amitriptilina

Amitriptilina: conheça os efeitos deste antidepressivo

  |  Tempo de leitura: 8 minutos
Clique e encontre seu psicólogo !

Amitriptilina, ou cloridrato de amitriptilina, é um medicamento recomendado para o tratamento da depressão e incontinência urinária noturna (enurese). 

A amitriptilina é um tipo de medicamento chamado de antidepressivo tricíclico, possui esse nome devido a presença de três anéis de carbono. Essa classe de medicamentos é utilizada nos tratamentos sintomáticos da depressão e outros transtornos depressivos.

O medicamento foi originalmente desenvolvido para tratar da depressão, mas em doses mais baixas, recomendadas pelo médico, pode reduzir ou interrompes dores.

Confira nesse artigo informações importantes sobre o medicamento amitriptilina, como: para que é indicado, contraindicações, efeitos colaterais e como é feita a recomendação de uso pelos médicos.

Como a Amitriptilina age no organismo?

O fármaco age no sistema nervoso central, aumentando a produção de serotonina pelo cérebro. A serotonina é um neurotransmissor que atua no estado emocional, regula o humor, o sono, o apetite e a sensibilidade à dor.

Para que a amitriptilina é indicada?

Por possuir propriedades calmantes e sedativas, a amitriptilina é indicada principalmente para o tratamento da depressão.

Esse medicamento também é comumente recomendado para o tratamento da incontinência urinária. 

Devido às suas propriedades farmacológicas, a amitriptilina também é amplamente recomenda para o tratamento de dores crônicas, como fibromialgia, dor neuropática, dor lombar crônica, dores de cabeça e enxaqueca.

Quais os efeitos esperados com o uso da amitriptilina?

A Anvisa atesta a eficácia do medicamento para o tratamento da depressão e da enurese através de demonstrações e comprovações por inúmeros estudos clínicos. 

Para o tratamento da depressão, espera-se o aumento da produção do neurotransmissor serotonina, que propicia o aumento da sensação de bem-estar ao regular o estado emocional e o humor dos pacientes.

Quais os efeitos colaterais do uso de amitriptilina?

A amitriptilina pode causar alguns efeitos adversos. O principal efeito relatado é a sonolência após as primeiras horas de ter tomado o medicamento. Nesse caso, o médico pode recomendar a administração do medicamento somente ao deitar. 

Outros efeitos adversos são observados com o uso do medicamento amitriptilina.

Reações mais comuns – Ocorrem em até 10% dos pacientes que utilizam o medicamento:

  • Sonolência
  • Tontura
  • Alteração do paladar
  • Xerostomia (boca seca)
  • Ganho de peso
  • Aumento de apetite
  • Cefaleia

Reações incomuns – Ocorrem em 0,1% a 1% dos pacientes que utilizam o medicamento:

  • Sintomas de Parkinson
  • Visão turva
  • Bradicardia
  • Arritmia
  • Hipotensão
  • Impotência sexual
  • Alucinações
  • Tremores involuntários
  • Micção dolorosa ou difícil
  • Nervosismo
  • Confusão mental
  • Problemas sexuais
  • Lentidão do trânsito intestinal
  • Insônia
  • Transpiração excessiva
  • Vômitos
  • Azia
  • Diarreia

Ao observar efeitos adverso graves, procure imediatamente o seu médico. Efeitos colaterais graves, podem incluir:

Ataque cardíaco

Sintomas:

Clique e encontre seu psicólogo !

– Dor no peito

– Falta de ar

– Dor ou pressão no corpo ou na parte superior do corpo

Acidente vascular cerebral

Sintomas:

– Fraqueza em uma parte ou lado do corpo

– Fala arrastada

Procure o seu médico imediatamente se observar sintomas de alergia ao tomar o medicamento. Os sintomas alérgicos podem incluir: urticária, dificuldade ao respirar, inchaço no rosto, lábios, língua ou garganta.

Algumas pessoas relatam a incidência de pensamentos suicidas ao tomar antidepressivos. O médico deve ser informado em caso desses pensamentos. Familiares e pessoas próximas devem ficar atentas para observar se esse tipo de pensamento está ocorrendo com o paciente e informar ao médico o mais rápido possível. 

Antidepressivos como a amitriptilina pode comprometer o estado de alerta em alguns pacientes, tornando o seu uso inadequado antes de dirigir, operar máquinas ou realizar qualquer outra atividade que exija nível máximo de atenção ou tem seu risco aumentado pela diminuição do estado de alerta.

Contraindicações do uso de amitriptilina

Em alguns casos, a amitriptilina não pode ser utilizada ou deve ser comunicado ao médico sobre determinadas situações, para que sejam feitos ajustes na dosagem. 

O medicamente não deve ser utilizado se anteriormente o paciente já fez uso de medicamentos com a substância e demonstraram hipersensibilidade.

Amitriptilina não pode ser utilizada por pacientes que, nos últimos 14 dias, fizeram uso de inibidores de monoamidoxidase (IMAO) – um tipo de antidepressivo. Em caso de substituição dos antidepressivos do tipo IMAO pela amitriptilina, o uso deve ser iniciado de forma cautelosa e a posologia deve ser aumentada gradativamente até ser obtida a resposta ideal.

O medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas. Em caso de gravidez, informe ao seu médico. 

O medicamento é detectável no leite materno, o que também pode tornar o seu uso inadequado. Portanto deve ser informado ao médico se a paciente for lactante.

O uso desse medicamento não é aprovado para menores de 12 anos. 

