Um psicólogo e sexólogo vittude ajuda casais a curtirem os prazeres da vida a dois

Sexólogo – Quando procurar este profissional?

  |  Tempo de leitura: 9 minutos

Sexólogo é o profissional de saúde especializado em sexologia humana. Pode ser um psiquiatra, terapeuta de casal ou psicólogo que tenha feito uma formação técnica na área de sexualidade, sexologia, disfunções sexuais, entre outros.

Apesar de o Brasil ser um país conhecido pela liberdade e diversidade sexual, muita gente ainda tem vergonha de falar sobre sexo.  Logo, isso acaba se refletindo na qualidade das relações dentro do quarto.  Por essa razão o preconceito em relação a sexólogos – ou terapeutas sexuais – continua grande entre os casais.

Ao contrário do que muitos pensam, sexólogo não é nenhuma consulta ao ginecologista. Também não é terapia sobre como deixar de ter uma relação monogâmica, por exemplo. Não tem nudez ou nenhuma forma de contato sexual.

É apenas uma tradicional sessão de psicoterapia, onde é possível falar abertamente sobre suas vontades, problemas, e incômodos relacionados ao sexo. Todo mundo já teve alguma encanação ou algum problema em quatro paredes. Afinal, sejamos sinceros: fazer um sexo bom, transar gostoso, dá trabalho.

Jovens recém-casados normalmente têm problemas como decidir quem dá o primeiro passo, o que é excitante pra um ou para o outro, e quando ter relações (manhã? À noite? Sempre no mesmo horário?).

casais com filhos pequenos sempre estão cansados. Surgem dificuldades de manter a relação a dois com a mesma intensidade, o que acaba trazendo mágoas e ressentimentos para a relação. Enquanto os casais juntos há mais tempos estão lidando com outros problemas, como menopausa, andropausa, ressentimentos antigos, ou outros fatores que podem distanciar um casal na cama e apagar o desejo sexual.

Mas afinal, o que é um sexólogo?

O sexólogo ajuda os casais a falar sobre sexo um com o outro.  Nada está fora dos limites e nada é tabu para falar, já que a maioria das pessoas tem dificuldade em falar e expor qualquer coisa quando se trata de sexo.

Homens e mulheres não conversam com seus amigos sobre apetite sexual, sobre como chegar no clímax ou sobre os problemas no quarto. Nenhum outro profissional de saúde possui formação mais especializada para falar sobre esse assunto dentro do consultório, nem mesmo ginecologistas e urologistas.

Os sexólogos têm consciência do nervosismo e da ansiedade que pode acometer o paciente na hora de falar sobre sua sexualidade a estranhos e até mesmo para seu parceiro. Ele sabe como fazer para acolher o paciente, deixando-o mais à vontade com sua própria sexualidade. Às vezes, ajudando a descobrir coisas que nem mesmo o paciente tinha consciência.

O sexólogo ajuda a chegar à raiz do problema. Os casais sozinhos muitas vezes não conseguem resolver esses problemas íntimos por conta própria. Muitas vezes, desapontamento, mágoa, raiva, ressentimento, acusações, inibição e várias rodadas de brigas podem acabar com a discussão mais necessária.

O medo de confrontar o problema e descobrir que eles não são verdadeiramente compatíveis é tão poderoso que eles atrasam a possibilidade de trazer prazer de novo para o casal. Na maioria das vezes, é na terapia sexual que eles encontram uma maneira de sentir mais prazer e mais alegria.

Mas como funciona uma consulta com um Sexólogo?

Normalmente, o principal objetivo do terapeuta inicialmente é descobrir qual é o problema principal do indivíduo. Suas queixas, seus incômodos e desejos.

Normalmente é realizada uma entrevista inicial, onde são realizadas perguntas sobre sua história sexual. Além disso, podem ser explorados outros detalhes, como sobre a sua infância, o casamento dos seus pais e o que lhe ensinaram direta e indiretamente sobre sexo.

Primeiro é preciso saber como é a relação de cada paciente com o sexo, para depois entender qual o problema na relação com o parceiro. O atendimento pode ser individual, como também pode funcionar bem em conjunto, como uma terapia de casal.

Durantes as sessões, serão trabalhadas quais os principais pontos que o paciente sente falta na relação dos dois:

  • Se é frequência;
  • Conexão emocional;
  • Ausência de entusiasmo;

A partir daí alguns “deveres de casa” podem ser apontados.  Na terapia com um  sexólogo online, esse encontro se dá através de formulários online e vídeo-chamada. Há também textos e links de sites que podem ajudar o sujeito ou o casal, tanto para identificar o problema como para novas sugestões de atividades em dupla.

O tempo de duração da terapia sexual, ou seja, do encontro com o sexólogo, depende das questões que serão conversadas durante os encontros, ou quais são os “problemas” apresentados. Há questões que podem durar uma ou duas sessões apenas, enquanto outras como traumas e histórias de abuso, por exemplo, não tem necessariamente um tempo definido de encontros.

Normalmente, esses problemas são divididos em três grupos:

  1. Problemas de orientação sexual – Por exemplo, uma jovem não sabe como ter um orgasmo, geralmente leva duas sessões ou menos. A ejaculação precoce é facilmente resolvida antes que o ressentimento se instale. São dúvidas e questionamentos fáceis de ser resolvido, porém se não o são, podem causar problemas e dificuldades na vida sexual da pessoa pro resto da vida.
  2. Problemas sexuais no relacionamento – a maior parte dos casais que vejo tem problemas sexuais amarrados no nó de sua luta de poder entre si. O sexo serve como um campo de batalha perfeito para resolver questões mais profundas sobre o quão perto cada um deles quer se sentir e quanto autonomia eles querem receber no casamento ou na parceria. Isso geralmente leva pelo menos 15 semanas – 6 meses e envolve aconselhamento matrimonial ou aconselhamento de casal também.
  3. Trauma, histórias de abandono ou abuso na infância – problemas sexuais resultantes dessas questões podem levar anos para serem resolvidos. Nem toda pessoa que foi molestada precisa de anos ou terapia para ter uma vida sexual feliz. Porém, algumas o fazem, dependendo de quem foi o agressor, quanto tempo durou e se a violência estava envolvida. Sentimentos de morte sexual são muitas vezes um padrão defensivo para nunca confiar em outro com necessidades primitivas e muitas vezes precisam de um tratamento terapêutico mais longo.

Por fim, quais problemas efetivamente o sexólogo ajuda a resolver?

Entre as queixas femininas estão:

  • Mulheres que querem ter seu primeiro orgasmo; ou quer orgasmo com o parceiro;
  • Anorgasmia (a mulher não consegue chegar ao orgasmo nem na masturbação nem com o parceiro);
  • Dispareunia: dor no genital durante o ato sexual;
  • Vaginismo: contração involuntária dos músculos vaginais impedindo ou dificultando a penetração;
  • Desejo Sexual Hipoativo: falta de desejo completa ou diminuição de realizar atividade sexual;
  • Superar os sentimentos de “nojinho” sobre diferentes atos sexuais;
  • Sobreviventes de câncer de mama.

Entre as principais queixas masculinas estão:

Sexólogo Online

Se você leu até aqui, e mesmo assim tem vergonha de falar sobre sua sexualidade e suas dificuldades na cama, uma ótima opção pode ser o atendimento online.

As consultas são realizadas com toda a discrição, sem precisar ir até um consultório. Os formulários podem ser respondidos online e toda a qualidade da consulta é garantida, mesmo que à distância.

É nítido como os pacientes se abrem mais facilmente por não estar com o contato direto com o sexólogo. Por isso, muitas vezes, o resultado é até mais rápido – dependendo do problema, claro. Hoje, com acesso a internet e todas as informações, é muito mais fácil conseguir ajuda e ter uma vida sexual saudável, como você sempre sonhou.

Quando procurar um sexólogo?

Apesar da identificação apenas com a palavra sexo, o prazer é algo que abrange a vida como um todo. Uma pessoa sem prazer em sua vida afetiva, pode apresentar sentimentos de insatisfação e inadequação em seu cotidiano. Nesse momento, o mais recomendado a fazer é procurar um sexólogo e começar um processo de terapia sexual.

Quem procurar?

O mais comum é que os profissionais que tratem disfunções sejam da área da medicina ou psicologia, pois essas duas profissões possuem conhecimento para tratar doenças físicas e psíquicas.

Com o avanço da tecnologia, procurar um sexólogo online tem sido a opção de muitas pessoas, em especial pela facilidade, sigilo e conforto do cliente.

Plataformas como a Vittude podem facilitar a busca por um psicólogo que atenda a requisitos específicos para atender a todos que precisem de acompanhamento. Acesse nosso site e confira você mesmo todas as oportunidades oferecidas!

Gostou do texto? Acredita que é hora de procurar um sexólogo? Que tal agendar uma consulta com um dos nossos sexólogos online?

Outros artigos que podem interessar:

Massagem tântrica: conheça os benefícios da técnica

7 dicas de sexólogos para melhorar o sexo

Artigo atualizado em 27/12/2019

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta

Avalie esse artigo:

Artigo publicado em Relacionamentos

Comentários:

Please Login to comment
6 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
4 Comment authors
Tatiana PimentaGlauciaCamargoPaulo Recent comment authors
trackback

[…] mesma forma, vale a dica de se dedicar ao encontro de um bom terapeuta sexual (ou sexólogo), que é o profissional da saúde mais indicado para conversar sobre todas as questões a respeito […]

trackback

[…] da região pélvica, como se não pudessem sentir prazer em outras partes do corpo”, comentou um sexólogo da […]

Glaucia

Estou passando por falta de desejo sexual. Será que um sexólogo pode me ajudar?

Camargo
Camargo

Meu nome é Carlos tenho 18 anos e decidi perder a virgindade com uma garota de programa,mas o fato é que no início tive bastante dificuldade de “ficar eréto”, e logo depois que consegui ter uma ereção e comecei com a penetração não consegui mante-la por tempo suficiente e não consegui chegar ao orgasmo.Você acha que pode ser o nervosismo e aquela cobrança social de que o homem não pode brochar na hora H o responsável de eu ter falhado?

Camargo
Camargo

Meu nome é Carlos,tenho 18 anos,e decidi perder a virgindade com uma garota de programa,mas o fato é que no início tive bastante dificuldade de “ficar eréto”, e logo depois que consegui ter uma ereção e comecei com a penetração não consegui mante-la por tempo suficiente e não consegui chegar ao orgasmo.Você acha que pode ser o nervosismo e aquela cobrança social de que o homem não pode brochar na hora H o responsável de eu ter falhado?

Paulo

Bacana.