Perda de um ente querido: como lidar com a ausência e superar?

Perda de um ente querido: como lidar com a ausência e superar?

  |  Tempo de leitura: 9 minutos

A perda de um ente querido é uma experiência devastadora. A notícia é sempre recebida com desespero e profunda tristeza, seguido pelo medo de um futuro sem a presença dele. 

Afinal, como viver na sua ausência? Como aproveitar os momentos bons? Como passar por dificuldades sem o seu apoio? A perspectiva de uma vida sem o ente querido pode ser assustadora, especialmente quando o laço entre vocês é forte. 

A morte de uma pessoa querida implica uma grande mudança para a vida de quem ficou. Ela passará a viver somente nas lembranças, aquecendo o coração com a sua lembrança e deixando saudades. A casa fica um pouco mais vazia, os dias um pouco mais silenciosos e os planos para o futuro deixam de contar com um integrante.  

Como lidar com tudo isso? 

As particularidades do luto 

O luto é o estado emocional em que as pessoas se encontram após a perda de uma pessoa querida. Uma sensação de vazio se instala no peito, como se a vida tivesse perdido um pouco de propósito. Pode levar meses ou até mais de um ano para quem sofreu essa perda volte a se sentir bem. 

A psiquiatra suíça-americana Elisabeth Kübler-Ross, pioneira em pesquisas com pacientes de câncer e AIDS em estágio terminal, estudou a proximidade com a morte. Ela identificou cinco fases do luto. São eles:

Negação: a primeira reação diante da notícia da perda. A pessoa não aceita o ocorrido e passa a lutar contra a realidade, negando a morte da pessoa próxima. 

Raiva: o segundo estágio é marcado pela raiva. Ela é expressa por meio da agressividade e dos questionamentos raivosos, como “por que ela/ele partiu e não eu?” ou “por que a vida é tão injusta?”.  

Barganha: tentativas infrutíferas de barganhar pela volta do ente querido ou o prolongamento de sua vida quando ele se encontra gravemente doente.  

Depressão: imensa tristeza acompanhada de melancolia e solidão, a qual pode evoluir para depressão se não tratada. 

Aceitação: após enfim externalizar os sentimentos negativos, o indivíduo que sofreu a perda aceita a finitude da vida. 

Segundo a médica, as fases do luto são uma resposta emocional esperada nessa situação. Assim, devem ser sentidas e expressadas de maneira saudável para que as pessoas sejam capazes de lidar com a perda de um ente querido. 

Quando não é bem administrado, no entanto, o luto se transforma em um obstáculo para a saúde mental e física, carreira, relacionamentos, vida financeira, objetivos pessoais e outras áreas da vida. Ele pode ocasionar sentimentos de solidão, culpa, apatia, perda de identidade e até ideação suicida. 

Como lidar com a perda de um ente querido?

A perda significa o fim. 

O fim de uma amizade ou um relacionamento amoroso. O fim do contato diário, conversas olho-no-olho, troca de experiências, abraços e beijos e planos feitos em conjunto. Embora o fim seja um conceito com o qual estamos familiarizados, ainda é difícil se preparar para esse momento fatídico e mais difícil ainda é lidar com ele. 

A maneira como cada pessoa enfrenta a perda de um ente querido é única dado que depende da personalidade, inteligência emocional, experiências de vida, fé e intensidade do vínculo afetivo. 

Como esses elementos diferem de um indivíduo para o outro, os estágios do luto também são sentidos distintamente, até mesmo entre familiares. 

Algumas pessoas sofrem por um longo período enquanto outras conseguem administrar as suas emoções e o sofrimento com o luto é minimizado. Dessa forma, conseguem se dedicar as tarefas diárias apesar da tristeza. Além disso, nem todas as pessoas experimentam todos os cinco estágios na ordem descrita anteriormente.  

Apesar do fim ser doloroso, é possível aprender a lidar e conviver com ele de uma maneira mais sadia. Veja abaixo nossas dicas para enfrentar a perda de um ente querido. 

Permita-se ficar triste

Permita-se sentir todos os sentimentos aflorados com o luto. Fique triste, sinta raiva, tenha saudades. Se você reprimir como se sente, pode causar sérias complicações emocionais a si mesmo, como estresse e ansiedade. Não é errado viver o luto. Só é preciso tomar cuidado para não persistir nas emoções negativas por um longo período. 

Perda de um ente querido: como lidar com a ausência e superar?

Seja paciente

Tenha paciência consigo mesmo. Se precisar de semanas, meses ou mais de um ano para se acostumar com a ausência da pessoa amada, tudo bem. Seja paciente com suas recaídas emocionais, pensamentos negativos e confusão acerca de como viver a partir de agora. Deixe o tempo curar as suas feridas e viva um dia de cada vez.  

Lembre-se de coisas boas

Quando a tristeza vier, lembre-se de coisas boas sobre o ente querido. Revisite momentos divertidos e alegres, bem como aqueles que aprofundarem o seu relacionamento. Assim, você aprenderá a sorrir quando se lembrar de quem já se foi. 

Tente manter o seu estilo de vida normal

Pouco a pouco, retorne ao seu estilo de vida normal. Estude, trabalhe, converse, planeje e se relacione. Evite fazer mudanças drásticas. Manter o estilo de vida como ele era antes aumenta a sensação de segurança neste momento difícil. 

Se perdoe

Se perdoe por todas as coisas que você gostaria de ter dito e não disse, assim como pelo que gostaria de ter feito e não fez. A culpa agrava a tristeza de quem perdeu um ente querido. 

Dê uma pausa 

Não fique pensando somente em sua perda. Vá ao cinema, aprenda uma nova habilidade, faça uma viagem e participe de um curso. Em outras palavras, diversifique as suas experiências para que a sua mente se distraía da tristeza mesmo que momentaneamente. 

Como consolar alguém que perdeu um ente querido?

Se alguém próximo perdeu uma pessoa amada, você pode ajudá-lo a passar por essa experiência. Nesse momento, é essencial que os amigos e demais familiares apoiem o enlutado, especialmente se ele demonstrar incapacidade de superar a perda. 

Ofereça escuta para que a pessoa compartilhe seus sentimentos. Às vezes, as pessoas só querem desabafar e não estão procurando por soluções práticas. Então, aconselhe somente quando houver um pedido sobre o que fazer. 

Convide a pessoa que precisa de ajuda para passear, viajar, fazer um programa divertido em casa, praticar um esporte e outras atividades que podem ser feitas em conjunto. Os convites são essenciais para que ela gradualmente retome os seus compromissos sociais ao lado de outros entes queridos. 

Por fim, exercite a paciência. É difícil perder alguém querido, por isso, não force o enlutado a fazer o que ele não. Tenha empatia, como se você estivesse passando por aquele sofrimento no lugar dele. Dessa forma, você terá uma nova perspectiva sobre o que ele está sentindo.  

Terapia para ajudar com a perda de um ente querido

A perda de uma pessoa amada costuma levar muitos indivíduos para a terapia. A dificuldade de lidar com as emoções e a noção de que a pessoa se foi torna o dia a dia insustentável. Assim, buscar um profissional para ajudar nesse processo é uma ideia que costuma passar pela cabeça.

Mas nem sempre é assim. Há muitos que preferem lidar com a situação sozinhos ou ficam tão desolados que não sabem quais recursos estão disponíveis para eles. 

Como aprender a lidar com a ausência de um ente querido é um processo complicado, cheio de recaídas emocionais e desafios, a terapia é uma ferramenta que auxilia as pessoas a conviverem com essa nova realidade. A dor é intensa, mas ela pode ser administrada para que não cause estagnação. 

Perda de um ente querido: como lidar com a ausência e superar?

A terapia convida as pessoas a se expressarem livremente, comunicando seus pensamentos, medos e dificuldades. O psicólogo orienta os pacientes a refletirem acerca dos seus dilemas e fornece, ainda, aconselhamentos pertinentes que os ajudam a lidar com situações negativas. 

É dessa maneira que eles desenvolvem as suas competências emocionais de modo natural e aprofundam o autoconhecimento. É essencial se autoconhecer para aprender a controlar as emoções e o humor, bem como aproveitar as oportunidades da vida e superar adversidades. 

A Vittude é uma plataforma de terapia online onde as pessoas podem vivenciar todos esses benefícios. Através de videochamadas na própria plataforma, pacientes conversam com psicólogos credenciados e com especialidades diversas. O ambiente virtual desenvolvido pela Vittude é confortável e seguro, assim, pacientes não precisam se preocupar com nada além da própria saúde mental. 

Como marcar consulta com a Vittude?

Para encontrar psicólogos para ajudá-lo com a lidar com a perda de um ente querido, basta acessar a plataforma da Vittude e buscar pelos perfis dos(as) profissionais. Em cada um, você encontra informações sobre os horários e datas disponíveis para agendar consultas e trajetória profissional do psicólogo. 

Também é possível encontrar profissionais com a ferramenta Vittude Match após responder um breve questionário sobre as suas necessidades emocionais. 

Em seguida, escolha o horário e a data que melhor se encaixam com seus compromissos e defina um método de pagamento. A Vittude fica responsável por lembrá-lo de seu compromisso com o psicólogo antes da consulta. 

O fim é doloroso e o conjunto de emoções negativas pode ofuscar a sua perspectiva de futuro com a ausência da pessoa querida. Se você está sofrendo com o luto, não hesite em procurar ajuda psicológica.

Que tal começar seu acompanhamento psicológico? Agende uma sessão na Vittude ainda essa semana!

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta