Contabilidade para psicólogos

O que os psicólogos precisam saber sobre contabilidade e abertura de empresa

  |  Tempo de leitura: 5 minutos

* Por Conube Contabilidade Online

Em um mundo com pessoas cada vez mais preocupadas, estressadas, com mais afazeres e menos tempo, mercado competitivo, acúmulo de funções e diversos aspectos influenciando seu estado emocional e sua saúde mental, a figura do psicólogo ganha força e esse profissional tem sido cada vez mais buscado, sobretudo por empresários e gestores em geral.

Neste contexto, o psicólogo presta seu serviço, recebe por ele e estamos conversados, certo? Simples assim? Hum, nem tanto! Parafraseando William Shakespeare, “há mais mistérios nesta relação do que a vã filosofia dos homens possa imaginar”. Será que esses profissionais estão preparados para lidar com os desdobramentos contábeis e fiscais da sua prestação de serviços? Afinal, o que os psicólogos precisam saber sobre contabilidade?

Bom, toda a história começa com os temidos tributos e a famosa declaração de imposto de renda. Algo que muitos profissionais (psicólogos ou não), ainda ignoram e, com isso, passar a correr sérios riscos de caírem na malha fina do governo federal. A regra é simples. A partir de uma certa quantia mínima de valores recebidos e bens, todos os ganhos que são recebidos e transitados, precisam ser devidamente declarados e a pessoa (física ou jurídica), deve arcar com os impostos que incidem sobre essa conta.

Contabilidade – Declarar como pessoa física?

Uma vez constatado o fato de que a renda deverá ser declarada, as contas começam para determinar o melhor cenário. Considerando que somos pessoas físicas primeiro, cabe analisar a seguinte situação: se for declarar seus ganhos como pessoa física, como autônomo, o psicólogo, assim como qualquer outra pessoa, vai se deparar com porcentagens altíssimas. Para citar algumas, vai pagar até 20% de INSS e até 27,5% de Imposto de Renda. Aiiiii! Essa doeu!

O quê??? Posso pagar até 30% de imposto sobre o que eu ganho? Exatamente! É assustador, mas é a verdade! Esse é o momento que bate aquela revolta, desânimo, vontade de largar tudo! “Ah, é por isso que tem tanta sonegação. Está é certo! Não tem que pagar isso mesmo”… Ok! Momento de revolta totalmente compreensível. Realmente os impostos são exorbitantes. Passado esse instante, é hora de colocar a cabeça no lugar e pensar na solução!

Sonegar é o caminho?

Ora, responder “sim” para essa pergunta é corajoso e, no mínimo, leviano. A coragem é porque hoje o governo está com um sistema que cruza todos os dados dos cidadãos, rastreando todas as movimentações de débito, cheques emitidos, extratos bancários, cartões de crédito, cartório de registro de imóveis, ou seja, dificilmente qualquer transação passará batida.

Aliás, o governo atualmente faz esse rastreio utilizando o T-Rex, um supercomputador desenvolvido nos Estados Unidos que leva o nome do devastador Tiranossauro Rex, que foi o maior predador terrestre, e esse equipamento roda com o software chamado Harpia, a mais mortal ave de rapina que já existiu. A mensagem do governo é bem clara: Por cima ou por baixo, nós vamos pegar você! Eitaaa!

Psicólogo pode ser MEI?

A situação está apertando. Ainda resta a esperança de poder ser MEI (Microempreendedor Individual), que tem um CNPJ e paga uma taxa única e reduzida por mês, masss… psicólogos não podem ser MEI. É uma atividade não permitida.

E mesmo se pudesse, o MEI tem diversas limitações como empresa, entre elas o limite de faturamento de R$ 60 mil anuais (equivalente a R$ 5 mil mensais), só poder contratar uma pessoa pagando o piso da categoria, não poder ter sócios, entre outras particularidades.

E se eu abrir empresa? Vou pagar menos impostos?

Quando o desespero começar a tomar conta, eis que surge uma solução relativamente simples. Empreender, abrir empresa e começar a economizar em impostos. Sim! O psicólogo pode abrir sua empresa como Empresário Individual, EIRELI ou Limitada e tendo o CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) nº 8650-0/03, que compreende as atividades de psicologia e psicanálise.

Desta forma, o profissional pode estar enquadrado no regime tributário do Simples Nacional ou do Lucro Presumido. Estando no Lucro Presumido, os impostos são a partir de 16,33%, enquanto no Simples Nacional estará no Anexo VI, que paga a partir de 16,93%. Ou seja, são porcentagens bem próximas, mas aí vale a comparação entre os regimes tributários. De qualquer forma, o cenário já vai ser bem melhor do que declarar como pessoa física e muito melhor do que sonegar impostos!

Quais as vantagens de atuar como empresa?

Bom, além de pagar menos impostos e ficar em dia com o fisco, atuando como empresa, o psicólogo tem outras vantagens. Uma delas é mostrar profissionalismo e maturidade, depois vem a organização da vida financeira, a possibilidade de emissão de notas fiscais.

Outros aspectos positivos são a comprovação de renda, facilidade para créditos bancários, aumento de limite de cartão de crédito, descontos com planos de telefonia celular, assistência médica e compra de carros e muitas outras vantagens.

  • Se você quer mais dicas para melhorar a contabilidade do seu negócio, acesse Conube!

* A Conube é um Escritório de Contabilidade Online criado sob medida para quem quer abrir empresa ou quem já tem empresa aberta e quer praticidade e tranquilidade para o seu dia a dia. Com a Conube, você emite notas fiscais, acompanha as atividades fiscais e trabalhistas da sua empresa através de uma linha do tempo, gerencia o calendário para pagamento de impostos e tudo com o suporte de experientes contadores. Controle tudo pela internet de forma simples, rápida e interativa. A Conube é parceira da Vittude.

Leia também:

Como abrir uma clínica de psicologia e como saber se devo atuar como empresa?

Psicoterapia dentro das empresas: por que apostar nesse benefício?

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta

Avalie esse artigo:

Artigo publicado em Reflexões

Comentários:

Please Login to comment
2 Comment threads
0 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Recent comment authors
trackback

[…] vale pensar em um calendário de eventos e palestras sobre o tema. É possível trazer tanto psicólogos como outras empresas ou profissionais que trabalhem na área de saúde mental e possam ajudar na […]

Tatiane Sanches Brandão

ahhh!! Mais um “textinho” que me anima , pois é exatamente como penso: revoltante , mas é assim , então bora pensar em como resolver.