O uso de amitriptilina é contraindicado se o paciente teve um ataque cardíaco recente. 

Para se certificar que o uso do medicamento amitriptilina é seguro, informe ao médico se apresentou alguma das situações abaixo recentemente:

  • Distúrbio bipolar ou Esquizofrenia
  • Histórico de doença mental ou Psicose
  • Doença hepática
  • Doença cardíaca
  • Histórico de ataque cardíaco
  • Histórico de acidente vascular cerebral
  • Histórico de convulsões
  • Diabetes (a amitriptilina pode aumentar ou diminuir a presença de açúcar no sangue)
  • Glaucoma
  • Problemas de micção

Amitriptilina dá sono?

Sim. Como falado anteriormente, a amitriptilina reduz o estado de atenção e aumenta a sonolência. Pacientes que tratam da depressão com o uso da amitriptilina relatam diminuição dos casos de insônia, entretanto, não é comum a recomendação desse medicamento para esse fim se o paciente não estiver em tratamento da depressão.

Amitriptilina emagrece?

A amitriptilina não possui substâncias capazes de causar o emagrecimento. Entretanto, o medicamento é capaz de desencadear transtornos psíquicos que levam à transtornos alimentares, como a anorexia, que é caracterizada pela distorção de imagem e diminuição drástica do apetite, levando à perda de peso. Portanto, não é um efeito positivo, sendo considerado, inclusive, um estado de alerta.

Amitriptilina engorda?

Como listado na bula do medicamento, um dos efeitos colaterais do uso de amitriptilina é levar ao ganho de peso devido ao aumento do apetite.

Amitriptilina serve para enxaqueca?

Por ser um medicamento com propriedades calmantes e sedativas, a amitriptilina é indicada para tratamento de dores, como a enxaqueca.

O antidepressivo influi nos receptores da serotonina, diminuindo a sua receptação. Dessa forma, a disponibilidade do neurotransmissor aumenta e a sensação de bem-estar e disposição é aumentada, ocasionando a amenização da dor. 

Como tomar o medicamento amitriptilina?

Para obter os benefícios esperados pelo uso do medicamento antidepressivo amitriptilina, siga atentamente as orientações do seu médico. Respeite a dosagem recomendada e o tempo de tratamento. Não interrompa de forma alguma o tratamento sem que seja orientado e sem comunicar ao médico. 

Geralmente, a administração do medicamente ocorre de forma gradual, iniciando com uma dose baixa e aumentando gradativamente. À medida que a dose é aumentada, são observadas as reações, reposta do quadro depressivo e qualquer indício de intolerância. 

Informe ao seu médico sobre qualquer reação incomum, para que sejam feitos ajustes na dosagem e assim obter sucesso no tratamento. 

Posologia para o tratamento da depressão

A dose inicial para adultos é de 75mg/dia em doses fracionadas, podendo ser aumentada até 150mg/dia. Os aumentos são realizados, preferencialmente, nas doses do início da noite ou ao deitar. Observa-se a atividade antidepressiva dentro de 3 a 4 dias, podendo levar até 30 dias para que seja desenvolvida totalmente. 

A dose de manutenção para adultos é de 50 a 100mg/dia em dose única, de preferência a noite. É recomendado continuar a manutenção com a administração do medicamento por três meses ou mais, para evitar o reaparecimento dos sintomas.

Dose para adolescentes e idosos: São recomendadas doses de 10 a 50mg/dia de forma fracionada ou em dose única diária, preferencialmente ao dormir. Para manutenção, metade da dose usual geralmente é suficiente. 

O uso em crianças menores de 12 anos não é recomendado em razão da inexperiência do uso deste medicamento para o tratamento da depressão infantil. 

O uso do medicamento não deve ser interrompido por conta própria. Geralmente o médico orienta a diminuição lentamente da dose, por um período de tempo determinado, até sua completa parada definitiva. 

O que fazer em caso de esquecimento?

Se você esquecer de tomar a dose de amitriptilina, deve tomar assim que se lembra. No entanto, se estiver muito perto do horário da próxima dose, não tome. Tome somente a próxima dose normalmente. Nunca tome duas doses de uma única vez para compensar o esquecimento. 

Overdose de amitriptilina

Se você tomar mais que a dose recomendada de amitriptilina, você pode ter sintomas e efeitos colaterais graves como:

  • Arritmia cardíaca
  • Convulsões
  • Coma (perda da consciência)
  • Confusão mental 
  • Problemas de concentração
  • Tontura
  • Desmaios
  • Sonolência extrema
  • Alucinação
  • Agitação
  • Músculos rígidos
  • Vômito
  • Febre
  • Transpiração excessiva
  • Aumento da temperatura corporal
  • Baixa da temperatura corporal

Em caso de superdosagem de amitriptilina, entre em contato imediatamente com o médico ou outro profissional da saúde para aconselhamento. 

A amitriptilina é um medicamento eficaz para o tratamento da depressão. Porém, seu uso está associado a diversos efeitos colaterais e o médico pode indicar alternativas dependendo do paciente e de como esses sintomas são apresentados. 

Lembre-se, consulte o seu médico para garantir que as informações exibidas aqui se apliquem às suas circunstâncias pessoais. Não faça uso de medicamento sem prescrição médica e sem antes ter um parecer clínico sobre sua condição e saúde psicológica. 

O artigo foi útil para você? Assine a nossa newsletter e receba, em seu e-mail, notificações e informações sobre novas publicações do site!

Clique e encontre seu psicólogo !

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade.