sexologia

Sexologia: o que é e qual sua ligação com a psicologia?

  |  Tempo de leitura: 9 minutos

A sexologia, uma área que evoluiu muito nos últimos 150 anos, refere-se ao estudo científico e prático da sexualidade.

Academicamente, a sexologia abrange as ciências físicas, biológicas, psicológicas, comportamentais e sociais. Normalmente inclui o estudo de atitudes, interesses, comportamentos, desenvolvimento e problemas sexuais humanos.

Dentro da sexologia estudam-se e praticam-se tópicos de interesse. Inclui-se nisso o desenvolvimento psicossexual, identidade sexual e de gênero, saúde sexual, resposta sexual. Além disso, problemas sexuais, representados pelas disfunções sexuais e pelas parafilias.

O que é sexologia?

Sexologia é o estudo da psicologia humana e suas manifestações sexuais. A sexologia estuda todas as facetas da sexualidade. Desde o desenvolvimento sexual, até mecanismos de situações eróticas, comportamento sexual e apego emocional. Inclui-se aspectos fisiológicos, psicológicos, médicos, sociais e culturais. A sexologia também abrange assuntos específicos como abortos, controle de natalidade, abuso sexual, novas técnicas de reprodução ou saúde sexual.

O estudo científico do sexo e da sexualidade pode ser rastreado até o período grego clássico no mundo ocidental. Ainda mais cedo no mundo oriental. A sexologia nasceu no fim do século XIX quando três estudiosos alemães lançaram livros sobre o tema sexualidade.

Livros de sexologia

Os livros que marcam o início dos estudos sobre a sexualidade foram:

  • Psychopatia sexualis de Richard von Krafft-Ebing, lançado em 1886;
  • Libido sexualis de Albert Moll, lançado em 1897;
  • Estudos de psicologia sexual de Havelock Ellis, também lançado em 1897.

Ainda no fim do século XIX foi usada no campo de criminologia como uma forma de prevenir os comportamentos sexuais diferentes. Esses colocavam em risco o que era correto para a burguesia dominante da época. Assim, tratava o que eles consideravam “loucura sexual”, fosse ela criminosa ou apenas um comportamento sexual considerado diferente. Ao longo da história, a ênfase no estudo sexológico tendeu a se concentrar nos resultados do sexo, em vez da experiência da sexualidade.

Áreas focais específicas para o estudo da sexologia priorizaram principalmente a reprodução humana e a saúde sexual como tópicos de aprendizado e pesquisa. O estudo do amor, das emoções sexuais, das relações humanas, da resposta sexual humana, do comportamento sexual criminoso, da função sexual, do prazer sexual e da satisfação têm sido esforços relativamente recentes no estudo científico da sexualidade.

sexologia homem e mulher deitados na cama abraçados sorrindo

Sexo x sexualidade

Sexualidade não é sinônimo de sexo. A sexualidade está ligada à afetividade, a sua forma de ser e estar no mundo. Logo, são as suas sensações, emoções, experiências, relacionamentos, amores e prazeres. Sua dimensão é biopsicossocial, ou seja, é o bem-estar da vida, tanto biológico quanto psicológico e social.

A sexualidade é muito confundida com o sexo. Porém, o sexo são as características corporais que distinguem o feminino e masculino. Além disso, está ligado ao prazer do corpo, do ato sexual propriamente dito. Enquanto a sexualidade é além desse prazer físico, o prazer de viver a sua individualidade, a afetividade, o respeito, a boa comunicação.

Assim, a sexualidade é uma forma de ser e estar no mundo, construída social, histórica e culturalmente. Como coloca a Organização Mundial de Saúde (2002), a sexualidade é multidimensional. Influenciada pela interação de fatores biológicos, psicológicos, sociais, econômicos, políticos, culturais, éticos, legais, históricos, religiosos e espirituais.

O que é um sexólogo?

Um sexólogo trabalha em encontrar uma solução para uma dificuldade sexual responsável por um distúrbio ou sofrimento. O objetivo da terapia sexual é fomentar o desenvolvimento de uma sexualidade e relacionamento mais satisfatórios. Assim, ajuda os clientes a entender melhor a natureza de seus problemas e a encontrar ferramentas para garantir seu bem-estar.

Um sexólogo clínico se concentra no tratamento de disfunções sexuais, distúrbios e variações. Isso inclui principalmente 6 problemas sexuais comuns, como:

Por vezes, as causas desses problemas são apenas de origem psicológica. Outras vezes, há causas orgânicas, que por sua vez podem originar problemas psicológicos. Recomenda-se por isso consulta médica para exclusão, ou não, de causas orgânicas.

Os órgãos genitais e os órgãos dos sentidos são fundamentais, necessitam estar minimamente funcionais e de aprendizagem e treino. Entretanto, os nossos pensamentos, crenças e emoções influenciam o nosso bem-estar, inclusive o bem-estar sexual. Por isso as sessões de terapia sexual e tratamento decorrem através de conversas sobre as mais variadas questões relacionadas com a queixa, a sua história e o impacto na vida da pessoa e da relação. Estas questões permitem avaliar e simultaneamente intervir, esclarecendo, desafiando e sugerindo tarefas que serão feitas posteriormente num espaço e tempo preferenciais.

Plataformas como a Vittude podem facilitar a busca por um psicólogo que atenda a requisitos específicos para atender a todos que precisem de acompanhamento. Acesse nosso site e confira você mesmo todas as oportunidades oferecidas!

As ferramentas da sexologia

Um sexólogo clínico usará métodos de aconselhamento psicológico como técnicas cognitivas comportamentais para identificar mitos e crenças disfuncionais em torno da sexualidade. A educação sexual e aconselhamento de casais para capacitar os clientes a experimentarem a sexualidade de uma maneira diferente são exemplos disso.

A sexologia pode usar ferramentas de uma variedade de campos acadêmicos, incluindo biologia, psicologia, educação, sociologia, antropologia, criminologia, medicina, epidemiologia e neurologia.

Os sexólogos estudam e trabalham dentro de áreas especializadas no campo, incluindo desenvolvimento sexual ao longo da vida (sexualidade infantil, adolescente e envelhecida), relações sexuais, comportamento e atividade sexual, identidade e orientação sexual e também com grupos (culturas, pessoas com deficiência, adolescentes). O estudo da função sexual também faz parte do amplo termo sexológico, e pode incluir disfunções sexuais como anorgasmia, disfunção erétil, vaginismo e dor sexual, entre outras.

De onde nascem os problemas da sexologia?

A mera menção do sexo e da sexualidade humana continua a excitar e causar um estado de inquietação para a maioria, especialmente quando jogado na mistura da conversa cotidiana.

O sexo, que deveria ser visto de forma comum e absolutamente natural ao ser humano, foi transformado em um tabu. Isso é altamente prejudicial e leva a diversas questões não respondidas nos primeiros anos de vida.

A Organização Mundial de Saúde estabelece a saúde sexual como um direito e considera a satisfação sexual como sendo de grande importância para o bem-estar geral. O aconselhamento sexual é simplesmente mais um aspecto de uma prática cotidiana da psicologia. Embora o assunto possa não aparecer com frequência, ele certamente é fundamental para lidar com questões com base na experiência pessoal.

Por que procurar um terapeuta sexual?

Primeiro de tudo, é importante entender os seres humanos não existem em um mundo unilateral. Estamos quase sempre em relação com uma ou outra pessoa. Quer seja trabalho ou vida pessoal, há um fluxo sistêmico para quem você é e como você interage no mundo ao seu redor. Em seu relacionamento, as questões de sexo, intimidade, amor, carreira, saúde e vida em geral se somam contextualmente a quem você e seu parceiro são.

sexologia homem e mulher deitados na cama abraçados

Como terapeutas sexuais, muitas vezes é importante quebrar essas questões individuais e isolar as questões sexuais reais dos fatores de relacionamento. Embora seja difícil separar os dois, é exatamente isso que seu terapeuta sexual irá fazer. Para entender melhor as sequências de comportamento e padrões de interação em seu relacionamento, a terapia ajuda você a esclarecer quem você é e o que espera de seu parceiro. Seu relacionamento e vida sexual não são independentes um do outro.

Método da terapia sexual

No entanto, é importante ressaltar que corrigir seu relacionamento não significa necessariamente uma solução rápida para sua vida sexual. Há um método por trás da terapia sexual. Os modelos terapêuticos originais para a terapia sexual remontam a cerca de trinta anos. Ao escolher um terapeuta, certifique-se de que o médico escolhido tenha recebido uma educação adequada.

Sexólogos são muito mais propensos a ter uma compreensão abrangente de sua sexualidade e problemas de relacionamento do que um psicólogo comum. Terapeutas sexuais promovem um lugar seguro onde você pode se comunicar, entender e se concentrar em definir e curar as especificidades de seus problemas sexuais e de relacionamento, sob a orientação e direção de um profissional treinado.

A consulta com um sexólogo online pode ser individual e abordar as questões que cada pessoa julga serem importantes para si ou para o seu bem-estar com os/as parceiros/as.

Leia também:

Terapia sexual: o que é e quando devo procurar um terapeuta sexual?

Sexualidade e disfunções sexuais

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade.