Todos

Apoio emocional: o que é + 4 dicas para oferecer suporte

As pessoas podem precisar de apoio emocional em diferentes momentos da vida, principalmente em situações dolorosas e difíceis de superar.

Quando um indivíduo expõe as suas emoções para alguém que está disposto a ouvir sem julgamentos, se beneficia principalmente por sentir que não está sozinho diante das dores que está enfrentando.

Esse tipo de acolhimento e escuta não precisa vir de um profissional da área de saúde. Em muitos casos, amigos e familiares já são capazes de oferecer apoio emocional. Para descobrir como funciona e a sua importância, continue a leitura!

O que é apoio emocional?

O apoio emocional se trata da capacidade que uma pessoa tem de cuidar do outro por meio da escuta ativa e empática.

Trata-se de um suporte emocional entre quem já tem uma relação (como é o caso de amigos e familiares) ou entre indivíduos que não necessariamente cultivam uma conexão prévia, mas estão dispostas a ser fonte desse tipo de apoio (por exemplo, em grupos para pessoas alcoólatras ou com dependência de drogas).

Quando você não é um profissional da área da saúde, é preciso ter em mente que o seu papel não é diagnosticar e nem resolver os problemas emocionais do outro.

O apoio emocional é pautado em estabelecer uma relação de confiança a fim de promover tranquilidade e reduzir os medos e ansiedades alheios, assim encorajando-o a se expressar e lidar com as suas questões de maneira mais saudável. Dessa forma, cria-se um ambiente de escuta e conforto para que haja uma comunicação sem julgamentos.

Qual é a importância do apoio emocional?

O apoio emocional é necessário desde que um ser humano nasce, afinal, um bebê precisa de pessoas (normalmente os pais) que proporcionem esse tipo de suporte. Posteriormente, conforme o indivíduo cresce, esse papel é atrelado também aos amigos, por exemplo.

Quando o apoio emocional não acontece durante a infância, há grandes chances de que a criança se torne um adulto com maiores dificuldades tanto para dar quanto para receber esse tipo de suporte.

Além disso, é importante ressaltar que o apoio também pode ser exercido além das palavras, ou seja, por meio de gestos, como um simples abraço ou olhar. Muitas vezes, apenas a simples presença e escuta ativa do outro, quando genuínas, já são o suficiente para aliviar a dor emocional.

O apoio emocional é importante, portanto, para nos sentirmos menos sozinhos diante das frustrações e dificuldades que a vida coloca em nossos caminhos. Ter alguém com quem compartilhar a sua dor pode não resolvê-la de imediato, mas garante o acolhimento necessário para suportar aquele momento.

As diferenças entre suporte emocional e suporte psicológico

É preciso compreender que existem diferenças entre o suporte emocional e psicológico.

O suporte emocional acontece em situações em que há respeito, cuidado, acolhimento e escuta ativa entre duas ou mais pessoas. Esse tipo de suporte costuma ser oferecido por pessoas próximas, como amigos ou familiares, ou por redes de apoio externas aos vínculos prioritários.

O objetivo é oferecer segurança e tranquilidade a fim de influenciar positivamente as emoções do indivíduo e o seu manejo das adversidades.

O suporte psicológico, por sua vez, é realizado por um(a) psicólogo(a) ao longo de um processo de psicoterapia ou análise. Isso significa que é conduzido por um profissional da área da saúde mental e, portanto, é muito mais embasado e técnico do que apenas o acolhimento recebido por parentes ou amigos.

Tem como objetivo auxiliar o paciente na compreensão das suas emoções e padrões de comportamento para que, assim, seja capaz de administrar de maneira mais saudável os seus sentimentos diante dos problemas que estão sendo vivenciados. 

Assim, por meio da psicoterapia, o indivíduo vai se tornando mais maduro emocionalmente e, consequentemente, apto para lidar com diferentes questões da vida.

O que fazer e não fazer ao oferecer apoio emocional a alguém?

O apoio emocional não deve ser negligenciado. Para ser eficaz e não gerar mais perturbações para a vida da pessoa que está fragilizada, é necessário ter consciência sobre qual é o seu papel como indivíduo que oferece esse tipo de suporte.

Em seguida, confira algumas dicas práticas para aprender o que fazer e não fazer nessas situações:

1. Não tente resolver os problemas do outro

O apoio emocional não se trata de procurar soluções para os problemas que a pessoa está vivendo, e sim de oferecer suporte aos seus sentimentos.

Inclusive, talvez você nem seja uma pessoa capacitada para encontrar as respostas para as questões que estão sendo vivenciadas. Pode ser necessário um profissional com experiência técnica em determinado assunto, ou seja, alguém que realmente tenha respaldo para dar o melhor “caminho das pedras”.

Foque em escutar com atenção, ser empático e acolher os sentimentos sem julgamentos. Esse deve ser o principal foco do apoio emocional.

2. Coloque a atenção na pessoa que precisa do apoio

Outro ponto importante é sair da sua bolha e focar totalmente no outro quando estiver oferecendo apoio emocional.

Por mais que você queira compartilhar as suas experiências, mesmo que seja para ajudar de alguma forma, evite fazer isso. Esse tipo de suporte não se trata de analisar ou comparar vivências, somente de perceber e manejar os sentimentos.

Portanto, se em algum momento acabar voltando-se para si mesmo, se lembre de que esse não deve ser o foco e volte a atenção ao outro e às suas emoções.

3. Seja empático

A empatia é sobre ter a capacidade de se colocar no lugar do outro sem julgamentos, ou seja, experienciar o que a pessoa está sentindo. 

Em alguns momentos, pode ser bastante desafiador compreender as emoções da pessoa justamente porque nunca vivenciamos as mesmas situações nas quais ela está inserida. E é aqui que entra o desafio da empatia.

Para exercê-la, também é necessário promover uma escuta ativa, ser tolerante, compreensivo e tomar cuidado com a sua fala. Quando não souber o que dizer, para evitar julgamentos, pense em frases como:

  • Isso deve ser muito difícil;
  • Percebo como você se sente angustiado;
  • Também acho muito ruim quando isso acontece;
  • Por que você está se sentindo assim?;
  • Sinto muito que isso tenha acontecido.

4. Se necessário, sugira suporte profissional

Em alguns casos, pode ser necessária uma intervenção de profissionais da área da saúde, como psicólogos ou psiquiatras.

Nessas horas, procure fazer uma recomendação gentil, explicando que o outro pode se beneficiar do suporte especializado desses profissionais. Uma dica é se colocar à disposição para ir junto às consultas e procurar trabalhar possíveis objeções que possam surgir em relação ao assunto.

Infelizmente, muitas pessoas ainda cultivam preconceitos em relação à psicologia e à psiquiatria. Por mais que não seja o seu papel resolver essa questão, pode tentar mostrar diferentes perspectivas sobre o assunto.

Como saber se uma pessoa realmente precisa de apoio emocional?

Vários tipos de situações podem desencadear questões emocionais difíceis de serem superadas. Alguns exemplos são a perda de um ente querido, problemas financeiros, divórcio ou até mesmo mudanças de país/cidade.

Certas pessoas estão mais preparadas para lidar com tais adversidades e, apesar do sofrimento, conseguem se reerguer com o passar do tempo. Outras podem precisar do apoio emocional por um período mais longo.

É importante analisar se o sofrimento está gerando prejuízos em uma ou mais áreas da vida do indivíduo. Se a resposta for sim, então com certeza ele está precisando de apoio emocional e, talvez, até de suporte psicológico.

A recomendação também passa por avaliar se a pessoa está sofrendo com falta de motivação, perda de interesse por atividades que antes eram prazerosas, dificuldades para manter a rotina, desinteresse pelas relações sociais no geral, entre outros aspectos que revelam importantes mudanças de comportamento.

A importância da psicoterapia para quem oferece apoio emocional

É fundamental ter em mente que quem oferece apoio emocional também precisa de suporte e, para isso, a psicoterapia é uma grande aliada.

Estar presente para escutar de maneira ativa e empática, acolhendo os sentimentos do outro, exige bastante esforço e pode ser desgastante em vários sentidos. Por isso, é necessário que essas pessoas se cuidem também.

A psicoterapia é uma prática de autocuidado com as emoções. Contar com o suporte de um(a) psicólogo(a) nesse momento em que você está oferecendo apoio emocional para alguém é benéfico para aliviar as tensões.

Além disso, é preciso ter muito cuidado para não se tornar uma “esponja emocional” e, portanto, não absorver os problemas e dores alheias, o que é capaz de gerar desequilíbrio interno e até mesmo levar ao adoecimento.

Estar presente para o outro não significa invalidar as suas necessidades e sentimentos. A psicoterapia existe para ser uma grande parceira nesse sentido e vale lembrar que é uma ferramenta importante não só para quem oferece apoio emocional, mas para quem o recebe também.

Nada substitui o acompanhamento psicológico de um profissional capacitado para cuidar daquilo que mais importa: a sua saúde mental.

Você está em busca de um(a) psicólogo(a) altamente capacitado(a) ou conhece alguém que precisa desse tipo de suporte? Na Vittude, você encontra os melhores profissionais a apenas um clique de distância. Acesse o nosso site e saiba mais!

Bruna Cosenza

Escritora, produtora de conteúdo freelancer e LinkedIn Top Voice 2019. Autora de "Sentimentos em comum" e "Lola & Benjamin", escreve para inspirar as pessoas a tornarem seus sonhos reais para que tenham uma vida mais significativa.

Recent Posts

Benefícios dos exercícios de mindfulness + 5 exemplos para incluir na sua rotina

Os exercícios de mindfulness são uma ótima estratégia para encontrar um pouco de paz, silêncio…

1 mês ago

Qual é a relação entre saúde mental e qualidade de vida?

Entenda como saúde mental e qualidade de se relacionam e confira hábitos que você deve…

1 mês ago

Quais são os efeitos colaterais de medicamentos psiquiátricos?

Entenda quais são os efeitos colaterais que podem ser causados por medicamentos psiquiátricos e tire…

1 mês ago

Técnicas de relaxamento para ansiedade: 8 dicas para aliviar crises

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil tem a maior prevalência…

1 mês ago

Psicoterapia dentro das empresas: por que apostar nesse benefício?

O cenário de saúde mental no Brasil é um dos piores do mundo, mas até…

1 mês ago

Testes de inteligência emocional: o que é, importância e exemplos

Entenda o que são testes de inteligência emocional, a sua importância e confira opções gratuitas…

1 mês ago