanta correria e obrigações, perdemos a noção do tempo. Quando vemos, o fim de semana já começou e acabou e mais cinco dias de responsabilidades praticamente infinitas se iniciam em seguida. Assim, para encontrarmos as pessoas que amamos ou nos dedicarmos a momentos de lazer, é preciso praticamente montar um quebra cabeça com nossos horários.

Porém, também não podemos nos esquecer das questões pessoais. Nossas próprias crenças, bloqueios, lembranças e emoções, as quais afetam todas as nossas decisões e a maneira como vemos o mundo e tratamos as pessoas.

Como estamos acostumados a balancear todos esses fatores, não costumamos dar a verdadeira importância para como eles interferem em nossa saúde mental e física. E é aí que entra a terapia.

Benefícios do acompanhamento psicológico

Autoconhecimento

O autoconhecimento nos permite adquirir insights valiosos sobre quem somos nós. Através dele, descobrimos qualidades, defeitos, medos, inseguranças, desejos e fortalezas. Dessa forma, passamos a administrá-los com mais inteligência.

Um exemplo muito comum é aquela pessoa que está presa a um trabalho que não gosta. Não para de reclamar que quer sair, mas tem medo de começar do zero. Nem se quer sabe o que deseja fazer de verdade. Ela não se conhece.

O acompanhamento psicológico pode auxiliá-la a encontrar a força para se distanciar do emprego ou carreira infrutífera e traçar um caminho novo apesar de todas as incertezas. Já que o autoconhecimento mergulha fundo em nosso íntimo, a nossa verdadeira essência é levada à superfície.

autoconhecimento

Inteligência Emocional

Todos nós possuímos capacidade de lidar com as situações a nossa volta. Todavia, às vezes, essa habilidade está adormecida.

Um dos maiores benefícios da terapia é trabalhar a inteligência emocional para tomar decisões melhores, saber com o que você deve gastar a sua energia, relacionar-se bem com as pessoas e manter o bom humor.

Com a inteligência emocional desenvolvida, obtemos a capacidade de avaliar os próprios sentimentos de forma não sentimental. Em outras palavras, entendemos as nossas emoções a ponto de escolher não ser mais dominados por elas. Sabemos quando e como utilizá-las para tirar o melhor proveito das situações.

Esta é uma habilidade indispensável para quem possui um transtorno mental, principalmente ansiedade e depressão, que costumam perturbar os sentimentos da pessoa.

Em vez de se permitir levar por pensamentos negativos, acarretando crises de ansiedade ou episódios depressivos intensos, o indivíduo aprende a lidar com o que não lhe faz bem.

Paz com o passado

A maioria dos nossos problemas hoje é reflexo direto de eventos passados. Eles se originam na infância e se manifestam em idades mais avançadas. Por isso, muitas pessoas desconhecem porque agem ou pensam de determinada maneira.

Por vezes, os acontecimentos do passado nos trazem infelicidade e angústia. Alguns podem até ser traumáticos. São bloqueios que nos impedem de aproveitar a vida hoje.

O acompanhamento psicológico bem feito desvenda as amarras que nos prendem ao que já aconteceu assim como aponta os impactos do passado sob o presente. Assim, é possível fazer pazes com esses eventos negativos e ressignificá-los para que deixem de nos atrapalhar no presente.

Qualidade de vida no dia a dia

Os benefícios da terapia são sentidos no dia a dia. A vida rotineira de obrigações e compromissos se torna mais feliz porque aprendemos a balancear o tempo com sabedoria. A ansiedade e preocupação diminuem e a autoestima aumenta.

O resultado não é milagroso, é claro. Essas melhorias são sentidas com o
progresso do acompanhamento. À medida que você trabalha assuntos mais complexos e difíceis de falar em voz alta, percebe uma mudança extremamente positiva em diversos aspectos de sua vida diária.

Além disso, a presença no cotidiano aumenta. Nosso cérebro gosta de viver no piloto automático sem ter que se preocupar em evoluir. Isso ajuda a guardar energia para os afazeres do dia.

Porém, não é muito benéfico para nós. É mais trabalhoso quebrar hábitos e padrões de conduta nocivos no piloto automático.

Melhores relacionamentos interpessoais

Os seus relacionamentos também mudam. Com o conhecimento sobre si mesmo e a autoestima elevada recém-adquirida, você consegue enxergar quais conexões são sadias e devem ser mantidas. As suas habilidades sociais melhoram, sendo mais fácil fazer amizades ou conviver com pessoas difíceis.

Precisamos ter jogo de cintura para lidar com os outros, especialmente no ambiente profissional, um dos maiores causadores de estresse. Um acompanhamento psicológico bem feito vai ajudá-lo a administrar seus relacionamentos de forma a evitar conflitos desnecessários e intrigas que não levam a lugar nenhum.

Também vai ajudá-lo a compreender os sentimentos, modo de pensar e comportamento das outras pessoas. Consequentemente, você não levará comentários ou ações para o pessoal. Muitas vezes, a forma como as pessoas nos tratam tem mais a ver com elas do que conosco.

