psicose

Psicose: tipos, sintomas e tratamento

  |  Tempo de leitura: 7 minutos
Clique e encontre seu psicólogo !

Psicose é um transtorno mental que faz com que as pessoas percebam ou interpretem as coisas de maneira diferente das pessoas que as rodeiam. Isso pode envolver alucinações ou delírios.

A palavra psicose é usada para descrever condições que afetam a mente, onde houve alguma perda de contato com a realidade. Durante um episódio psicótico, os pensamentos e percepções de uma pessoa são perturbados e o indivíduo pode ter dificuldade em entender o que é real e o que não é. Os sintomas da psicose incluem delírios (falsas crenças) e alucinações (ver ou ouvir coisas que os outros não vêem ou ouvem).

Outros sintomas incluem discurso incoerente ou sem sentido e comportamento impróprio para a situação. Uma pessoa em um episódio psicótico também pode apresentar depressão, ansiedade, problemas de sono, isolamento social, falta de motivação e dificuldade de funcionamento geral.

Fatos rápidos sobre a Psicose

Separamos alguns pontos-chave sobre psicose:

  • A psicose não é uma doença em si mesma, é um sintoma;
  • Um delírio psicótico comum é a crença de que o indivíduo é uma figura importante;
  • Diagnóstico precoce de psicose melhora os desfechos em longo prazo;
  • A psicose é classicamente associada a transtornos do espectro da esquizofrenia e, embora existam outros sintomas, um dos critérios definidores para a esquizofrenia é a presença de psicose.

Sintomas de psicose

Os dois principais sintomas da psicose são:

Alucinações – onde uma pessoa ouve, vê e, em alguns casos, sente, cheira ou saboreia coisas que não estão lá; um tipo de alucinação comum é ouvir vozes

Delírios – onde uma pessoa tem crenças fortes que não são compartilhadas por outras pessoas; uma ilusão comum é alguém acreditando que há uma conspiração para prejudicá-los.

A combinação de alucinações e pensamento delirante pode causar sofrimento severo e uma mudança no comportamento. Experimentar os sintomas da psicose é muitas vezes associado a um episódio psicótico.

Causas da psicose

As causas exatas da psicose não são bem compreendidas, mas podem envolver:

Genética – estudos mostram que a esquizofrenia e o transtorno bipolar podem compartilhar uma causa genética comum.

Alterações cerebrais – alterações na estrutura cerebral e alterações em certas substâncias químicas são encontradas em pessoas com psicose. Varreduras cerebrais revelaram redução da massa cinzenta no cérebro de alguns indivíduos com história de psicose, o que pode explicar os efeitos no processamento do pensamento.

Hormônios ou sono – a psicose pós-parto ocorre logo após o parto (normalmente dentro de 2 semanas). As causas exatas não são conhecidas, mas alguns pesquisadores acreditam que pode ser devido a mudanças nos níveis hormonais e padrões de sono interrompidos.

Transtornos correlatos

Às vezes, é possível identificar a causa do transtorno como uma condição específica de saúde mental, como:

Esquizofrenia – uma condição que causa uma série de sintomas psicológicos, incluindo alucinações e delírios

Transtorno bipolar – uma condição de saúde mental que afeta o humor; uma pessoa com transtorno bipolar pode ter episódios de humor baixo (depressão) e altos ou humor exaltado (mania).

Clique e encontre seu psicólogo !

Depressão grave – algumas pessoas com depressão também apresentam sintomas de psicose quando estão muito deprimidas.

O transtorno também pode ser desencadeado por:

  • uma experiência traumática
  • estresse
  • uso indevido de drogas
  • uso indevido de álcool
  • efeitos colaterais da medicação prescrita
  • uma condição física – como um tumor cerebral

Quantas vezes um episódio psicótico ocorre e quanto tempo dura pode depender da causa subjacente.

Tipos de psicose

Vários distúrbios podem exibir sintomas psicóticos, incluindo:

Esquizofrenia – um distúrbio sério de saúde mental que afeta a maneira como alguém se sente, pensa e age. Os indivíduos acham difícil distinguir entre o que é real e o que é imaginário.

Transtorno esquizoafetivo – uma condição semelhante à esquizofrenia, que inclui períodos de distúrbios do humor.

Transtorno psicótico breve – os sintomas psicóticos duram pelo menos 1 dia, mas não mais que 1 mês. Muitas vezes, ocorre em resposta a um evento de vida estressante. Depois que os sintomas desaparecem, eles podem nunca mais voltar.

Transtorno delirante – o indivíduo tem uma forte crença em algo irracional e muitas vezes bizarro, sem base factual. Os sintomas duram 1 mês ou mais.

Psicose bipolar – os indivíduos apresentam sintomas de transtorno bipolar (altos e baixos intensos de humor) e também experimentam episódios de psicose. A psicose ocorre mais comumente durante as fases maníacas.

Depressão psicótica – também conhecida como transtorno depressivo maior com características psicóticas.

Pós-parto (também chamado de pós-natal) psicose – uma forma grave de depressão pós-parto.

Psicose induzida por substâncias – incluindo álcool, certas drogas ilegais e alguns medicamentos prescritos, incluindo esteróides e estimulantes.

Estas são as principais causas dos sintomas psicóticos, mas a psicose também pode ser secundária a outros transtornos e doenças, incluindo:

  • Tumor cerebral ou cisto
  • Demência – doença de Alzheimer, por exemplo
  • Doença neurológica – como doença de Parkinson e doença de Huntington
  • HIV e outras infecções que podem afetar o cérebro
  • Alguns tipos de epilepsia
  • Acidente vascular encefálico

Tratamentos para quadros psicóticos

O tratamento para psicose envolve o uso de uma combinação de:

Medicação antipsicótica – que pode ajudar a aliviar os sintomas da psicose;

Acompanhamento psicológico – a terapia cognitivo comportamental provou ter sucesso no tratamento clínico de pessoas com psicose;

Terapia familiar –  um formato de terapia que pode envolver parceiros, familiares e amigos íntimos. Alguns estudos indicam que ela é capaz de reduzir a necessidade de tratamento hospitalar em pessoas com psicose.

Apoio psicosocial – apoio a necessidades sociais, como educação, emprego ou acomodação

Depois de um episódio psicótico, a maioria das pessoas que melhora com a medicação precisa continuar administrando a medicação por pelo menos um ano. Cerca de 50% das pessoas precisam tomar medicação a longo prazo para evitar que os sintomas se repitam.

Se os episódios psicóticos de uma pessoa são graves, eles podem precisar ser internados em um hospital psiquiátrico para tratamento.

Complicações da psicose

Pessoas com histórico psicótico são mais propensas do que outras a ter problemas de abuso de drogas ou álcool, ou ambos. Algumas pessoas usam essas substâncias como uma maneira de gerenciar sintomas psicóticos. No entanto, o abuso de substâncias pode agravar os sintomas psicóticos ou causar outros problemas.

Automutilação e suicídio

Pessoas em surto psicótico têm um risco maior do que a média de cometer automutilação e tentar suicídio.

Se você acha que um amigo ou parente está vivenciando algum sintoma, procure sinais de cortes inexplicáveis, hematomas ou queimaduras de cigarro, geralmente nos pulsos, braços, coxas e peito. Pessoas que se machucam podem se manter cobertas o tempo todo, mesmo em clima quente. Procure ajuda!

Sites como a Vittude podem ajudar você e familiares a encontrarem ajuda psicológica e especializada. Com a ajuda de uma plataforma tecnológica, você pode encontrar um psicólogo com experiência neste tipo de transtorno. É possível também chamar a nossa equipe de suporte e solicitar uma orientação mais personalizada.

Gostou do artigo? Assine a nossa newsletter e receba essa e demais dicas para o seu bem-estar.

Outros artigos que você pode gostar:

Simsimi: um app que pode prejudicar a saúde mental dos seus filhos

Síndrome de Borderline: conheça os sintomas e tratamentos

Fibromialgia: sintomas e sua relação com a depressão

Clique e encontre seu psicólogo !

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade.