Como lidar com o luto pela perda do pai

Um voo nas alturas: o luto pela perda de um pai

  |  Tempo de leitura: 3 minutos

O luto pela perda de um pai. Foram muitas as tardes em que as brincadeiras se davam sob o olhar atento de mamãe diante das peripécias do meu pai. Como eu era grande ao lado dele. Voava alto, muito alto com suas mãos investidas contra mim com destino ao céu. Não via limite e percebia que quanto maior minha gargalhada, mais entusiasmado papai ficava.

Foram muitas as experiências ao seu lado, sempre cheias de emoção e desafios. Casinhas de boneca construídas ao lado dele, o equilíbrio na bicicleta e uma engenhosa árvore genealógica com tantas e tantas origens que tive acesso ao mar de memórias de meu pai. E de repente ele se foi. Junto, um pouco da minha raiz, da minha história. A casa ficou triste. Mamãe embotada. Não tinha mais vitalidade em seu olhar. Me preocupava com as contas, a casa, a escola, a comida e um medo enorme de que mamãe adoecesse de tanta tristeza. O frio na barriga do voo nas alturas estava ali, mas agora sem a segurança do amparo. Estava de luto.

São inúmeras as perdas para uma família com a morte de um genitor. Com o luto há um rearranjo na dinâmica familiar. Novos papeis, novas responsabilidades e um mix intenso de emoções e sentimentos. A acolhida por familiares e amigos é essencial neste momento, mas nem sempre isso é possível.

>>> Leia também: Resiliência: 10 dicas para se tornar uma pessoa mais resiliente

Como lidar com o luto pela morte de um pai

Quando falamos da morte de um pai, entende-se que a mãe e os avós também estão vivendo seu processo de luto. A disponibilidade emocional para cuidar e ouvir fica reduzida ou até mesmo nula.  Sem espaço dentro do ambiente familiar para falar sobre o luto e receber acolhida, procurar um psicólogo é essencial. O ambiente terapêutico possibilitará a elaboração da perda, estratégias de enfrentamento e acolhimento.

O processo do luto pode ser longo e não tem tempo certo ou errado. Tem o seu tempo. É um processo de construção de significados. De se perceber sem a presença da pessoa morta e se reorganizar. Não é um processo de abandono ou esquecimento. A dor da perda e a saudade são para sempre. O que muda é a intensidade da dor e suas características.

Os rituais são extremamente importantes. Principalmente nas datas comemorativas, mas é preciso fazer sentido para quem ficou. Podem ser religiosos, uma visita às lembranças por meio de fotografias ou até mesmo o simples preparo de um almoço com o prato favorito do seu pai. Isso trará uma conexão emocional e a certeza de que o amor e as lembranças continuam vivas dentro de si. 

Por fim, plataformas como a Vittude podem facilitar a busca por um psicólogo que atenda os requisitos específicos para atender pais e crianças que precisam de acompanhamento nestes momentos difíceis. Se você tem dúvidas com relação a algum diagnóstico, agende uma avaliação psicológica com um de nossos psicólogos.

Artigo revisado em: 18/10/2019

Você também pode gostar:

Depressão: causas, sintomas físicos, tratamentos e prevenção

Quando procurar um psicólogo? 

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta

Avalie esse artigo:

Artigo publicado em Luto

Comentários:

2 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Lednilson Souza Verao
1 ano atrás

Perdi meu pai a 2 meses, éramos muito unidos. Está difícil de lidar com o luto, lembro dele 24h por dia. Ele se foi novo e cheio de saúde e disposição, e com isso ainda parece ser um pesadelo que vou acordar e poderei ir até a casa dele e o verso do mesmo jeito que o via toda semana. Chorar sei que não o trás de volta, porém por um tempinho alivia a dor, mais logo volta tudo..

maria cristina b.da silva
4 anos atrás

Bom dia
gostaria de falar que já se passaram 14 anos da morte do meu pai e eu sofro até hoje.
A perda dele me deixou um vazio enorme,claro tinha mãe,irmãos,irmãs e uma filha que naquele momento sofreu junto comigo.
Perdi minha mãe e te falo que não sofro a perda dela sinto mas não sofro,pois não fomos muito amiga.