Saiba para quem é indicada a terapia de aceitação e compromisso

Saiba para quem é indicada a terapia de aceitação e compromisso

  |  Tempo de leitura: 10 minutos

A Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) já existe há um tempo, mas já sofreu algumas mudanças com o passar dos anos. A terapia de aceitação e compromisso é uma das abordagens dentro da esfera cognitivo comportamental e foi desenvolvida na terceira onda das TCCs.

Entre tantas abordagens dentro da psicologia, é muito importante conhecer as peculiaridades das principais para entender qual é a ideal para você. Afinal, essa escolha pode influenciar bastante a sua experiência com a psicoterapia.

Neste artigo, você poderá aprender mais sobre a terapia de aceitação e compromisso, como ela funciona e para quem é indicada. Continue a leitura para conferir!

O que é a terapia de aceitação e compromisso?

A terapia de aceitação e compromisso, também conhecida como ACT, foi desenvolvida por Steven C. Hayes. Seu principal pilar é a prática da atenção plena, pois tem como objetivo ajudar o paciente a ter maior consciência das suas emoções e pensamentos para, assim, ser capaz de reagir de acordo com os seus valores.

A ACT enxerga a pessoa presa a estratégias psicológicas disfuncionais, ou seja, alguém que não reage bem às frustrações e sempre procura evitar a dor. Nesses casos, o psicólogo realiza uma intervenção para que o paciente consiga aceitar as próprias emoções e fortalecer o seu compromisso com os seus valores, ou seja, o que ele valoriza em sua vida.

Dessa forma, esse tipo de terapia comportamental ensina o indivíduo que é possível atingir os seus objetivos a partir dos seus sentimentos. O sofrimento diminui a capacidade da pessoa se comportar de várias maneiras, pois é visto como uma inflexibilidade psicológica. Ao fugir dos sentimentos que causam dor e sofrimento, ele para de agir e buscar alternativas para a resolução das suas questões.

Um ótimo exemplo é imaginar alguém que sofreu uma grande decepção amorosa e, por isso, começa a evitar novos relacionamentos. Seus principais comportamentos apontam desinteresse em conhecer novas pessoas e, ao mesmo tempo, reclamar da solidão. Isso acontece porque é criado um círculo de sofrimentos e ela deixa de ter comportamentos que trariam satisfação.

Nesse caso, a terapia de aceitação e compromisso focaria em trabalhar a aceitação destes sentimentos para que, posteriormente, fosse possível ter comportamentos coerentes com o que a pessoa deseja para a sua vida.

Portanto, é uma abordagem focada em três áreas:

  1. aceitação da realidade e das reações comportamentais e emocionais;
  2. escolha de uma direção de acordo com os valores da pessoa;
  3. comprometimento com a mudança.

Quais são os principais conceitos da ACT?

Em seguida, confira quais são os principais conceitos da terapia de aceitação e compromisso e que guiam o trabalho do psicólogo que trabalha a partir desta abordagem:

Aceitação

Coisas desagradáveis e tristes não são fáceis de serem aceitas e lutar contra os sentimentos negativos nem sempre é o caminho para melhorar a situação. A ACT, portanto, aponta que o melhor caminho é a aceitação do que se está sentindo para, assim, buscar formas de trabalhar e resolver as questões.

Desfusão cognitiva

Trata-se de um processo contrário à fusão cognitiva, ou seja, é sobre uma pessoa mudar a maneira que interage com os seus pensamentos e sentimentos, deixando de vivenciá-los como realidade. Isso significa que quando se tem um pensamento negativo, por exemplo, o indivíduo pode aceitá-lo como a realidade ou se dar conta de que é somente um pensamento e não uma verdade, um fato dado.

Contato com o presente

A atenção plena é um dos pilares da terapia de aceitação e compromisso, pois o contato com o momento presente é fundamental para se lidar com determinados problemas. Quando a pessoa é capaz de pensar com clareza sobre o que está acontecendo, consegue identificar pensamentos e sentimentos como eventos psicológicos subjetivos e não como parte da realidade.

Além disso, o foco no presente contribui para a mudança de comportamentos para que as atitudes da pessoa estejam mais alinhadas aos seus valores e forma de enxergar a vida.

Saiba para quem é indicada a terapia de aceitação e compromisso

Eu como contexto

Ninguém age da mesma maneira o tempo todo, pois o ser humano muda conforme o contexto no qual está inserido. Mesmo que se tenha valores que direcionam suas escolhas e a forma de agir, as atitudes de uma pessoa podem variar de acordo com a situação e o seu momento de vida.

A ideia de um “eu” rígido e cristalizado pode ser muito nociva e gerar sofrimentos, por isso, é importante ter clareza sobre a ideia de que quem você é depende do que você viveu e está vivendo no momento. Um exemplo: só porque você age de forma agressiva às vezes, não significa que seja uma pessoa totalmente agressiva o tempo todo.

Tudo isso é importante, porque entender que quem somos e o que fazemos depende do contexto no qual estamos ajuda na aceitação da realidade.

Compromisso

A disposição ao compromisso é outro conceito fundamental na ACT, pois somente quando a pessoa se compromete com a terapia e em mudar seus comportamentos é que pode sentir os benefícios.

Segundo a terapia de aceitação e compromisso, o que pode causar o sofrimento?

Em seguida, confira o que a terapia de aceitação e compromisso acredita que são as possíveis causas do sofrimento humano com o qual muitas pessoas não conseguem lidar da melhor forma:

Fusão cognitiva

É um estado no qual o indivíduo está fundido em seus sentimentos e pensamentos, ou seja, ele passa a interpretar o que pensa e sente como aquilo que está acontecendo de fato. Isso significa que ele não se atenta realmente à realidade e vive de acordo com o que se passa na sua cabeça e não com o que se passa no mundo real.

A fusão cognitiva, apesar de um fenômeno natural da psique, pode ser prejudicial quando há distorções negativas dos acontecimentos.

Esquiva experiencial

Trata-se de da tendência que as pessoas têm de evitar situações que acham que podem ocasionar desconforto psicológico por meio de pensamentos negativos e autodepreciativos.

Um exemplo de esquiva experiencial é aquela pessoa que deixa de ir à praia com os amigos e familiares porque acha que será julgada pelo seu corpo. Assim, para evitar os pensamentos, deixa de viver boas experiências com entes queridos.

Falta ou confusão em relação aos seus valores

Os valores estão relacionados àquilo que uma pessoa valoriza em sua vida. Eles dão sentido e direção, auxiliando em momentos de decisões e em que é necessário tomar uma ação.

Um indivíduo pode ter valores diversos em várias esferas de sua vida, como trabalho, relacionamentos, saúde etc. Porém, quando alguém entra no estado de fusão cognitiva com frequência, é comum que se esqueça de seus valores e tome decisões desalinhadas àquilo que acredita e valoriza para si mesmo.

Conceito rígido de si mesmo

Saiba para quem é indicada a terapia de aceitação e compromisso

O conceito rígido de si mesmo diz respeito ao fato de que as pessoas tendem a enxergar umas às outras como constantes, estáveis ou rígidas. Isso significa que usam certos adjetivos para descreverem a si mesmas como se ao longo de todo a vida fossem apenas aquilo.

Com isso, alguns rótulos acabam definindo uma pessoa e, infelizmente, isso pode ser bem danoso para a saúde mental.

Como funciona a terapia de aceitação e compromisso?

A ACT visa aumentar a flexibilidade psicológica. Isso significa aumentar a habilidade de entrar em contato com o momento presente e as suas reações psicológicas para, assim, manter ou mudar comportamentos de acordo com os valores da pessoa.

Um dos aspectos fundamentais desse tipo de terapia é a aceitação, ou seja, parar de lutar o tempo todo contra sentimentos ruins, como ansiedade, raiva e medo. O ideal é permitir que surjam, observá-los e deixá-los passarem, pois assim se desenvolve uma ação mais consciente em relação a eles.

Infelizmente, o mundo atual tem uma espécie de repulsa contra a tristeza e as pessoas acreditam que se estão sofrendo, há algo de errado com elas. Por isso, a tendência é que todos procurem evitar tais sentimentos e não encará-los quando aparecem.

A partir desta perspectiva, a ACT trabalha a ideia de que ter sentimentos negativos é normal, faz parte de vida, e o mais indicado é aceitá-los e encará-los, afinal, assim é possível ter atitudes mais coerentes e alinhadas àquilo que a pessoa deseja para a sua própria vida.

Como acontecem as sessões de ACT?

É comum que o psicólogo comece perguntando ao paciente sobre o seu histórico de vida e como está se sentindo no momento. Ao longo deste processo, irá ajudá-lo a entender quais são as áreas mais problemáticas atualmente e em quais gostaria de focar.

Por meio de algumas técnicas, o psicólogo tentará identificar a relação que o paciente tem com seus pensamentos e sentimentos e como esta relação influencia a sua forma de agir. O objetivo é prepará-lo para que ele fique mais atento quando emoções e pensamentos negativos o atingirem e saiba como responder de maneira mais positiva.

Alguns terapeutas podem incentivar a escrita de um diário para auxiliar no processo de identificação de reações e sentimentos. Isso é muito útil para entender padrões de comportamentos, pensamentos e emoções e como tudo isso impacta o bem-estar do indivíduo.

Para quem é indicada a terapia de aceitação e compromisso?

Muitas pessoas podem se beneficiar da terapia de aceitação e compromisso, ou seja, não é necessário ter o diagnóstico de uma doença mental para ter bons resultados.

Ela costuma ser indicada para o tratamento de vários transtornos psiquiátricos, entre eles: depressão, transtornos de ansiedade, de humor, alimentares, de personalidade. Além disso, também é útil para tratar outras questões, por exemplo, dores crônicas, obesidade, estresse, automutilação e tabagismo.

É importante ressaltar que o tratamento pode ser bem desafiador, pois a pessoa precisa estar disposta a se relacionar com seus sentimentos e pensamentos para, então, conseguir colocar em prática uma vida alinhada aos seus valores.

O sucesso da ACT, portanto, depende muito da participação ativa e do compromisso do paciente ao longo de todo o processo. Trata-se de uma abordagem recente, mas com resultados comprovados cientificamente e que é classificada como uma prática psicológica baseada em evidências.

Encontre o seu psicólogo e comece a terapia

A terapia não é indicada somente para pessoas com transtornos mentais, mas qualquer um que tenha vontade de aprofundar o seu autoconhecimento, ter mais qualidade de vida e se sentir mais preparado para lidar com as adversidades da vida.

A terapia de aceitação e compromisso é apenas uma das linhas teóricas da psicologia. Para encontrar o seu psicólogo ideal, defina qual é a melhor abordagem para você e escolha entre as modalidades online ou presencial. Não há mais desculpas para deixar de cuidar do seu bem-estar!

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta

Avalie esse artigo:

Comentários:

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Artigo publicado em Psicoterapia