Todos

Autocuidado emocional: o que é e como colocar em prática

O autocuidado emocional é uma prática que beneficia a saúde mental e o bem-estar, afinal, diz respeito aos cuidados com as suas próprias emoções.

Diante de rotinas atribuladas, muitas pessoas negligenciam algumas práticas voltadas para a qualidade de vida e sofrem as consequências negativas com problemas de ansiedade, depressão, entre outras questões mentais.

Se você tem interesse em entender o que é o autocuidado emocional e como praticá-lo no seu dia a dia, confira este artigo sobre o assunto. Vamos lá?

O que é o autocuidado emocional?

O autocuidado emocional está relacionado às práticas diárias que geram benefícios à saúde mental e, consequentemente, à capacidade de lidar com as emoções. 

Trata-se de um cuidado emocional para conseguir fazer um manejo mais saudável de emoções positivas e negativas, aceitando que as oscilações e mudanças fazem parte da vida e precisam ser administradas.

Toda prática de autocuidado exige olhar para si mesmo e, como o próprio nome já diz, cuidar daquilo que precisa de atenção no seu interior. No caso do autocuidado emocional, estamos falando sobre tudo o que está de alguma forma relacionado às emoções.

Como praticar o autocuidado emocional?

Entender o conceito é fácil, mas colocar em prática é outra história. 

Confira, em seguida, algumas ações que podem ser adotadas na sua rotina para promover uma relação mais saudável e positiva com as suas emoções:

1. Uma boa noite de sono

Isso mesmo, você não leu errado: autocuidado emocional também passa por uma boa noite de sono.

Enquanto dormimos, acontecem vários processos que contribuem para a renovação das energias físicas e mentais e garantem mais disposição e produtividade para o próximo dia.

A privação de sono, seja em termos de qualidade ou de horas, provoca cansaço, baixa energia e até mesmo mau humor e problemas de concentração. Ou seja: há uma conexão entre o sono e a sua saúde mental, o que impacta diretamente como você está se sentindo e lida com as suas emoções.

2. Equilíbrio entre vida pessoal e profissional

O desequilíbrio entre vida pessoal e profissional é capaz de gerar diversas consequências negativas, como problemas de saúde mental e física.

Pessoas que sofrem com a sobrecarga de trabalho muitas vezes acabam deixando de lado a família, amigos, hobbies e lazer, o que provoca prejuízos significativos. Para alcançar a saúde de forma holística, é preciso saber equilibrar todos os pratinhos a fim de manter um dia a dia saudável e equilibrado.

Lazer, descanso, espiritualidade e relacionamentos também são fundamentais para cultivar emoções positivas e se conectar com a sua essência.

3. Prática regular de atividades físicas

Os exercícios físicos não são importantes apenas para a saúde física, mas para a manutenção da saúde mental também, atuando na prevenção e tratamento de quadros de ansiedade, estresse, depressão, entre outros.

Durante a prática das atividades é liberada a endorfina, conhecida como o hormônio da felicidade, que garante benefícios como melhora da memória e do humor, aumento da disposição física e mental, fortalecimento do sistema imunológico, alívio de dores e tensões musculares.

Além disso, a serotonina, neurotransmissor responsável pela regulação do sono e pelo bom humor, também é liberada durante os exercícios físicos.

4. Autoconhecimento

A prática do autocuidado emocional passa por se conhecer profundamente, entender seus padrões de comportamentos, gatilhos e ser capaz de administrar tudo isso de maneira saudável.

Quanto maior o autoconhecimento, mais elevada será a sua capacidade de manejar os desafios e adversidades que podem despertar emoções negativas. Lidar de maneira positiva com os seus sentimentos não é tarefa fácil, mas com o tempo você pode ir desenvolvendo essa habilidade.

5. Inteligência emocional

A inteligência emocional é a capacidade de reconhecer e lidar com as emoções pessoais e de outras pessoas.

Se estamos falando justamente sobre autocuidado emocional, é importante aprimorar essa soft skill que está diretamente relacionada ao manejo das emoções. 

Ao longo de apenas um dia, podemos ser atravessados por emoções positivas e negativas. Como garantir que não nos tornemos reféns de tudo o que estamos sentindo e sejamos capazes de continuar fazendo tudo o que precisa ser feito mesmo quando somos impactados por emoções ruins, como raiva ou tristeza?

Ter essa consciência, capacidade de reconhecimento e administração é ter inteligência emocional.

6. Cuide dos seus relacionamentos

As pessoas ao seu redor, ou seja, aquelas com as quais você convive com maior frequência, têm um grande impacto na sua saúde mental.

Algumas relações podem se tornar tóxicas ou nocivas por não despertarem emoções positivas em você. Por isso, é importante ser seletivo em relação a quem você deseja ter por perto.

Ambientes pautados por indivíduos muito fofoqueiros, negativos, invejosos e conflituosos podem fazer muito mal à sua autoestima e autoconfiança. Cuide disso para cuidar das suas emoções!

7. Eliminar a positividade tóxica

A positividade tóxica se trata daquele sentimento de que precisamos estar o tempo todo bem, o que, além de não ser verdade, é impossível. 

É completamente normal sentir raiva, medo, tristeza ou preocupação, que são emoções negativas, principalmente se não forem bem administradas. 

O foco aqui deve ser eliminar essa necessidade constante de estar sempre bem e aceitar todas as emoções, até mesmo as ruins e que geram certo desconforto. Tentar fugir do que é difícil não traz nenhum benefício, na verdade te impede de evoluir e desenvolver habilidades como a resiliência.

8. Evitar excesso de redes sociais

De acordo com uma pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), para 41% dos jovens brasileiros as redes sociais causam sintomas como tristeza, ansiedade e depressão.

Diante de dados como este, é preciso ficar alerta em relação às consequências negativas do uso excessivo das redes, principalmente quando os conteúdos e informações disponíveis na internet geram comparação excessiva, sintomas de tristeza ou problemas de autoestima.

No mundo em que vivemos hoje, é muito difícil se ausentar completamente das redes sociais, mas é possível fazer um consumo mais equilibrado e saudável a fim de evitar gatilhos que geram emoções negativas.

Quais são os outros tipos de autocuidado?

Além do emocional, existem outros tipos de autocuidado importantes para ter mais qualidade de vida. Em seguida, confira mais detalhes sobre cada um deles:

Autocuidado físico

O autocuidado físico está atrelado a tudo aquilo que tem uma relação com a saúde e o bem-estar do corpo físico. Alguns exemplos de ações que você pode colocar em prática nesse sentido são:

  • Noites de sono de qualidade;
  • Alongamentos;
  • Atividades físicas;
  • Alimentação saudável;
  • Hidratação.

Autocuidado espiritual

A conexão com o seu lado espiritual se trata de ter momentos de paz, expansão da consciência e conexão com o sentido da sua vida. O autocuidado espiritual passa por várias atitudes, por exemplo:

  • Meditações;
  • Questionamento sobre o seu propósito e o que dá significado à sua vida;
  • Envolvimento em causas humanitárias ou sociais;
  • Orações diárias;
  • Momentos de silêncio e solitude;
  • Conexão com a natureza;
  • Atividades que promovem conexão interna.

Autocuidado social

O autocuidado social, por sua vez, tem relação com as conexões criadas com familiares, amigos e colegas. Visto que somos seres sociais, faz parte do nosso bem-estar ser capaz de realizar uma socialização saudável.

Para isso, é necessário cultivar hábitos de espectro social e desenvolver habilidades interpessoais com o objetivo de estabelecer laços mais duradouros. Algumas dicas são:

  • Pedir ajuda quando necessário;
  • Praticar a escuta ativa;
  • Ser empático nas suas trocas com as pessoas;
  • Incluir momentos de socialização na agenda semanal.

Como a terapia pode ajudar no autocuidado emocional?

Promover o autocuidado emocional no seu dia a dia tem relação com o autoconhecimento e a conexão com as suas emoções.

Esse processo pode não ser muito simples para algumas pessoas e, nesses casos, o auxílio de um psicólogo é fundamental para conseguir cuidar do manejo adequado das suas emoções positivas e negativas.

As sessões de terapia são um acompanhamento contínuo que permite o aprofundamento nos seus sentimentos e padrões de comportamento, além do entendimento sobre como cuidar das emoções de maneira saudável e equilibrada.

Agora que você já sabe a importância do autocuidado emocional, que tal continuar aprendendo sobre assuntos relacionados à saúde mental no blog da Vittude? 

Bruna Cosenza

Escritora, produtora de conteúdo freelancer e LinkedIn Top Voice 2019. Autora de "Sentimentos em comum" e "Lola & Benjamin", escreve para inspirar as pessoas a tornarem seus sonhos reais para que tenham uma vida mais significativa.

Recent Posts

Gerenciamento de equipes: quais as melhores estratégias?

Veja como a promoção de bem-estar é fundamental para um bom gerenciamento de equipes e…

2 horas ago

Cultura inclusiva: o guia definitivo para a sua empresa

Empresas com cultura inclusiva geram mais inovação, colaboração e dinheiro. Saiba como valorizar todos os…

1 dia ago

Medo e fobia: entenda as diferenças e como tratá-los

O que você tem é medo ou fobia? Eles são bem diferentes, mas ambos podem…

2 dias ago

Empreendedorismo e saúde mental: uma estreita relação

Entenda como o empreendedorismo afeta a saúde mental e quais são as principais estratégias para…

3 dias ago

Aumentar a produtividade: como ajudar os colaboradores e manter a empresa sustentável

Aumentar a produtividade é o que conecta a sustentabilidade financeira das organizações com o bem-estar…

6 dias ago

Como aumentar e manter o engajamento dos colaboradores?

O engajamento dos colaboradores impulsiona o sucesso organizacional. Investir no bem-estar promove um ambiente de…

1 semana ago