Todos

Terapia humanista: o que é e como funciona na prática

A terapia humanista teve sua origem nos anos 50 e defende uma intervenção psicoterapêutica focada no desejo de autorrealização do indivíduo.

Por mais que, de forma geral, todas as abordagens da psicologia tenham como foco contribuir para a construção de uma vida mais saudável e equilibrada, cada uma utiliza técnicas e métodos diferentes em prol desse objetivo.

Que tal conhecer mais detalhes sobre a terapia humanista? Continue a leitura para ter acesso às principais informações.

O que é a terapia humanista?

A terapia humanista leva em consideração as capacidades da pessoa, trabalhando um olhar integral para o ser humano, sempre o colocando em posição de potência e criatividade.

O foco dessa abordagem não é olhar o indivíduo como vítima da sua trajetória, mas como um agente de transformação da sua própria vida. Isso significa que a psicologia humanista acredita que a construção e a preservação do bem-estar resultam na autorrealização.

As pessoas, portanto, são analisadas como livres e criativas para tomar decisões e se comportar da maneira que considerarem mais adequada. Esse ponto de vista é o oposto à psicologia comportamental, em que é fortalecida a crença de que os comportamentos humanos são resultado de estímulos provenientes do meio, mas que podem ser alterados por meio de uma reprogramação.

Na terapia humanista, as emoções, necessidades, objetivos e qualidades do indivíduo são destacados. Para desenvolver seu potencial, é preciso entender que é necessário cuidar de si mesmo e se valorizar.

De maneira geral, é indicada para quem deseja olhar para si mesmo como ser humano único e total. Um ponto importante é o fato de que, por não considerar apenas transtornos, essa abordagem é mais adequada para quem não vivenciou traumas ou conflitos muito grandes.

Como surgiu a terapia humanista?

O humanismo vai além da psicologia. Trata-se de um movimento histórico-cultural focado em trazer reflexões mais centradas no ser humano e que surgiu no século XV, na Itália.

Nesse período, substituiu o teocentrismo, que colocava Deus como centro de tudo, pelo antropocentrismo, que tem o homem como foco. A partir daí, várias revoluções nasceram nas artes, literatura e, é claro, na psicologia também.

A psicologia humanista, por sua vez, surgiu nos anos 50 como um questionamento do behaviorismo (foco no comportamento do homem) e da psicanálise (foco no inconsciente e em sua reação aos acontecimentos do passado).

Ela vai contra esses dois pensamentos por acreditar que são pessimistas e focados em sentimentos ruins, trágicos. Além disso, os defensores dessa abordagem também afirmavam que tanto o behaviorismo como a psicanálise eram deterministas, o que significa que os acontecimentos do momento presente são baseados em causas passadas.

A terapia humanista nasceu a partir da ideia de que a essência humana é naturalmente boa e capaz de superar adversidades que cruzam o seu caminho. Ao levar em conta as escolhas pessoais e a natureza individual, o foco é o positivismo e as qualidades do ser humano.

Os dois maiores teóricos e fundadores dessa linha terapêutica são Abraham Maslow e Carl Rogers.

Maslow criou a famosa Pirâmide de Maslow, que engloba a hierarquia de necessidades do ser humano. E Carl Rogers contribuiu com a perspectiva focada na capacidade de cada pessoa e não na doença. 

Isso significa que ele acreditava que cada um é capaz de encontrar o próprio tratamento para as suas enfermidades, ou seja, as pessoas são responsáveis pelas mudanças que querem ver em si mesmas.

A pirâmide das necessidades de Maslow

Maslow contribui para a terapia humanista por meio da sua pirâmide de necessidades, que é traz uma escala de necessidades humanas visando a autorrealização e o aprimoramento pessoal.

A pirâmide explica o foco nas capacidades positivas do ser humano. Cada vez que uma necessidade é satisfeita, uma nova é apresentada e, assim, o indivíduo continua buscando satisfação a fim de encontrar o equilíbrio pessoal e o bem-estar emocional.

Em seguida, confira quais são as necessidades da pirâmide, partindo das consideradas mais básicas, que ficam na base da mesma:

  • Fisiológicas: essenciais para a sobrevivência humana, como água, sono e comida;
  • Segurança: qualquer tipo de segurança que preserve o físico e emocional da pessoa, por exemplo, financeira, de propriedade etc;
  • Sociais: diz respeito à relação com outras pessoas e pertencimento, seja em termos de amor, amizade ou família;
  • Estima: refere-se ao status e ego pessoal, relacionado à autoconfiança, autoestima etc;
  • Realização pessoal: é o topo da pirâmide, quando todas as outras necessidades são supridas e a pessoa consegue aproveitar o seu próprio potencial com controle das suas ações, criatividade e independência para se sentir feliz em todas as áreas da sua vida.

As principais características da psicologia humanista

Assim como qualquer outra abordagem da psicologia, a humanista tem características que direcionam o trabalho do profissional no processo psicoterapêutico. Confira mais detalhes:

Terapia centrada na pessoa (TCP)

Foi desenvolvida por Carl Rogers e diz respeito ao desenvolvimento do indivíduo.

Visto que a terapia humanista critica quando o foco é no passado, ou seja, em problemas e vivências anteriores, a TCP é voltada para os sentimentos da pessoa no momento presente e a sua busca pela autorrealização. 

Diferentemente de outras abordagens da psicologia, não se baseia na doença e sim no conhecimento e nas potências do indivíduo.

Foco no presente

Enquanto o behaviorismo e a psicanálise trabalham pautadas em experiências e traumas passados, o humanismo tem como objetivo desvincular o ser humano dos problemas anteriores e focar nos sentimentos e experiências do presente.

Autoconceito

O autoconceito, criado por Carls Rogers, reforça que conforme a pessoa adquire novas características e experiências, seus conceitos se modificam ou são reforçados. 

Ele afirma que um indivíduo bem e saudável psicologicamente costuma ter conceitos muito realistas e definidos. O autoconceito realista, portanto, faz com que você evite a angústia psicológica que ocorre quando se confunde o autoconceito real e o ideal para si.

Rogers também aponta que a capacidade de transformar os próprios conceitos é responsável pela capacidade que um indivíduo tem de direcionar o seu próprio tratamento psicológico.

Autoatualização

Trata-se da tendência pela satisfação de suas necessidades e atualização das capacidades, fazendo com que a pessoa compreenda melhor a sua personalidade, se reconecte internamente e, então, tome decisões alinhadas a quem se é na essência.

A terapia humanista acredita que uma pessoa que não tem clareza sobre a sua personalidade se afasta da sua verdadeira essência e isso é capaz de gerar distúrbios comportamentais.

Livre-arbítrio

Diz respeito a todo ser humano ser livre para tomar decisões e se comportar como desejar. É esse livre-arbítrio que o leva a buscar o seu próprio potencial e, por isso, essa abordagem está centrada no estudo do ser como único, cada um com vontades e necessidades específicas de acordo com a sua realidade.

Experiências do indivíduo

As vivências são o que tornam um ser humano único e são responsáveis por formar a personalidade de cada pessoa hoje.

São as experiências que permitem melhor entendimento do comportamento e orientam escolhas baseadas na personalidade.

Como funciona a terapia humanista?

Na terapia humanista o paciente é convidado para refletir sobre seus pontos fortes e fracos, talentos e qualidades, assim como experiências positivas que são uma consequência dessas características. O foco é auxiliar na reconexão com a sua essência.

Na prática, funciona por meio de atendimentos personalizados com base nas necessidades de cada indivíduo. Por meio de um exercício contínuo de empatia, o terapeuta visa ajudá-lo na superação de suas dificuldades e no desenvolvimento do seu máximo potencial.

Ao longo das sessões, acontece um diálogo honesto e o paciente é sempre estimulado a expressar pensamentos, anseios e sentimentos. O terapeuta trabalha sem julgamentos e não utiliza diagnósticos, focando apenas no próprio paciente e em seus pontos fortes, que são importantes para que a pessoa compreenda o que precisa fazer para resolver as suas queixas.

A abordagem humanista não é utilizada somente para tratamento de questões de saúde mental, mas também é muito valiosa para quem deseja se entender melhor e alcançar a realização pessoal.

Além disso, visto que a criatividade é um dos pilares dessa abordagem, o psicólogo também pode utilizar exercícios de escrita, pintura ou desenhos para promover a expressão do paciente.

De forma geral, portanto, a terapia humanista é excelente para auxiliar as pessoas que desejam obter profundo conhecimento sobre si mesmas, realizar seus desejos e fortalecer a autoestima, o bem-estar e o autocuidado.

Qual é a melhor abordagem da psicologia?

Não existe uma resposta certa e única para esse questionamento. Cada pessoa, de acordo com as suas necessidades e prioridades, deve entender qual linha dentro da psicologia é mais adequada para si.

A recomendação é pesquisar sobre o assunto e, é claro, conversar com profissionais da área para tirar as suas dúvidas e ter maior compreensão. 

Que tal começar essa busca conferindo o “Guia completo das principais abordagens da psicologia” que preparamos para você? Clique aqui e baixe o material agora mesmo!

Bruna Cosenza

Escritora, produtora de conteúdo freelancer e LinkedIn Top Voice 2019. Autora de "Sentimentos em comum" e "Lola & Benjamin", escreve para inspirar as pessoas a tornarem seus sonhos reais para que tenham uma vida mais significativa.

Recent Posts

Cultura inclusiva: o guia definitivo para a sua empresa

Empresas com cultura inclusiva geram mais inovação, colaboração e dinheiro. Saiba como valorizar todos os…

7 horas ago

Medo e fobia: entenda as diferenças e como tratá-los

O que você tem é medo ou fobia? Eles são bem diferentes, mas ambos podem…

1 dia ago

Empreendedorismo e saúde mental: uma estreita relação

Entenda como o empreendedorismo afeta a saúde mental e quais são as principais estratégias para…

2 dias ago

Aumentar a produtividade: como ajudar os colaboradores e manter a empresa sustentável

Aumentar a produtividade é o que conecta a sustentabilidade financeira das organizações com o bem-estar…

5 dias ago

Como aumentar e manter o engajamento dos colaboradores?

O engajamento dos colaboradores impulsiona o sucesso organizacional. Investir no bem-estar promove um ambiente de…

6 dias ago

9 dicas para melhorar a concentração

Confira 9 recomendações para melhorar a sua concentração e conheça os principais fatores que influenciam…

1 semana ago