Todos

Como desenvolver habilidades para aumentar a empregabilidade?

Saber como desenvolver habilidades para elevar a sua empregabilidade é fundamental se você deseja se manter atualizado e apto para atender às necessidades do mercado de trabalho.

Diferentemente do que muitos acreditam, não basta apenas ter um conhecimento técnico robusto dentro da sua área de atuação. Também é fundamental aprimorar habilidades emocionais a fim de se tornar um profissional muito mais preparado para os desafios do presente e do futuro.

Ao longo deste artigo, vamos ajudar você a entender como desenvolver habilidades para evoluir a sua empregabilidade, principalmente com foco nas soft skills. Continue a leitura para conferir!

O que é empregabilidade?

A empregabilidade é a capacidade que um indivíduo tem de se manter relevante e atrativo para o mercado. Uma forma ainda mais simples de entender é pensar no quão “empregável” você é.

Quem tem um bom índice de empregabilidade não costuma ficar sem oportunidades de trabalho por muito tempo. Para isso, é necessário estar em evolução contínua com o objetivo de desenvolver habilidades que são desejadas em empresas e cargos que são do seu interesse.

No caso de quem está buscando um emprego, saber como desenvolver competências para aumentar a empregabilidade é importante para se tornar um profissional cobiçado pelos recrutadores. 

Ao mesmo tempo, quem já conquistou a sua vaga, precisa manter o seu emprego, o que também não é tarefa simples. Nesse caso, é fundamental aprimorar o seu conhecimento a fim de se tornar um funcionário ainda mais valioso para a empresa. 

Assim, é possível garantir o seu emprego e aumentar as chances de ser reconhecido com promoções e prêmios.

O que influencia a empregabilidade?

Alguns fatores impactam a empregabilidade, sendo os principais pontos de atenção:

1. Formação acadêmica

As organizações tendem a priorizar quem investe na qualificação acadêmica. Por isso, além da graduação, são bem-vindos outros tipos de capacitação, como pós-graduação, doutorado, mestrado ou cursos livres de curta duração.

O importante é, independentemente do formato, realizar formações que agreguem experiência, conhecimento e competências que aumentem a empregabilidade.

2. Perfil profissional

Além das habilidades necessárias para atender aos requisitos de uma determinada vaga, também é preciso ter um perfil adequado à cultura e aos objetivos da empresa.

3. Experiência de mercado

Nem sempre é um fator determinante, mas a experiência de mercado costuma ser desejada pelos recrutadores, sendo um fator que impacta a empregabilidade principalmente de profissionais mais velhos.

4. Rede de relacionamentos

Por fim, ser capaz de construir e fortalecer bons relacionamentos com outros profissionais, sejam estes de níveis hierárquicos mais altos, iguais ou mais baixos, também é um ponto essencial em termos de empregabilidade.

Afinal, a qualidade das relações influencia o clima organizacional e o ideal é que os colaboradores contribuam entre si para um dia a dia harmonioso e equilibrado.

Como aumentar a empregabilidade?

Uma boa empregabilidade é fundamental para ser notado pelos recrutadores e se manter relevante em um mercado tão disputado. 

Em seguida, confira algumas dicas para se tornar um profissional desejado:

1. Autoconhecimento

O autoconhecimento é importante para fazer escolhas direcionadas, com mais chances de retorno positivo. Antes de tomar qualquer decisão em relação à sua carreira é preciso saber:

  • Do que você gosta e não gosta de fazer?
  • No que você é bom?
  • Quais são os seus valores e princípios dos quais não abre mão?

A partir dessas respostas, é possível entender os caminhos que fazem mais sentido, seja em termos de área de atuação e ou de perfil da empresa.

Lembrando que processos de autoconhecimento são densos e profundos e, em muitos casos, exigem o acompanhamento profissional. A terapia, por exemplo, pode ser uma grande aliada, capaz de te ajudar no entendimento do que faz sentido para a sua vida hoje e no futuro.

2. Conheça o mercado no qual deseja atuar

Quando você já tem mais clareza sobre o que deseja para si mesmo, o próximo passo é se aprofundar no mercado no qual deseja atuar. Para isso, é necessário:

  • Pesquisar empresas do setor;
  • Ter conhecimento sobre as competências que são exigidas de profissionais da área;
  • Acompanhar tendências do segmento.

3. Cuide da saúde integralmente

A empregabilidade tem relação direta com a saúde.

Uma pessoa que está se sentindo mal, seja por uma questão física ou mental, tem menos chances de se sair bem em uma entrevista ou de executar um bom trabalho em seu emprego.

No que diz respeito à saúde física, é necessário cuidar do sono, da alimentação, da prática de exercícios físicos e outros pontos que interferem diretamente no funcionamento do corpo. 

Já em termos de saúde mental, é fundamental cuidar de tudo aquilo que, por qualquer motivo que seja, gera alguma perturbação na mente. O acompanhamento psicológico é recomendado, mas, além disso, é importante ter hobbies, bons relacionamentos, entre outros hábitos saudáveis.

Entenda melhor como a empregabilidade se relaciona com a saúde mental.

4. Invista em capacitação

A capacitação é um dos pontos-chave da empregabilidade.

Independentemente de qual for a vaga, deve exigir (em maior ou menor grau), um nível de conhecimento que pode ser adquirido de diversas formas. 

Ter tempo e dinheiro para investir em treinamentos, cursos e eventos com foco em desenvolver habilidades técnicas e emocionais em prol da empregabilidade é importante para se tornar um profissional mais relevante para as oportunidades do mercado.

5. Foque na sua marca pessoal

Como as pessoas te enxergam? O que pensam sobre você quando o seu nome surge em uma roda de conversa?

A maneira que os outros te veem é impactada pela sua forma de agir, falar e se posicionar. Isso é a sua marca pessoal.

Ter clareza sobre como você quer ser visto para trabalhar boas estratégias para se vender (direta ou indiretamente) é fundamental. Ao transmitir conhecimento, confiança e profissionalismo, a tendência é que você se torne ainda mais cobiçado pelo mercado.

6. Cultive uma rede de relacionamentos

Por fim, o networking é outro ponto capaz de aumentar a empregabilidade.

Muitas contratações acontecem por meio de indicações entre profissionais, por isso, quanto maior for a sua rede de contatos, mais possibilidades surgirão.

E isso não vale apenas para quem está procurando um emprego. Até mesmo quem já está estabelecido no mercado precisa manter o networking vivo, afinal, é uma forma de trabalhar em prol de oportunidades de ascensão internas ou em outras organizações.

Como desenvolver habilidades para elevar a empregabilidade?

Cada indivíduo precisa entender, de acordo com os seus objetivos e as necessidades do mercado, quais habilidades devem ser priorizadas.

As hard skills, ou seja, as habilidades técnicas, variam muito de acordo com a área de atuação. O que é mais geral para todos os profissionais são as soft skills.

Hoje em dia, por exemplo, os recrutadores procuram por pessoas com inteligência emocional, algo que com certeza eleva o índice de empregabilidade. Não adianta mais ser apenas um excelente profissional tecnicamente.

Também é necessário ter habilidades emocionais como:

Desenvolver habilidades para aumentar a empregabilidade, no entanto, não é tão óbvio e simples como as hard skills, afinal, envolvem questões emocionais. Mas a boa notícia é que é possível treiná-las para se tornar um profissional ainda mais completo.

Em seguida, confira algumas dicas para se fazer isso:

1. Aprofunde o autoconhecimento

Existem várias formas de se fazer um mergulho dentro de si mesmo. 

A terapia é uma grande aliada porque, ao longo das sessões, você entende melhor os seus gatilhos, a reconhecer e controlar as emoções e, é claro, a criar estratégias para lidar melhor com os desafios e adversidades.

Assim, com o tempo é possível aprimorar habilidades como a inteligência emocional.

2. Peça feedbacks

Converse com amigos e familiares para entender a visão que eles têm sobre você.

Nessas conversas, é bem provável que eles tragam percepções relacionadas às habilidades emocionais sobre as quais você não se dá conta ou que não concorda. Coloque tudo na mesa, reflita e pense sobre quais são os possíveis pontos cegos que os outros estão enxergando, mas você não.

Lembre-se de não assumir tudo o que dizem como verdade absoluta. Vale questionar!

Colha os feedbacks como uma forma de se tornar uma pessoa mais consciente sobre si e continuar evoluindo.

3. Pratique a autopercepção

As habilidades emocionais não são aprendidas apenas com a leitura de um livro ou a realização de um curso. É preciso muita dedicação e tempo para ver mudanças.

Por isso, a autopercepção é tão importante. Você deve prestar muita atenção em si mesmo, analisando como você reage a determinadas situações, quais emoções te atingem e como você lida com elas.

Em momentos de raiva, medo ou angústia, qual é a sua primeira reação? Você dá espaço para o seu lado racional?

Começar a perceber tudo isso é um primeiro passo importante, pois é a partir desse diagnóstico que você entende onde é preciso colocar mais esforço para ver as mudanças de comportamento e mentalidade acontecerem.

Por que investir na terapia para aumentar a empregabilidade?

Ao longo do artigo, ficou claro que vários fatores influenciam o quão “empregável” uma pessoa é.

Além da importância do conhecimento técnico atrelado à sua área de atuação, é importante desenvolver habilidades emocionais para aumentar a empregabilidade.

A terapia é uma ferramenta extremamente valiosa pelo fato de que promove autoconhecimento e ajuda a aprimorar muitas habilidades, entre elas:

  • Capacidade de resolução de conflitos: a partir do entendimento das suas dores e desafios, compreender como lidar de maneira mais saudável com o que te aflige;
  • Inteligência emocional: conseguir reconhecer e controlar as suas emoções sem se deixar levar por explosões descontroladas em momentos difíceis;
  • Autoconfiança: se sentir seguro de quem se é, de onde você deseja chegar e ter consciência sobre o seu potencial e capacidades;
  • Empatia: se colocar no lugar do outro, conseguindo enxergar conflitos, dores e desentendimentos a partir da ótica da outra pessoa;
  • Resiliência: ser capaz de se automotivar e continuar firme e focado, sem sucumbir ao desespero em situações desafiadoras.

É claro que o processo não acontece da noite para o dia, mas ao encontrar um(a) psicólogo(a) capacitado e com o qual você se identifique, aos poucos você vai enxergar a sua evolução.

E, assim, você se sentirá muito mais preparado para os desafios da empregabilidade, seja para conquistar uma oportunidade nova no mercado ou para continuar evoluindo no emprego atual. 

Pessoas inteligentes emocionalmente são o “pote de ouro” dos recrutadores e, por isso, quanto mais investimento nessas habilidades, maior será o seu crescimento profissional.

Para começar agora a focar no seu desenvolvimento emocional, conte com a Vittude. Na nossa plataforma, você encontra psicólogos(as) que realizam atendimentos online ou presenciais. Clique aqui para saber mais!

Bruna Cosenza

Escritora, produtora de conteúdo freelancer e LinkedIn Top Voice 2019. Autora de "Sentimentos em comum" e "Lola & Benjamin", escreve para inspirar as pessoas a tornarem seus sonhos reais para que tenham uma vida mais significativa.

Recent Posts

Tristeza: entenda as causas e aprenda a lidar com esse sentimento

Aprender como lidar com a tristeza é fundamental para construir uma vida mais saudável e…

1 mês ago

Motivação: 7 Estratégias para se manter inspirado em qualquer situação

Entenda o que é a motivação e quais fatores internos e externos influenciam essa força…

1 mês ago

Benefícios dos exercícios de mindfulness + 5 exemplos para incluir na sua rotina

Os exercícios de mindfulness são uma ótima estratégia para encontrar um pouco de paz, silêncio…

2 meses ago

Qual é a relação entre saúde mental e qualidade de vida?

Entenda como saúde mental e qualidade de se relacionam e confira hábitos que você deve…

3 meses ago

Quais são os efeitos colaterais de medicamentos psiquiátricos?

Entenda quais são os efeitos colaterais que podem ser causados por medicamentos psiquiátricos e tire…

3 meses ago

Técnicas de relaxamento para ansiedade: 8 dicas para aliviar crises

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil tem a maior prevalência…

3 meses ago