Autoestima elevada

É comum iniciar um acompanhamento psicológico com insegurança. A autoestima baixa costuma ser a raiz de muitas perturbações.

Vivemos em uma sociedade que prega a humildade incessantemente, mas não nos ensina a vivê-la da forma correta. É importante, sim, valorizar as nossas capacidades e conquistas como se fossem o feito mais incrível do mundo. Infelizmente, muitos se colocam para baixo ou ignoram as suas vitórias por instinto.

Durante o acompanhamento, somos incentivados a nos apaixonar por nos mesmos. Se existem defeitos inconvenientes, aprendemos a coexistir com eles em paz. Uma das premissas mais marcantes da terapia é, afinal, pensar em você primeiro. Não de forma egoísta, mas de forma merecida.

Trilha autoestima

Desenvolvimento das potencialidades

Assim que você descobrir as suas paixões através do autoconhecimento, já poderá iniciar o processo de alimentá-las.

O medo de iniciar algo novo ou sair da zona de conforto é paralisante. Neste estado de inércia, deixamos muitas oportunidades passarem, concorda?

É extremamente comum encontrar pessoas com medo do próprio potencial. Elas se autossabotam, acreditando não valer a pena chegar lá. Mas estão enganadas.

Na terapia, aprendemos a melhor maneira de desenvolver os nossos pontos fortes, sejam esses traços de personalidade ou habilidades. O medo e a insegurança são dissolvidos para dar lugar à autoconfiança. O processo é longo e costuma ser demorado para a maioria das pessoas. O importante, contudo, é persistir.

Como funciona o acompanhamento psicológico?

Se você nunca considerou consultar com um psicólogo, vou explicar o básico das sessões para clarear as suas dúvidas. As consultas duram cerca de uma hora. O tempo do acompanhamento em sua totalidade depende de cada caso. Não há um limite de sessões.

No primeiro encontro, o profissional irá fazer perguntas para conhecê-lo e descobrir como pode ajudá-lo a solucionar os seus problemas. É comum travar na pergunta referente ao motivo que o levou a buscar ajuda profissional.

Nem sempre conseguimos falar dos nossos sentimentos abertamente. A probabilidade de você não saber exatamente o que o aflige também é grande. O psicológico vai ajudá-lo a encontrar as respostas para os seus próprios dilemas de acordo com as suas respostas.

Não fique ansioso esperando ser forçado a falar sobre tópicos desconfortáveis. Você apenas irá tocar em assuntos delicados quando o psicológico julgar que está pronto para isso.

Muitas pessoas têm medo de serem analisadas quando estão cara a cara com um psicólogo ou psicanalista ou psiquiatra, como se esses profissionais pudessem descobrir os seus segredos apenas com o olhar.

Isso é mito. Durante o acompanhamento psicológico, o que você deve fazer é apenas ser você mesmo sem se preocupar com julgamentos ou invasão de privacidade.

Ao longo das sessões, você desvendará a sua personalidade, os seus pensamentos, o seu passado, as suas crenças até encontrar a origem do incômodo existencial. O psicólogo vai ajudá-lo a encontrar soluções possíveis para reduzir a sua dor, encorajando-o a enfrentar medos e receios com cautela.

Quando buscar acompanhamento psicológico?

Quando você quiser.

Não é preciso ter um transtorno mental para procurar um psicólogo ou estar vivenciando os sintomas de um. Obviamente, este é o cenário mais comum, porém, você pode iniciar um acompanhamento psicológico simplesmente pelo desejo de ter uma vida melhor e saber mais sobre você.

Está com dificuldades no trabalho? Na família? Na universidade? No relacionamento? Com os amigos? Todas essas são razões perfeitamente aceitáveis para buscar ajuda profissional.

Se você está enfrentando algum impasse em sua vida ou está à procura de respostas e deseja conversar com alguém sobre isso, não hesite em procurar um psicólogo. A Vittude pode ajudá-lo a dar esse importante passo em direção a sua felicidade.

Acessando este link, você encontra diversos psicológicos com especializações específicas para cada tipo de transtorno ou problema emocional que necessita de tratamento. Basta marcar um horário para conhecer o profissional e pronto!

As maiores vantagens são que você não precisa sair de casa ou fazer grandes modificações em sua agenda apertada para encontrar um horário para a consulta.

Tomar a decisão de iniciar um acompanhamento psicológico requer muita coragem e honestidade consigo mesmo. Não se envergonhe por querer cuidar melhor de você. Assim que você passa a merecidamente cuidar mais de si mesmo, os demais aspectos da sua vida automaticamente melhoram.

Este post ajudou você? Então, aproveite para seguir a Vittude no Instagram e assine nossa newsletter para receber, em sua caixa de emails, notificações de mais conteúdos bacanas e novidades!

Leia também:

“Masculinidade tóxica: como identificar comportamentos nocivos

Tristeza: o que pode causá-la e como superar esse sentimento

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta