Todos

Saúde: conheça suas 7 dimensões e como desenvolvê-las

Para ter qualidade de vida e bem-estar, é preciso ter saúde. Sobre isso não há dúvidas!

No entanto, muitas pessoas se esquecem de que a saúde não engloba apenas as questões físicas, mas também contempla aspectos emocionais, sociais, espirituais e tantos outros sobre os quais falaremos ao longo deste artigo.

Para aprender mais sobre este assunto e descobrir estratégias para viver com mais saúde de uma maneira integrada, confira este guia completo no qual detalhamos cada um dos diferentes tipos de saúde.

Qual é o conceito de saúde?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), saúde é:

“O estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença.”

Essa definição vai de encontro com o fato de que a saúde não depende somente de aspectos físicos saudáveis, ou seja, não basta que somente o seu corpo esteja funcionando adequadamente.

Muito além da ausência de doenças, também é necessário levar em consideração outras dimensões que englobam a saúde, sobre a quais vamos conhecer os detalhes em seguida.

Quais são os diferentes tipos de saúde e como desenvolvê-los?

Para compreender se uma pessoa é ou não saudável, é necessário analisar corpo, mente, contexto social e outros aspectos que contribuem para o estado de saúde como um todo.

Que tal conferir em detalhes quais são os diferentes tipos de saúde e como cuidar de cada um deles a fim de alcançar maior bem-estar e qualidade de vida?

1. Saúde física

A saúde física é uma dimensão básica para o bem-estar do ser humano e diz respeito ao corpo em funcionamento adequado, ou seja, sem doenças, nutrido e ativo.

O estado físico saudável é alcançado de diversas formas e é preciso levar em consideração aspectos peculiares de cada indivíduo. No geral, é importante contemplar o seguinte:

  • Alimentação equilibrada;
  • Prática regular de atividades físicas;
  • Rotina de sono regulada;
  • Evitar a ingestão de drogas ilegais, tabaco e álcool;
  • Exames e consultas médicas regulares.

Infelizmente, uma pesquisa realizada pelo Serviço Social da Indústria (Sesi), apontou que 52% dos brasileiros raramente ou nunca praticam atividades físicas. 

A pesquisa também analisou a associação entre a prática de exercícios e o adoecimento e trouxe conclusões importantes, como o fato de que 72% das pessoas que praticam atividades físicas com frequência não tiveram problemas de saúde nos últimos doze meses. Já entre os que não cultivam o hábito, 42% revelaram questões de saúde em 2022.

Fica claro, portanto, como este é um hábito importante e que, junto dos demais, contribui para se alcançar a saúde de maneira integral.

2. Saúde espiritual

A saúde espiritual também é um fator importante para ser uma pessoa mais saudável e está atrelada à fé, às crenças e ao significado que um indivíduo cultiva em relação à sua própria existência.

Um ponto muito importante aqui é ter a liberdade para exercer a sua espiritualidade de acordo com aquilo que faz sentido para a sua vida. O bem-estar espiritual impacta a saúde de forma positiva quando a pessoa tem clareza sobre o sentido da sua vida e, assim, tem um propósito mais claro que dá significado para as suas escolhas.

Para desenvolver a saúde espiritual, é importante estar aberto para promover o autoconhecimento e refletir sobre tudo o que te cerca, inclusive o seu papel no mundo. 

Uma dica nesse sentido é se aprofundar em religiões e filosofias para entender o que faz mais sentido para a sua jornada.

3. Saúde social

A saúde social, por sua vez, se trata da manutenção de relações saudáveis com amigos, colegas de trabalho, família e a sua comunidade.

Somos todos seres sociais e, portanto, é natural sentirmos a necessidade de ter apoio, reconhecimento e estima de quem está ao nosso redor. O aspecto social, portanto, é fundamental para garantir o equilíbrio da saúde como um todo, pois os nossos relacionamentos impactam o bem-estar geral.

Um ponto importante sobre esse aspecto é o fato de que a saúde social também está atrelada ao comportamento das outras pessoas da sociedade e da cultura como um todo e não somente ao seu círculo de convivência diário. Nesse caso, a solidariedade é um ponto importante para cultivarmos relações menos individualistas.

A construção de laços saudáveis passa por vários aspectos, principalmente por ser uma pessoa que pratica a gentileza, a escuta ativa e a empatia. 

4. Saúde mental

A saúde mental se trata do equilíbrio das emoções diante dos desafios, mudanças e conflitos com os quais nos deparamos ao longo da vida.

Por muito tempo, os cuidados com a mente foram considerados um grande tabu e “coisa de gente louca”. No entanto, com cada vez mais estudos e informações sendo disseminadas, o assunto vem ganhando protagonismo na nossa sociedade, o que contribui para a prevenção e o acesso aos tratamentos adequados.

Uma pessoa saudável mentalmente é aquela que se sente bem consigo mesma e com os outros, sendo capaz de aceitar e manejar as situações adversas que cruzam o seu caminho, reconhecer seus limites e administrar as emoções sem sofrer grandes prejuízos mesmo quando as mesmas forem negativas.

Os cuidados com a saúde mental contemplam vários aspectos e, na realidade, estão atrelados aos demais tipos de saúde sobre o qual estamos falando neste artigo, afinal, tudo é capaz de influenciar o emocional de uma pessoa.

Para manter a saúde da mente, entre as diversas recomendações dos especialistas, é necessário levar em consideração:

  • Psicoterapia;
  • Prática de exercícios físicos;
  • Ferramentas de autoconhecimento;
  • Manutenção de relações sociais saudáveis;
  • Rotina de sono adequada;
  • Cultivo de hobbies;
  • Equilíbrio entre vida pessoal e profissional.

5. Saúde ocupacional

A saúde ocupacional, por sua vez, está diretamente atrelada a um trabalho que proporciona bem-estar e, consequentemente, realização profissional e pessoal. 

Para muitos, é bastante difícil alcançar esse tipo de realização porque a carreira de uma pessoa sofre influência de diversos aspectos. No geral, é importante fazer escolhas que estejam alinhadas aos seus valores e crenças, pois dessa forma você tem maiores chances de encontrar um trabalho que traga satisfação e te ajude a alcançar o seu máximo potencial.

Para auxiliar nesse processo, alguns buscam pela orientação de coaches, que são profissionais capacitados para ajudar no autoconhecimento e na busca de caminhos mais satisfatórios.

A psicoterapia também é uma ferramenta interessante, afinal, quanto mais profundo for o autoconhecimento, maiores são as chances de tomar decisões mais direcionadas levando em consideração as suas prioridades e necessidades.

6. Saúde intelectual

Atividades culturais, o desenvolvimento da criatividade e a aprendizagem são algumas das ações relacionadas à saúde intelectual de um indivíduo. Estas são capazes de enriquecer o repertório pessoal e ampliar os horizontes do conhecimento.

Não há uma receita de bolo para oxigenar o cérebro com novas ideias e conceitos, afinal, cada um pode optar por um caminho que faça mais sentido para si. No geral, podem ser considerados atividades como:

  • Ler;
  • Assistir a filmes e séries;
  • Comparecer a palestras e workshops;
  • Fazer cursos online ou presenciais;
  • Conversar com pessoas que dominam assuntos diferentes daqueles que lhe são familiares;
  • Ir a museus e exposições.

7. Saúde financeira

A saúde financeira muitas vezes não é levada em consideração quando estamos falando sobre os diferentes aspectos que compõem a saudabilidade de um ser humano.

No modelo econômico capitalista, boa parte das necessidades precisam de dinheiro para serem atendidas e, por isso, a sua ausência é capaz de gerar grandes transtornos na vida de um indivíduo, gerando limitações e até mesmo causando problemas de ordem física ou mental.

Para se ter uma ideia dos efeitos negativos, é válido analisar alguns dados. Uma pesquisa realizada pelo SPC Brasil, em 2020, revelou que 8 a cada 10 inadimplentes sofrem com impactos físicos e emocionais devido às dívidas atrasadas. Entre as consequências, podemos citar ansiedade, estresse, tristeza, desânimo, insônia, agravamento de vícios, improdutividade etc.

A saúde financeira vai muito além de apenas ter ou não ter dinheiro. Vale ter em mente que ter organização e controle sobre as próprias finanças significa garantir maior segurança para o presente e o futuro, além de ser capaz de suprir necessidades essenciais e aquelas que estão relacionadas ao lazer e aos sonhos.

A maior recomendação para não passar “apertos” nesse sentido é estudar sobre o assunto e, se necessário, consultar profissionais especializados que serão capazes de orientar as melhores práticas sobre planejamento e organização financeira.

Os resultados tendem a ser bastante positivos, garantindo segurança, equilíbrio e tranquilidade para a vida como um todo.

Como a psicoterapia contribui para a saúde de forma integral?

Agora que você já tem conhecimento sobre tudo o que engloba a saúde e sabe que vai muito além de um corpo saudável, vale entender as influências da psicoterapia.

Ou seja: compreender como o auxílio psicológico não é importante apenas para a manutenção da saúde mental, mas para a saúde como um todo.

O papel de um psicólogo ou psicóloga, de uma maneira geral, é ajudar seus pacientes na superação de dificuldades. Para isso, cada um utiliza ferramentas e abordagens específicas, mas todos têm um mesmo objetivo: contribuir para a qualidade de vida e o bem-estar do indivíduo.

Além de estudar fenômenos psíquicos e comportamentais, o profissional também analisa relações sociais (sejam estas pessoais ou profissionais), contextos familiares e quaisquer outros aspectos que possam estar interferindo na saúde do paciente.

A palavra-chave da psicoterapia, portanto, é o autoconhecimento. A partir desse aprofundamento, a pessoa se torna mais consciente em relação às suas emoções e aos seus padrões de comportamento. Assim, ao longo do processo, é possível traçar estratégias de enfrentamento para construir uma vida mais saudável.

E é claro que todos os diferentes tipos de saúde são beneficiados, afinal, há uma relação direta entre a mente e os demais aspectos que englobam a vida de um ser humano. 

Logo, a psicoterapia é uma ferramenta bastante valiosa para a saúde como um todo, ou seja, não é necessário ter uma questão de saúde mental a ser tratada, como ansiedade ou depressão, para vivenciar o processo e colher ótimos benefícios.

Cuidar da mente é um dos pontos de partida para ver mudanças positivas na sua vida e alcançar maior bem-estar. Gostou deste conteúdo? Continue lendo artigos sobre saúde mental no blog da Vittude.

Bruna Cosenza

Escritora, produtora de conteúdo freelancer e LinkedIn Top Voice 2019. Autora de "Sentimentos em comum" e "Lola & Benjamin", escreve para inspirar as pessoas a tornarem seus sonhos reais para que tenham uma vida mais significativa.

Recent Posts

Motivação: 7 Estratégias para se manter inspirado em qualquer situação

Entenda o que é a motivação e quais fatores internos e externos influenciam essa força…

22 horas ago

Benefícios dos exercícios de mindfulness + 5 exemplos para incluir na sua rotina

Os exercícios de mindfulness são uma ótima estratégia para encontrar um pouco de paz, silêncio…

1 mês ago

Qual é a relação entre saúde mental e qualidade de vida?

Entenda como saúde mental e qualidade de se relacionam e confira hábitos que você deve…

1 mês ago

Quais são os efeitos colaterais de medicamentos psiquiátricos?

Entenda quais são os efeitos colaterais que podem ser causados por medicamentos psiquiátricos e tire…

1 mês ago

Técnicas de relaxamento para ansiedade: 8 dicas para aliviar crises

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil tem a maior prevalência…

1 mês ago

Psicoterapia dentro das empresas: por que apostar nesse benefício?

O cenário de saúde mental no Brasil é um dos piores do mundo, mas até…

1 mês ago