Motivação: 7 Estratégias para se manter inspirado em qualquer situação

A motivação é um fator muito importante para que um ser humano se mantenha firme em direção aos seus objetivos, sejam estes de esfera pessoal ou profissional.

Ao longo da vida, várias adversidades cruzam o caminho de uma pessoa e, diante disso, é preciso paciência e resiliência para não desistir.

Mas, afinal, o que é a motivação e quais fatores internos e externos a influenciam? E como recuperar essa força interior mesmo nos momentos mais dolorosos e complexos? As respostas para todas essas perguntas estão neste artigo, leia até o final para conferir!

O que é a motivação?

A motivação é uma espécie de impulso que faz com que um indivíduo aja em prol dos seus objetivos e dê o melhor de si, fazendo o possível para conquistar o que almeja.

Sem a motivação, fica bem mais difícil cumprir com as responsabilidades, como trabalhar, estudar, fazer exercícios físicos etc. Cada pessoa pode se sentir motivada por algo em específico, por exemplo, dinheiro, prestígio, bem-estar, fama… São muitos fatores que variam de acordo com o perfil e as preferências individuais.

De acordo com Abraham Maslow, os seres humanos se motivam quando as suas necessidades são supridas de maneira hierárquica. Ele organizou tais necessidades da seguinte forma:

  • Realizações pessoais: criatividade, talento, desenvolvimento pessoal;
  • Estima: reconhecimento, status, autoestima;
  • Social: amor, amizade, família, comunidade;
  • Segurança: da família, do corpo, da propriedade;
  • Fisiológicas: comida, abrigo, água, sono;

Na base da pirâmide estão as necessidades mais urgentes (fisiológicas), relacionadas à sobrevivência básica e, no topo, estão as realizações pessoais. Isso significa que, de acordo com Maslow, as pessoas só perseguem as realizações pessoais quando as necessidades anteriores, de fisiologia, segurança, social e estima, estão contempladas.

Interessante entender como, de uma forma geral, funcionam as motivações humanas, não é mesmo?

Quais fatores influenciam a motivação?

Vários aspectos podem interferir positiva ou negativamente na motivação de uma pessoa.

Por mais que isso possa variar de acordo com a personalidade e a realidade de cada um, há alguns fatores mais gerais que podem ser levados em consideração. São eles:

1. Falta de clareza sobre propósito

O que faz o seu coração vibrar mais forte? Isso pode ser um grande sinal em relação àquilo que te motiva de verdade.

Muitas pessoas se sentem desanimadas em relação às tarefas e obrigações do dia a dia porque não enxergam um porquê por trás de tudo o que fazem.

Sem um trabalho que te conecte a algo que faz sentido e sem hobbies que proporcionam verdadeiro prazer, é bastante comum acabar caindo no limbo da desmotivação.

Por outro lado, se você tem consciência sobre o que te faz bem e feliz, fica muito mais fácil se sentir motivado, não é mesmo? Portanto, gaste um tempinho investindo em autoconhecimento, pois faz uma enorme diferença..

2. Hábitos

Os seus hábitos diários também podem estar interferindo nos níveis de motivação.

A prática regular de exercícios físicos, por exemplo, é capaz de auxiliar no bem-estar e na redução da ansiedade e de sintomas depressivos. Visto que a liberação de endorfina gera uma sensação de felicidade, isso faz muito bem para a autoestima e a autoconfiança.

Outros hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e uma boa rotina de sono também auxiliam a saúde física e mental como um todo. E é claro que isso tem um impacto na motivação, afinal, é difícil sentir essa força interior quando você está cansado, doente e sem disposição, não é mesmo?

Vale pensar também sobre seus hobbies e como eles podem ser incluídos na sua rotina, pois além de ser um momento de relaxamento e prazer, essas atividades são capazes de auxiliar a criatividade e o bem-estar de forma geral. Dessa forma, você se sente até mais energizado para as demais tarefas e obrigações do dia a dia.

3. Crenças limitantes

Nem tudo o que você pensa é verdade, alguns pensamentos são apenas crenças limitantes.

As crenças por si só são baseadas na maneira que interpretamos a realidade, ou seja, são o significado que damos para vivências e pensamentos. E como cada pessoa está inserida em um contexto diferente, os sistemas de crenças formados também são variados. Por isso, ninguém pensa e age da mesma forma.

Essas crenças podem ser funcionais ou disfuncionais. As crenças limitantes são aquelas caracterizadas por uma visão distorcida e equivocada da realidade, sendo capazes de gerar pensamentos automáticos.

Basicamente, se trata de uma leitura do mundo que não condiz com a realidade tal qual ela é, o que gera sentimentos e atitudes disfuncionais para a vida da pessoa, ou seja, que não a ajudam.

Quando você diz e acredita que não seja competente no que faz no seu trabalho, por exemplo, isso ocasiona pensamentos como “não sou capaz”, “não sei fazer nada”, “não sou útil”. Consequentemente, você duvida do seu próprio potencial e, se o ciclo não for interrompido de alguma forma, continuará acreditando nisso para sempre.

Percebe, então, como essas crenças limitantes são capazes de “cegar” a pessoa e atrapalhar significativamente a motivação? Se você não confia em si mesma, automaticamente não se sente motivada para fazer aquilo no qual acredita que seja ruim ou insuficiente.

O autoconhecimento é uma ferramenta fundamental aqui, pois é capaz de auxiliar nesse entendimento das crenças limitantes a fim de evitar que você entre em um looping nocivo.

4. Padrões da sociedade

Por fim, os padrões impostos pela sociedade também são um grande fator de influência na motivação de qualquer indivíduo.

Ao longo dos anos, foram criados modelos que ditam o que é e não é tido como sucesso. Muitas vezes, ao invés de serem uma fonte de motivação, esses modelos se tornam apenas um poço de frustração.

Alguns exemplos muito comuns, que afetam de forma significativa a vida das pessoas são:

  • A ânsia pelo sucesso profissional precoce, que afirma que é preciso ter encontrado todas as respostas na carreira e ganhar muito dinheiro antes dos trinta anos de idade;
  • A necessidade de se casar e ter filhos para alcançar a realização e a plenitude;
  • As imposições de padrões de beleza inatingíveis, principalmente para as mulheres.

Nem todo mundo consegue se encaixar nesses e em outros padrões e, com isso, se sentem deslocados, o que pode ser um aspecto que impacta negativamente essa força interior, ou seja, o impulso para ir atrás dos seus objetivos e desejos.

7 dicas para se manter motivado

Manter a motivação lá em cima não é sempre uma tarefa fácil, afinal, quando os obstáculos e adversidades cruzam o nosso caminho, se não houver resiliência pode ser bem complicado seguir adiante com seus objetivos.

Confira, em seguida, algumas orientações importantes para implementar no seu dia a dia e conseguir se sentir mais motivado:

1. Visualize seus objetivos.

A visualização é uma poderosa e cientificamente testada ferramenta que funciona em um nível subconsciente.

Quando você definir um objetivo, tente visualizar as coisas que você pode ver, sentir e ouvir quando você atingir seu objetivo (por exemplo, os aplausos e os cumprimentos de seus colegas depois de ter apresentado uma excelente apresentação).

Muitos atletas de sucesso usam esta técnica para se motivar. Eles conseguem visualizar o seu desempenho com antecedência. Fazem isso de forma tão detalhada que chegam a sentir o cheiro do suor pingando de seu rosto quando cruzam a linha de chegada.

Em um experimento foi conduzido com atletas, alguns foram convidados a correr e outros foram a visualizar ‘como se’ estivessem correndo. Surpreendentemente os músculos dos atletas que visualizaram responderam da mesma maneira que as pessoas que realmente correram, mostrando que o cérebro não pode claramente diferenciar entre realidade e visualização forte.

O cérebro percebe que a experiência visualizada é real e organiza a química e a fisiologia do corpo para reagir de acordo. Portanto, sempre mantenha seus objetivos em mente.

Visualize seus objetivos. Imagine-se sorrindo ao concluir um projeto.

2. Examine as razões da sua motivação

Conheça as razões específicas pelas quais você deseja atingir um objetivo específico e escreva-as.

Por exemplo, se você quer alcançar algo para seus entes queridos, este pode ser um motivador poderoso, já que você não está apenas motivado pelo interesse próprio. Embora o interesse pessoal seja um bom motivador, querer realizar um objetivo que não esteja relacionado apenas ao interesse próprio pode ter mais impacto para sustentar a sua motivação por um longo tempo.

  • Quais são os maiores benefícios para mim se eu atingir o meu objetivo?
  • O que mudará positivamente na minha vida se eu atingir essa meta?
  • Como minha vida mudará quando eu conseguir isso?
  • Como vou me sentir e como será o meu futuro se eu conseguir isso?
  • Que tipo de pessoa posso me tornar se eu conseguir isso?

3. Aceite seus erros

O caminho para alcançar o sucesso pode não ser fácil, com vários obstáculos. Você provavelmente vai cometer erros durante o processo.

Em vez de ser muito crítico por conta desses equívocos, use o processo como uma oportunidade de aprendizado. Não permita que um pequeno erro comprometa o atingimento da sua meta e gere estresse.

Use-os como oportunidades para aprender o que não fazer no futuro. Todo mundo comete erros!

Na verdade, os campeões falham ainda mais porque eles estabelecem metas mais elevadas do que pessoas que escolhem estar na zona de conforto. A única diferença é como eles tratam suas falhas – pessoas de sucesso aprendem com os erros e se tornam mais fortes para continuar.

No mundo empresarial é sabido que muitos nomes de sucesso já passaram pela falência, erraram em suas primeiras tentativas e precisaram começar tudo de novo. Fizeram isso usando seus erros iniciais como fonte de sabedoria e construíram negócios brilhantes.

4.Estabeleça metas menores

Estabelecer objetivos muito grandes pode comprometer o processo e gerar ansiedade

Por isso, quebre seu objetivo principal em metas menores, definindo um prazo para cada um. Por exemplo, se seu objetivo for começar a correr e completar uma corrida de 10km, comece estabelecendo metas como caminhar 3x por semana, correr 3km sem caminhar, completar uma prova de 5km, até chegar aos 10km. 

Quebrar uma enorme tarefa em menores tornará o processo mais gerenciável e ajudará a evitar os níveis de estresse que podem prejudicar a motivação. Transformar um grande objetivo em etapas menores faz com que o sonho grande se torne mais viável e mensurável. 

Documente o progresso. Mensure os pequenos sucessos. O processo de evolução o ajudará a manter a motivação em alta.

5. Compita com você mesmo

Comparar-se aos outros não é saudável, pois cada ser humano é único. Buscar no outro o seu espelho é limitar-se. 

Há momentos em que você tende a se comparar com os outros para alcançar a perfeição, o que torna mais difícil alcançar os seus objetivos. Comparar-se pode ter um enorme impacto na sua motivação e sabotar o seu projeto. 

Faz sentido para você que a melhor competição seja consigo mesmo? Essa é uma excelente motivação para treinar, melhorar, ter mais disciplina e foco. Competir com você mesmo faz bem, te motiva a não abandonar os objetivos, a não desistir nas adversidades e recompensa seus esforços.

6. Faça um planejamento e reflita sobre seus grandes objetivos

Que tal reservar um tempo para pensar sobre o seu planejamento de objetivos e metas dos próximos meses ou anos? A partir disso, se faça alguns questionamentos como:

  • Quando você quer atingir essa meta?
  • Quais são os recursos que você já possui para alcançá-la?
  • Quais são as ferramentas, habilidades ou conhecimentos que você já possui para alcançar seu objetivo?
  • O que você ainda precisa desenvolver?
  • Você já fez algo semelhante?
  • O que vai mudar em sua vida quando você atingir a meta?
  • Seu comportamento atual está ajudando ou atrapalhando o cumprimento?

Sustentar a motivação pode ser difícil, mas com a mentalidade correta e um bom treinamento motivacional, você pode manter sua motivação em alta, aproveitá-la e sustentá-la.

7. Faça psicoterapia

A psicoterapia é um processo profundo de autoconhecimento. E quanto mais consciência você tem sobre si mesmo, maior é a sua compreensão sobre as suas motivações também, ou seja, aquilo que traz sentido para a sua existência.

Ao longo das sessões, o paciente aprende a lidar com situações de conflitos internos, além de conseguir enxergar a vida a partir de outras perspectivas e descobrir caminhos para desenvolver a inteligência emocional.

O resultado positivo tende a ser melhorias significativas em termos de autoestima, autoconfiança e, é claro, automotivação. Tudo isso é fundamental para atingir seus objetivos e metas.

Não espere a motivação bater à sua porta, faça acontecer

A motivação é importante para se movimentar, fazer o que precisa ser feito e ir atrás dos seus objetivos? Sim, é claro.

Mas isso não significa que você deva assumir uma postura passiva, aguardando a motivação bater à sua porta para iniciar algo.

Ao longo deste artigo, você aprendeu que a motivação está atrelada a diversos fatores e há caminhos totalmente possíveis que estão nas suas mãos e contribuem para fomentar essa força interior no seu dia a dia

Então, comece agora mesmo a sua jornada em busca da motivação para fazer acontecer e alcançar os seus objetivos de vida.

Leia também:
6 filmes para entender a importância do papel do psicólogo

Terapia: eu faço, saiba por que

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta

Recent Posts

Tristeza: entenda as causas e aprenda a lidar com esse sentimento

Aprender como lidar com a tristeza é fundamental para construir uma vida mais saudável e…

1 mês ago

Benefícios dos exercícios de mindfulness + 5 exemplos para incluir na sua rotina

Os exercícios de mindfulness são uma ótima estratégia para encontrar um pouco de paz, silêncio…

2 meses ago

Qual é a relação entre saúde mental e qualidade de vida?

Entenda como saúde mental e qualidade de se relacionam e confira hábitos que você deve…

3 meses ago

Quais são os efeitos colaterais de medicamentos psiquiátricos?

Entenda quais são os efeitos colaterais que podem ser causados por medicamentos psiquiátricos e tire…

3 meses ago

Técnicas de relaxamento para ansiedade: 8 dicas para aliviar crises

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil tem a maior prevalência…

3 meses ago

Psicoterapia dentro das empresas: por que apostar nesse benefício?

O cenário de saúde mental no Brasil é um dos piores do mundo, mas até…

3 meses ago