Pular para o conteúdo

Síndrome de Asperger – Características, diagnóstico e tratamento

Síndrome de Asperger – Características, diagnóstico e tratamento
5 (100%) 2 votes

Síndrome de Asperger  é um transtorno neurobiológico enquadrado dentro da categoria Transtornos do Neurodesenvolvimento, de acordo com o DSM-V.  Afeta a forma como as pessoas percebem o mundo e interagem com outras pessoas.  Trata-se de um dos perfis  ou espectro de autismo

Pessoas com síndrome de Asperger vêem, ouvem e sentem o mundo de forma diferente de outras pessoas. Se você tem síndrome de Asperger, você tem um quadro para a vida – não é uma doença e, portanto, não pode ser “curada”. Muitas vezes, as pessoas sentem que a Síndrome de Asperger é um traço fundamental da sua identidade.

O autismo é uma condição de espectro. Todas as pessoas autistas compartilham certas dificuldades, mas ser autista tem implicações particulares e únicas em cada indivíduo. Algumas pessoas com síndrome de Asperger também têm problemas de saúde mental ou outras condições, o que significa que as pessoas precisam de diferentes níveis e tipos de apoio.

Pessoas com Síndrome de Asperger possuem inteligência média ou acima da média. Eles geralmente não têm dificuldades de aprendizagem que muitas pessoas autistas têm, mas podem ter dificuldades específicas de aprendizagem. Eles têm menos problemas com a fala, mas ainda podem ter dificuldades em entender e processar a linguagem.

Com o tipo certo de apoio, todos podem ser ajudados a viver uma vida mais gratificante de sua própria escolha.

Descubra quantas pessoas têm autismo, como as pessoas com síndrome de Asperger vêem o mundo, como a síndrome de Asperger é diagnosticada e como você pode ajudar.

Quão comum é a Síndrome de Asperger?

O autismo, incluindo a síndrome de Asperger, é muito mais comum do que a maioria das pessoas pensa. De acordo com o jornal El País, cerca de 1% da população mundial tem algum tipo de TEA, segundo dados dos Centros para o Controle e a Prevenção de Doenças do Governo dos Estados Unidos. E segundo a revista especializada Jama Pediatrics, mais de 3,5 milhões de norte-americanos têm autismo, enquanto no Reino Unido 604.000 pessoas são classificadas dentro desse espectro.

Estima-se que o Brasil tenha hoje cerca de 2 milhões de autistas. Aproximadamente 407 mil pessoas somente no estado de São Paulo. As pessoas com síndrome de Asperger vêm de todas as nacionalidades e contextos culturais, religiosos e sociais, embora pareça afetar mais homens do que mulheres.

Como as pessoas com Síndrome de Asperger vêem o mundo?

Algumas pessoas com síndrome de Asperger afirmam sentir o mundo de forma esmagadora e isso pode causar grande ansiedade.

Em particular, entender e se relacionar com outras pessoas, participar de toda a vida familiar, escolar, laboral e social pode ser mais difícil. Outras pessoas parecem saber, intuitivamente, como se comunicarem e interagirem uns com os outros, mas também podem lutar para construir um relacionamento com pessoas com Síndrome de Asperger. Pessoas com Síndrome de Asperger podem se perguntar por que são “diferentes” e sentir que suas diferenças sociais significam que as pessoas não as entendem.

Pessoas autistas, incluindo aqueles com Síndrome de Asperger, muitas vezes não “parecem” incapacitadas. Alguns pais de crianças autistas dizem que outras pessoas simplesmente pensam que seu filho é levado, enquanto os adultos acham que eles são mal interpretados.

Diagnóstico

O diagnóstico é a identificação formal da condição. Geralmente é realizado por uma equipe de diagnóstico multidisciplinar, incluindo freqüentemente um terapeuta de fala e linguagem, pediatra, psiquiatra e / ou psicólogo. Como a Síndrome de Asperger varia muito de pessoa para pessoa, fazer um diagnóstico pode ser difícil. Pode ser diagnosticado tardiamente em crianças, quando comparado a outros espectros do autismo. Algumas dificuldades podem não ser reconhecidas e diagnosticadas até a idade adulta. 

Os benefícios de um diagnóstico

Algumas pessoas vêem um diagnóstico formal como um rótulo inútil. No entanto, obter uma avaliação e diagnóstico oportuna e completa pode ser útil porque:

  • Isso ajuda pessoas com Síndrome de Asperger (e suas famílias, parceiros, empregadores, colegas, professores e amigos) a entender por que eles podem enfrentar certas dificuldades. E o que podem fazer sobre elas;
  • Permite que as pessoas tenham acesso a serviços e suporte

Saiba mais sobre o diagnóstico e como obter um

Obter um diagnóstico formal de autismo pode significar acesso ao suporte certo. Representa também uma explicação de porque certas coisas são tão difíceis. Há uma série de “testes de autismo” on-line, mas estes não podem garantir um diagnóstico preciso. Esses testes não substituem um diagnóstico formal.

Se você deseja obter um diagnóstico assertivo, o primeiro passo é agendar uma consulta com um psicólogo ou neuropsicólogo. Profissionais especializados em transtornos de desenvolvimento podem ajudá-lo com as orientações sobre o tratamento mais adequado. Sites como a Vittude proporcionam a pais e tutores uma forma fácil e rápida de encontrar um profissional altamente qualificado.

encontre-um-psicólogo

Como a síndrome de Asperger é diagnosticada

As características da síndrome de Asperger variam de uma pessoa para outra. Para que um diagnóstico seja confirmado, o indivíduo provavelmente terá apresentado dificuldades persistentes com comunicação social, interação social e padrões restritos e repetitivos de comportamentos, atividades ou interesses desde a primeira infância. Esses padrões, em geral,  “limitam e prejudicam o funcionamento cotidiano”.

O autismo é uma condição de espectro. Todas as pessoas autistas compartilham certas dificuldades, mas ser autista afetará cada indivíduo de maneira diferente.

Essas diferenças, juntamente com as diferenças na abordagem diagnóstica, resultaram em uma variedade de termos usados ​​para diagnosticar pessoas autistas. Os termos que foram usados ​​incluem autismo, transtorno do espectro do autismo (TEA), condição do espectro do autismo, autismo atípico, autismo clássico, autismo Kanner, transtorno invasivo do desenvolvimento, autismo com alto funcionamento e Síndrome de Asperger.

Devido às mudanças recentes e futuras dos principais manuais de diagnóstico, o “transtorno do espectro do autismo” (TEA) provavelmente se tornará o termo diagnóstico mais comum. No entanto, os clínicos ainda usarão termos adicionais para ajudar a descrever o perfil de autismo particular apresentado por um indivíduo.

Dificuldades persistentes com comunicação social e interação social

Comunicação social

Pessoas autistas, incluindo aqueles com Síndrome de Asperger, têm dificuldade em interpretar linguagem verbal e não verbal como gestos ou tom de voz. Muitos têm uma compreensão muito literal da linguagem. Em geral, não conseguem compreender quando as pessoa utiliza uma palavra com segunda interpretação. Por exemplo, quando alguém utiliza a expressão “aquela mulher é uma gata”. É muito difícil compreender, que gata, nesse contexto, significa beleza e não o animal. Eles podem achar difícil usar ou entender:

  • Expressões faciais
  • Tom de voz
  • Piadas e sarcasmo
  • Imprecisão
  • Conceitos abstratos.

As pessoas com Síndrome de Asperger geralmente têm boas habilidades linguísticas. Porém, ainda podem achar difícil entender as expectativas dos outros dentro de conversas. Podem repetir o que a outra pessoa acabou de dizer (isto é chamado de ecolologia) ou conversar extensamente sobre seus próprios interesses.

É importante falar de forma clara e consistente e a dar tempo às pessoas para processar o que lhes foi dito. 

Interação social

As pessoas com Síndrome de Asperger têm dificuldade em “ler” outras pessoas. Reconhecer ou entender os sentimentos e intenções dos outros. Expressar suas próprias emoções. Torna-se muito difícil para eles a interação no mundo social. Eles podem:

  • Parecer ser insensíveis;
  • Procurar tempo sozinho quando sobrecarregado por outras pessoas;
  • Não procurar o conforto e carinho de outras pessoas;
  • Se comportar “estranhamente” ou de uma maneira considerada, por outros, como socialmente inapropriada.

Pode ser difícil criar amizades. Alguns podem desejar interagir com outras pessoas e fazer amigos, mas podem não ter certeza de como realizar isso.

Padrões restringidos e repetitivos de comportamentos, atividades ou interesses

Comportamento repetitivo e rotinas

O mundo pode parecer um lugar muito imprevisível e confuso para pessoas com Síndrome de Asperger. Indivíduos com Asperger, muitas vezes preferem ter uma rotina diária para que eles saibam o que acontecerá todos os dias. Eles costumam seguir o mesmo trajeto para a escola ou trabalho. Gostam de comer exatamente o mesmo alimento para no café da manhã, por exemplo.

O uso de regras também pode ser importante. Pode ser difícil para alguém com Asperger ter uma abordagem diferente para algo, uma vez que eles tenham sido ensinados a maneira “certa” de fazê-lo. Podem não se sentir confortáveis ​​com a ideia de mudança, mas podem ser capazes de lidar melhor se puderem preparar as mudanças com antecedência. 

Interesses altamente focados 

Muitas pessoas com Síndrome de Asperger têm interesses intensos e altamente focados, muitas vezes de uma idade bastante jovem. Estes podem mudar ao longo do tempo ou manter-se inalterados ao longo da vida, como artes, música, gosto por carros ou computadores. Um interesse às vezes pode ser incomum. Uma pessoa adorava colecionar lixo, por exemplo. Com o encorajamento, a pessoa desenvolveu interesse na reciclagem e no meio ambiente.

Muitos canalizam seu interesse para estudos, trabalho, voluntariado ou outra ocupação significativa. Pessoas com Síndrome de Asperger relatam frequentemente que a busca de tais interesses é fundamental para seu bem-estar e felicidade. 

Sensibilidade sensorial 

Pessoas com Síndrome de Asperger também podem experimentar maior ou menor sensibilidade a sons, toques, gostos, cheiros, luz, cores, temperaturas ou dor. Por exemplo, eles podem encontrar certos sons de fundo, que outras pessoas ignoram ou bloqueiam, insuportavelmente alto ou distrativo. Isso pode causar ansiedade ou até mesmo dor física. Ou eles podem estar fascinados por luzes ou objetos giratórios. 

Causas e curas 

O que causa a síndrome de Asperger?

A causa exata do autismo (incluindo a Síndrome de Asperger) ainda está sendo investigada. Pesquisas sugerem que uma combinação de fatores – genéticos e ambientais – podem explicar diferenças no desenvolvimento. Não é causada pela educação de uma pessoa, suas circunstâncias sociais e não é culpa do indivíduo com a condição. 

Existe uma cura? 

Não há “cura” para a síndrome de Asperger. No entanto, há uma série de estratégias e abordagens úteis para melhores condições de vida. 

Como você pode ajudar 

Você pode ajudar pessoas com síndrome de Asperger e suas famílias da seguinte forma:

Divulgando sua compreensão sobre autismo

Famosos com Síndrome de Asperger

  • Bill Gates
  • Vicent Van Gogh
  • Albert Einstein
  • Isaac Newton
  • Nikola Tesla
  • Steven Spielberg
  • Tim Burton
  • Woody Allen
  • Keanu Reeves
  • Lionel Messi
  • Michael Phelps
  • Ludwig Van Beethoven
síndrome de asperger famosos
O jogador de futebol Lionel Messi é um dos famosos diagnosticados com Síndrome de Asperger

Encontre seu psicólogo hoje mesmo. Visite o site da Vittude e agende sua consulta!

Fontes:
Texto traduzido e adaptado por Vittude do artigo em inglês Asperger Syndrome.

  • Ayanokouji

    Eu me vejo em varios sintomas , mas na questao da inteligencia nao sei se me encaixo , a tantas duvidas na minha cabeça , pois sempre tivi a sensaçao de que a algo de errado comigo .

    • Everton Höpner

      Boa noite! Neste caso, para um diagnóstico preciso, recomendamos uma avaliação neuropsicológica. Da uma olhada nesse vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=csTCXCiaKe8

      • Ayanokouji

        Boa noite ! vi o video e vou procurar aqui em minha cidade um profissional para que eu possa fazer essa avaliaçao neuropsicologica , obrigado por me mostrar esse video , isso é muito importante pra mim . O meu maior medo nisso é de ser avaliado e nao ter nada de errado comigo , isso vai significa que sou apenas um cara que nao quer nada da vida ou algo do tipo ? Isso parece tao complicado , mas obrigado de qualquer forma .

        • Everton Höpner

          Faça isso! De onde você é? Talvez tenhamos psicólogos na sua cidade. Independentemente do resultado um psicólogo saberá te orientar. Definitivamente nossa cabeça não é simples de entender. Vai dar tudo certo : ) Abraços e tenha uma ótima noite!

  • Elane Alana

    Boa noite! Tenho uma filha de 1 ano e 10 meses e vejo nela alguns sintomas .ela fala normal ,mas tem horas que pego ela fazendo movimentos repetidos e esses movimentos é des dos 5 meses de vida assisti o mesmo desenho se coloca outro começa a chora ,quando não gosta de uma coisa fica com raiva quer ate morde ou beliscar. Fica batendo a cabeça na parede porque achando engraçado .sera que ela pode ter Asperger!?

    • Everton Höpner

      Boa tarde Elane, tudo bem? Difícil afirmar com base na sua descrição. Recomendamos que seja feita uma avaliação neuropsicológica com um neuropsicólogo infantil ou mesmo um psiquiatra pediatra. O diagnóstico de Asperger demanda uma série de avaliações.

  • Samanta Holanda

    Bom dia, hoje recebemos o diagnóstico definitivo que meu filho de 8 anos tem Asperger. Tudo começou quando ele tinha 2 anos e eu achava estranho alguns comportamentos dele e a dificuldade que ele tinha de se relacionar com outras crianças. Levei em um Neuropediatra. Durante todos esses anos fizemos avaliações e acompanhamentos com psicologo, fono e o neuro. Não mudei de profissional pois confio no médico que escolhi. E hoje, conseguimos fechar o diagnóstico. Eu já esperava, mas receber a confirmação foi algo que me doeu e angustiou muito, principalmente em relação ao desenvolvimento dele na escola. Até o momento ele só apresenta ansiedade e dificuldade nas relações interpessoais. Eu gostaria de saber qual deve ser minha conduta junto a escola, como posso fazer para que tudo corra bem e quais os direitos que meu filho tem dentro da comunidade escolar.

    • Tatiana Pimenta

      Oi Samanta, tudo bem? Meu nome é Tatiana e sou uma das fundadoras da Vittude. Muito obrigada pela sua mensagem aqui! É muito importante saber que cada pessoa com Asperger é única, por isso se fala em espectro. O acompanhamento neuropsicológico é fundamental para aumentar a qualidade das interações sociais. Recomendamos que um profissional com experiência no atendimento de quadros do Transtorno do Espectro Autista faça a devida orientação sobre como proceder com a escola e professores. Você poderia por favor, nos enviar um e-mail para atendimento@vittude.com? Assim conseguimos dar um direcionamento mais assertivo para você e seu filho! 🙂
      Abraços,

      Tatiana

  • patricia soares

    Olá! Tenho um filho de 7 anos, em setembro passado foi fechado o diagnóstico dele de Asperger, é tudo muito novo para mim, apesar que eu já desconfiava. Na minha família muitas pessoas têm problemas mentais severos e eu sabia que corria esse risco.Desde maio de 2016 meu filho era acompanhado por uma equipe de fonoaudióloga, psicologa, psicopedagoga e neuropediatra. A escola percebeu algo incomum nele e me orientou. Às vezes me sinto angustiada, foi uma difícil escolha ser mãe, devido a essa carga genética que sei que possuo,então fui mãe aos 38 anos mas isso me deu uma excelente condição de acompanhá-lo em todos os momentos, pela minha maturidade, pela certeza da escolha, por tudo que eu já observei da vida e já havia preestabelecido padrões para a criação do meu filho, como sou servidora pública consegui redução das minhas atividades laborais, hoje participo de um grupo de auto ajuda organizado pela empresa prestadora do plano de saúde que acompanha meu filho e nesse grupo uma psicóloga orienta e esclarece sobre os comportamentos relacionados autismo em geral. Lá nesse grupo a psicóloga dá dicas de como criar por exemplo rotinas com os autistas, eu já fiz isso com o meu mesmo sem saber que ele era portador, mas sabendo da necessidade de se estabelecer uma rotina na vida de todo ser humano, rsrsrs. Ás vezes me sinto presenteada por Deus por ter recebido um filho especial, até agora não enfrentamos graves problemas, a interação social dele é quase perfeita, o intelectual dele é acima da média, estuda em escola regular de nível elevado(por exemplo usam 4 livros de matemática, sendo dois da série cursada e dois da série que será cursada no ano seguinte) e faz prova igual às outras crianças, agora por exemplo antes da prova bimestral ele já está aprovado, mas sei que virá um turbilhão de problemas na adolescência, sei que precisarei entrar nessa fase fortalecida. Aqui será mais um canal que usarei para pedir socooorro!

    • Tatiana Pimenta

      Oi Patrícia, tudo bem?
      Muito obrigada por compartilhar a sua história. Acredito que a troca de experiências nesse canal pode contribuir para ajudar outras mães e pais. Você poderia compartilhar mais estratégias do grupo que você participa? Sou uma das fundadoras da Vittude, e me coloco à inteira disposição para ajudar sempre que preciso. Sempre que nos unimos e partilhamos, ficamos mais fortes. 🙂