Síndrome do intestino irritável pode ser psicossomática?

Síndrome do intestino irritável pode ser psicossomática?

5/5 - (2 votes)

  |  Tempo de leitura: 5 minutos
5/5 - (2 votes)

A síndrome do intestino irritável atrapalha o bem-estar de muitas pessoas. É muito importante ter consciência de que pode ser uma doença psicossomática, ou seja, causada por questões emocionais, o que apontam uma conexão direta entre a saúde mental e física do indivíduo.

Para entender os sintomas, causas e tratamentos disponíveis para esta síndrome, continue a leitura deste artigo e tire todas as suas dúvidas sobre o assunto.

O que é a síndrome do intestino irritável?

A síndrome do intestino irritável (SII) se caracteriza por uma inflamação das vilosidades intestinais. Os músculos da parede intestinal se contraem intensamente por mais tempo do que o normal, o que ocasiona a alteração dos movimentos intestinais.

Os sintomas costumam aparecer na adolescência ou juventude, sendo bem raro surgirem pela primeira vez depois dos 50 anos de idade. A estimativa é que de 10% a 20% das populações dos países sejam diagnosticas com a síndrome. Os dados também apontam que as mulheres estão mais propensas a desenvolver o problema.

Os principais sinais são:

  • desconforto abdominal;
  • excesso de gases;
  • aumento do número de evacuações por dia;
  • diarreia;
  • inchaço abdominal;
  • prisão de vente.

Um ponto importante é que os sintomas devem estar presentes por pelo menos 12 semanas (consecutivas ou não).

Quais são as causas da síndrome do intestino irritável?

As causas da síndrome não são totalmente conhecidas, mas já é de conhecimento da medicina que alguns fatores podem desencadear a doença:

Questões emocionais e transtornos mentais

O estresse é uma das principais causas dessa síndrome, pois provoca alterações no sistema digestivo. Além disso, indivíduos ansiosos, depressivos ou com outros transtornos mentais têm mais chances de desenvolver a doença, pois tem características psicossomáticas e está muito conectada às emoções.

Alimentos específicos

Além das questões emocionais, é válido ter consciência de que alguns alimentos podem provocar a irritação:

  • trigo;
  • laticínios;
  • frutas cítricas;
  • couve;
  • leite;
  • refrigerantes;
  • feijão.
Síndrome do intestino irritável pode ser psicossomática?

Outras possíveis causas

Por fim, confira outras possibilidades de causas:

  • inflamação no intestino: algumas pessoas com a síndrome têm um número maior de células do sistema imunológico no intestino, o que pode causar dor, diarreia e flatulência;
  • infecções graves: fatores externos também são capazes de desencadear a doença, como uma crise grave de gastroenterite;
  • alteração na microbiota intestinal: o equilíbrio dos micro-organismos do trato gastrointestinal são responsáveis por manter a integridade da mucosa que o reveste e o crescimento excessivo de bactérias no intestino está relacionado à síndrome.

Quais outros gatilhos que podem desencadear ou agravar a doença?

Além da alimentação e da saúde mental, existem outros fatores que podem contribuir para o surgimento ou agravamento da síndrome. Entre eles:

  • hormônios: as mulheres têm maiores chances de desenvolver a síndrome, por isso, há uma relação entre a mesma e os hormônios femininos;
  • histórico familiar: a genética tem um papel importante no surgimento da doença;
  • má qualidade de vida: hábitos alimentares ruins, como o consumo de muitas comidas fritas, gordurosas ou condimentadas pode influenciar o quadro da síndrome. Além disso, tomar pouca água também não é bom.

Como é o diagnóstico e o tratamento da síndrome?

Síndrome do intestino irritável pode ser psicossomática?

O diagnóstico é realizado pelo médico que analisa os sintomas e, se necessário, pode orientar a realização da colonoscopia, tomografia computadorizada, estudo das fezes e exames de sangue para descartar outros problemas de saúde que possam apresentar sintomas semelhantes.

A síndrome do intestino irritável não tem cura, mas pode ser controlada. O tratamento deve ser orientado de acordo com a causa identificada da doença. Entre as medidas mais comuns, estão:

Medicação

Em alguns casos, o gastroenterologista pode indicar o uso de medicamentos para amenizar e controlar sintomas da doença. Em nenhuma hipótese se automedique.

Psicoterapia

Quando a saúde mental está relacionada à doença, além de ir ao médico, é fundamental garantir o acompanhamento psicológico. A terapia irá ajudar a identificar questões emocionais que precisam ser trabalhadas para amenizar o quadro e construir estratégias de enfrentamento.

Quadros de ansiedade, estresse, depressão e outros transtornos necessitam o auxílio de um psicólogo para que a pessoa aprenda a lidar com aquilo que gera desconforto. Além disso, técnicas de respiração, meditação e mindfulness também são muito indicadas.

Alimentação

Em alguns casos, também pode ser necessário consultar um nutricionista, profissional que será capaz de ajudar a identificar alimentos e bebidas que agravam a síndrome. Dessa forma, ele será responsável por montar uma dieta equilibrada que contribua para a diminuição dos sintomas.

Identificou sintomas da síndrome do intestino irritável? Procure ajuda!

Caso você tenha identificado sintomas da doença no seu corpo, procure por ajuda médica e psicológica o quanto antes. Não permita que o quadro se agrave: viva com mais bem-estar e qualidade de vida.

Para mais conteúdos como este, acompanhe o blog da Vittude!

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta