Todos

Como cuidar da saúde mental ajuda a manter o selo GPTW?

A forte ligação entre GPTW e saúde mental é muito óbvia. Ser uma empresa Great Place To Work significa oferecer um ambiente de trabalho harmonioso para os profissionais. 

Quem não quer desenvolver suas atividades profissionais em um ambiente onde haja espaço para diálogo aberto, feedback construtivo, relacionamentos baseados no respeito mútuo e comunicação não-violenta?

Esses aspectos contribuem muito para a saúde mental dos colaboradores e são uma base importante para evitar transtornos mentais e comportamentais. 

Mesmo com tudo isso, fatores estressores sempre existirão no mundo do trabalho, assim como na vida em geral. 

É por isso que além de oferecer um bom plano de saúde e psicoterapia como benefícios, as empresas também precisam estar atentas ao impacto que as condições adequadas de trabalho e o clima organizacional estão causando nos colaboradores. 

Com isso, será possível diagnosticar problemas cada vez mais cedo e se antecipar para propor soluções de apoio aos colaboradores para lidar com o estresse. 

Empresas GPTW agem assim, pois entendem que investir em saúde mental é uma ação estratégica para garantir a sustentabilidade do negócio.

Qual a relação entre o selo GPTW e a saúde mental dos colaboradores?

Como já dissemos, há uma relação muito direta entre ser uma empresa GPTW e a saúde mental dos colaboradores. 

Isso porque o selo é conferido por meio de uma pesquisa cujo principal objetivo é avaliar a qualidade do ambiente de trabalho e a satisfação de quem atua na empresa. GPTW e saúde mental andam lado a lado, portanto. 

Esse aspecto é tão relevante para a conferência do selo que desde 2022 a GPTW Brasil passou a oferecer também o prêmio “Destaque Saúde Emocional”. Um ranking específico para reconhecer organizações com ações relevantes na área.

Além de contribuir para estar entre as empresas Great Place To Work, cuidar da saúde mental dos colaboradores é uma estratégia importante para as instituições a longo prazo. Veja no tópico a seguir algumas vantagens disso.   

Como a saúde mental ajuda as empresas a ter um desenvolvimento sustentável?

A relação entre saúde mental e sustentabilidade tem se tornado cada vez mais evidente ao ponto de a Organização Mundial da Saúde destacar a necessidade de transformar a relação com a saúde mental na revisão mais completa sobre o assunto desde a virada do século. 

“Todos conhecemos alguém afetado por transtornos mentais. A boa saúde mental se traduz em boa saúde física e este novo relatório é um argumento convincente para a mudança”, afirmou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Cientes desse compromisso e do quanto a saúde das pessoas impacta no desenvolvimento sustentável do negócio e da sociedade, as empresas têm voltado cada vez mais atenção para o tema. 

Segundo o Dr. Pedro Shiozawa, CMO e co-fundador da Jungle, healthtech do ecossistema GPTW Brasil, não há desenvolvimento sustentável sem saúde mental: 

“Os ambientes de trabalho mais salutares têm colocado a preocupação com as pessoas e os programas de bem-estar e saúde não apenas enquanto um benefício ao colaborador, mas sim como um fator integrante na estratégia da empresa e gestão da cultura organizacional”.

Elas estão investindo em ações contínuas de educação e conscientização sobre saúde mental, além de buscarem fornecer condições estruturais para que as pessoas tenham um ambiente de trabalho mais saudável.

Tudo isso envolve uma mudança de paradigma gigante, mas que tem valido a pena, pois garante resultados cada vez melhores para a organização. 

E muitos desses resultados podem ser mensurados de maneira objetiva, fora todos os ganhos indiretos que ter colaboradores psicologicamente saudáveis favorece. 

Quer saber como? Dê uma olhada nesse case de sucesso da Vittude com a Olist!

Confira alguns benefícios de preparar sua empresa para ter o selo GPTW e saúde mental satisfatória.

Mantendo o nível de produtividade e engajamento no trabalho

Todo mundo concorda que pessoas saudáveis trabalham melhor, não é mesmo? 

Diversas pesquisas evidenciam a relação entre produtividade, engajamento e saúde mental. Aliás, são considerados fatores de alerta para o diagnóstico precoce de transtornos mentais no ambiente organizacional: 

  • erros recorrentes,
  • descumprimento de prazos,
  • aumento de ausências,
  • outros aspectos ligados à produtividade.

Diminuindo o número de afastamentos

Transtornos mentais foram a terceira maior motivação para afastamento do trabalho no Brasil em 2021. 

E, desde 2022, a Síndrome de Burnout entrou para a lista de doenças ocupacionais. Ela tem afetado 1 a cada 3 trabalhadores brasileiros. 

Dados como esses mostram o impacto que a saúde mental têm hoje na quantidade de abstenções no ambiente de trabalho. Portanto, investir no bem-estar dos trabalhadores parece ser uma maneira importante de diminuir os afastamentos.

Favorecendo um bom clima organizacional

Pessoas trabalhando sob altos níveis de estresse e ansiedade é algo que certamente resultará em um ambiente bem desagradável onde os atritos e ruídos na comunicação serão recorrentes.

Por outro lado, se você tem um ambiente de trabalho com profissionais saudáveis física e psicologicamente é mais provável a formação de um bom clima organizacional. Ambientes assim possibilitam melhores relacionamentos, mais engajamento e maior produtividade. 

Reduzindo as alíquotas FAP e RAT

A longo prazo, quanto maior o número de afastamentos, incluindo os por condições de saúde mental, maior o FAP e o RAT e maiores os custos com previdência. 

Olha aí a saúde mental influenciando diretamente nas finanças da empresa!

Produtividade, engajamento, absenteísmo e afastamentos, clima organizacional, alíquotas para o fator previdenciário. Todos esses aspectos são impactados pela saúde mental dos colaboradores e têm importância significativa para a sustentabilidade de um negócio. 

As pessoas são o principal ativo de uma empresa e deixar de investir no bem-estar delas pode comprometer o futuro. Veja a seguir algumas consequências disso.

Quais as consequência de ignorar o bem-estar psicológico dos colaboradores?

Negligenciar a saúde mental dos colaboradores é uma atitude que vai na contramão da produtividade. Em todo o mundo, R$1 trilhão de dólares são perdidos anualmente devido a ausências e afastamentos gerados por problemas de depressão e ansiedade, segundo a Organização Mundial da Saúde. 

A importância de olhar para o bem-estar dos colaboradores é uma necessidade incontestável, mas ainda há barreiras enormes a serem vencidas. 

Um dos principais obstáculos está no fato de os transtornos mentais ainda serem alvo de grande preconceito na nossa sociedade e falar sobre eles no ambiente de trabalho talvez seja um tabu ainda maior. 

Como todo assunto que não é discutido abertamente, a saúde mental carrega muitos mitos que atrapalham o avanço nos diagnósticos e tratamentos. Por conta disso, a mudança de mentalidade pode ser um primeiro passo importante em muitas organizações. 

Como mudar a mentalidade da organização em relação à saúde mental?

“Ter algum transtorno mental é sinônimo de fraqueza”, “quem desenvolve alguma doença mental nunca será curado/a” e “ter saúde mental significa nunca se desequilibrar” são exemplos de crenças muito comuns sobre o universo ainda tão nebuloso da saúde mental.

Considerando esse contexto, imagine admitir, para colegas e líderes, que está passando por algum sofrimento psíquico e que precisa de ajuda. Além do medo do preconceito, ainda temos que lembrar do receio que muitos colaboradores têm de serem demitidos caso adoeçam.

Esse é o cenário que ainda está presente em grande parte das organizações e, por isso, é urgente intensificar as ações para a mudança de mentalidade em relação à saúde mental no ambiente de trabalho. 

Para isso, realizar eventos educativos como rodas de conversas e palestras com o objetivo de conscientizar e sensibilizar os colaboradores, em especial as lideranças, são de extrema importância.

A mudança de mentalidade começa pela quebra do silêncio sobre o assunto, depois temos a sensibilização e a desconstrução de alguns mitos, para então ser possível falar em respostas adequadas para os problemas. 

Em um nível mais avançado, já é possível haver a prevenção de transtornos mentais e comportamentais por meio de atitudes positivas por parte de colaboradores e lideranças.

Ações específicas de promoção da saúde mental adotadas pelas empresas GPTW

GPTW e saúde mental tem uma forte relação, basta olhar para as empresas que possuem o selo e/ou estão em um dos rankings da consultoria para entender isso. 

Para serem selecionadas, essas organizações investem fortemente em ações de promoção do bem-estar psíquico de seus colaboradores. Elas parecem tratar a questão como uma estratégia de longo prazo e não apenas propõem ações pontuais em momentos específicos do ano, como durante o Setembro Amarelo, por exemplo.

Veja a seguir algumas ações para cuidar da saúde mental de maneira efetiva e consistente.

Desenvolver pesquisas de saúde mental

Para fazer investimentos assertivos em saúde mental, é imprescindível entender qual o cenário da organização. 

Como está o nível de estresse e ansiedade dos colaboradores? Há setores cuja natureza do trabalho e/ou clima sejam mais estressantes? Quais regras e procedimentos da organização impactam negativamente o dia-a-dia dos colaboradores? Essas são perguntas que devem nortear as pesquisas. 

Para ajudar a respondê-las, o uso de People Analytics tem sido muito útil em empresas com selo GPTW e saúde mental em dia. 

Com investimento em pesquisas e análise de dados, é possível tomar decisões mais assertivas, desenhando ações e programas realmente coerentes com as necessidades dos profissionais.

Ouvir os colaboradores

Procurar saber quais são as principais demandas dos colaboradores é uma excelente maneira de construir iniciativas para a promoção da saúde mental e é algo que deve estar presente nas pesquisas sobre o assunto. 

Quem melhor do que os próprios profissionais para dizer o que está afetando sua saúde psicológica dentro do ambiente de trabalho?

Muitas vezes, o avanço não está em criar novos benefícios. Mas em promover mudanças nas regras e acordos de contratação, nos canais e formatos de comunicação e no tipo de relacionamento que as lideranças estabelecem com suas equipes. 

Desenvolver iniciativas que façam sentido para a população

Escutar os colaboradores por meio de pesquisas e usar ferramentas de People Analytics para dar suporte na coleta, no cálculo e na análise de grandes volumes de dados é a estratégia que grandes empresas têm utilizado para desenvolver suas ações de desenvolvimento de pessoas e também de promoção da saúde mental. 

Não adianta investir rios de dinheiro em ações e programas se eles não fizerem sentido para o grupo de colaboradores. É por isso que conhecer a força de trabalho é algo tão priorizado por empresas com forte employer branding.

Oferecer psicoterapia como benefício

Um dos benefícios muito valorizados pelos profissionais é o apoio para a realização de tratamento com psicoterapia. O apoio psicológico é um recurso importante para que as pessoas passem por momentos desafiadores com maior resiliência.

A terapia com um profissional da psicologia capacitado para lidar com questões de saúde mental relacionadas ao trabalho pode ajudar os colaboradores a lidarem com fatores estressores.  

Contar com parceiros especializados

Os caminhos para ter o selo GPTW e saúde mental dos colaboradores são muitos. 

Não há uma receita que possa ser replicada por todas as empresas. Para construir o que de fato será eficiente para o contexto de cada organização, é recomendável contar com o suporte de parceiros especializados no assunto. 

A Vittude é uma empresa focada na promoção da saúde mental em ambientes corporativos. 

Atuamos como um parceiro importante para que a sua organização seja realmente um local bom para se trabalhar, cuidando da saúde mental dos colaboradores. O resultado disso é que muitas instituições parceiras figuram entre as empresas GPTW.

Seja para realizar um diagnóstico de saúde mental da instituição, criar um programa que realmente faça sentido para s empresa, realizar ações educativas ou contar com o suporte de psicólogos qualificados, podemos te ajudar! 

Fale com um dos nossos especialistas para traçar a melhor estratégia para sua empresa.

Carol Motta

Redatora sênior, especialista em SEO On Page, cientista social e com experiência em conteúdos de saúde e RH. Trabalha para viver num mundo em que as pessoas sejam mais saudáveis e as organizações, mais inclusivas.

Recent Posts

Benefícios dos exercícios de mindfulness + 5 exemplos para incluir na sua rotina

Os exercícios de mindfulness são uma ótima estratégia para encontrar um pouco de paz, silêncio…

1 mês ago

Qual é a relação entre saúde mental e qualidade de vida?

Entenda como saúde mental e qualidade de se relacionam e confira hábitos que você deve…

1 mês ago

Quais são os efeitos colaterais de medicamentos psiquiátricos?

Entenda quais são os efeitos colaterais que podem ser causados por medicamentos psiquiátricos e tire…

1 mês ago

Técnicas de relaxamento para ansiedade: 8 dicas para aliviar crises

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil tem a maior prevalência…

1 mês ago

Psicoterapia dentro das empresas: por que apostar nesse benefício?

O cenário de saúde mental no Brasil é um dos piores do mundo, mas até…

1 mês ago

Testes de inteligência emocional: o que é, importância e exemplos

Entenda o que são testes de inteligência emocional, a sua importância e confira opções gratuitas…

1 mês ago