Transtornos mentais por trás do suicídio

Conheça os transtornos mentais por trás do suicídio

  |  Tempo de leitura: 6 minutos

Primeiro preciso explicar o conceito de Transtornos Mentais, para evitar a confusão com algum tipo de deficiência física, “loucura” ou até mesmo frescura. Chamamos de Transtorno Mental, doença mental ou distúrbio psiquiátrico, o diagnóstico feito por um profissional de saúde mental, quanto a padrões comportamentais ou mentais causam sofrimento, anormalidade ou incapacidade de funcionar saudavelmente no cotidiano. Acima de qualquer outro tipo de problema de saúde, o sofrimento e incapacidade são a maior característica. Podem ser ocasionados por fatores biológicos, ambientais ou psicológicos, e não escolhem etnia/gênero/idade/cultura/classe econômica, podendo afetar qualquer pessoa em qualquer época da sua vida. A busca de nós profissionais é o retorno da Saúde Mental, que é definida como “Completo Bem-estar Psíquico e Social”

.

No texto anterior, sobre os Fatores de Risco e de Proteção, expliquei que dentre os indivíduos com maior risco de suicídio estavam aqueles que haviam tentado tirar a própria vida anteriormente e aqueles que sofriam de alguma Doença Mental. Também ressaltei que a Depressão, apesar de sua imagem estar sempre relacionada ao suicídio, não é a única causa para o ato.

De fato a Depressão é um dos Transtornos Mentais mais conhecidos e divulgados, e isso é positivo, pois tratamentos e conhecimentos sobre essa doença vêm sendo amplamente estudados. No entanto, também precisamos conhecer e expandir o conhecimento sobre os outros Distúrbios que possam levar o indivíduo a pensar, tentar ou tirar de fato sua própria vida.

Apesar da maioria das pessoas com risco de suicídio apresentar transtorno mental, grande parte não procura um profissional de saúde mental, mesmo em países desenvolvidos. Assim, o papel da disseminação da informação torna-se vital, para ajudar aqueles que não sabem que existe ajuda.

Conheça agora os Distúrbios Mentais com maior incidência ao Suicídio, e os sintomas característicos de cada um.

Transtornos mentais por trás do suicídio

Transtornos mentais por trás do suicídio

Depressão

Segundo a OMS, é a segunda mais importante causa de incapacidade no mundo, e caracteriza-se por:

  • Sentir-se triste, durante a maior parte do dia, quase todos os dias;

  • Perder o prazer ou o interesse em atividades rotineiras, irritabilidade, desesperança, queda da libido;

  • Perder peso ou ganhar peso (não estando em dieta);

  • Dormir demais ou de menos, ou acordar muito cedo, sentir-se cansado e fraco o tempo todo, sem energia;

  • Sentir-se inútil, culpado, um peso para os outros, ansioso, com dificuldade em concentrar-se, tomar decisões e dificuldade de memória;

  • Ter pensamentos frequentes de morte e suicídio.

Transtorno Afetivo Bipolar

O Transtorno Afetivo Bipolar está associado a um maior risco de suicídio, especialmente nas fases de depressão e nos casos de troca rápida de humor. Caracteriza-se por alterações de humor que se manifestam, como episódios depressivos, alternando-se com episódios de euforia (também denominados de mania), em diversos graus de intensidade.

  • Fase Depressiva: Mesmos sintomas da depressão;

  • Fase Maníaca: Auto-imagem inflada ou grandiosidade; Menor necessidade de sono; Aumento da velocidade do pensamento; Não consegue concentrar-se em uma atividade; Põe-se em situações de risco.

Transtorno relacionado ao uso de álcool e substâncias

Geralmente as mortes não são notificadas como suicídio, confundido muitas vezes com overdose ou acidente de trânsito. Mesmo assim é, no conjunto, a segunda doença mental mais associada ao suicídio, após os transtornos do humor. O suicídio está relacionado com:

  • Dependência;

  • Abstinência;

  • Tolerância;

  • Agressividade;

  • Impulsividade;

  • Fraco controle dos impulsos;

Esquizofrenia 

A esquizofrenia contribui com mais de 10% dos suicídios, por isso a importância da identificação precoce para  a prevenção, e principalmente a aceitação da família de que sofre de um transtorno, assim o tratamento faz-se eficaz. Se manifesta por:

  • Delírios;

  • Alucinações;

  • Discurso desorganizado;

  • Comportamento desorganizado;

  • Sintomas negativos (embotamento afetivo, diminuição da vontade, alogia, hipoedonia);

  • Perda de capacidade laboral/acadêmica/social.

Transtornos de Personalidade 

Os transtornos de personalidade apresentam risco aumentado de suicídio em até 12 vezes para homens e 20 vezes para mulheres, especialmente os transtornos de personalidade antissocial e Borderline (limítrofe).

  • Sofre e faz sofrer a sociedade;

  • Não aprende com a experiência.

  • Associa-se com outros transtornos psiquiátricos, como transtorno do humor e abuso de drogas;

  • Alterações marcantes no jeito de sentir, perceber a si e ao mundo e se relacionar.

A maneira mais eficiente de se reduzir o risco de suicídio nestes indivíduos, é o diagnóstico e tratamento correto do transtorno. Neste texto procurei apenas apresentar os Distúrbios, de modo a disseminar a informação sobre cada um deles, por isso, não substitui a avaliação psicológica feita por um profissional capacitado. Caso queira conhecer sobre meu trabalho com Transtornos Mentais, veja mais na página Sobre.  

Plataformas como a Vittude podem facilitar a busca por um psicólogo que atenda a requisitos específicos para atender a todos que precisem de acompanhamento. Acesse nosso site e confira você mesmo todas as oportunidades oferecidas!

Referências:

Associação Brasileira de Psiquiatria. Suicídio: informando para prevenir  / Associação Brasileira de Psiquiatria, Comissão de Estudos e Prevenção de Suicídio. – Brasília: CFM/ABP, 2014.

Ministério da Saúde –  Prevenção do Suicídio Manual dirigido a profissionais das equipes de saúde mental. Brasil, 2006.

WERLANG, B.G.; BOTEGA, N. J. Comportamento suicida. Porto Alegre: Artmed Editora, 2004

Éllen Martins – Psicóloga Clínica CRP 08/24797. Dona do Site Saúde das Emoções, idealizadora da Campanha Escolha Viver, trabalha com Transtornos Mentais e Prevenção ao Suicídio em Campo Largo e Curitiba/PR, por meio de palestras, entrevistas e atendimento psicológico individual. 

A Campanha Escolha Viver não busca falar sobre os efeitos negativos do Suicídio. E sim informar, disseminar, educar sobre Saúde Mental, pois a prevenção é a única maneira de combatermos este problema de saúde pública.  Agende sua consulta com a Éllen!

Leia também:

Síndrome de Borderline: conheça os sintomas e tratamentos deste transtorno

Depressão: causas, sintomas físicos, psicológicos e tratamentos

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade.