Mindfulness

Mindfulness: conheça os benefícios da atenção plena

Mindfulness: conheça os benefícios da atenção plena
6 avaliações

  |  Tempo de leitura: 8 minutos

Mindfulness é um termo da língua inglesa que, em português, significa atenção plena. Trata-se de uma palavra bastante direta. Mindfulness sugere que a mente está completamente atenta ao que está acontecendo, ao que você estamos fazendo, ao espaço que estamos ocupando. Pode até parecer trivial, com exceção do fato irritante: nossa mente tem a tendência de levantar vôo, literalmente. É comum estarmos ouvindo o diálogo de alguém e de repente, perceber, que nossos pensamentos já estão em outro lugar. Voando! Divagando! Pensando o que fazer no jantar, na viagem do próximo mês, nos planos das férias, etc. Nós perdemos contato com o nosso corpo com facilidade. É muito comum preocupar-se com o futuro. E isso aumenta, e muito, nossa ansiedade

É a prática de manter um estado de consciência aumentada, livre de julgamentos, dos seus pensamentos, emoções e experiências no presente. O estado ou habilidade de estar atento ou consciente de algo. Mindfulness é a prática de estar ciente de seu próprio corpo, mente, sentimentos e pensamentos para criar um estado de paz e tranquilidade.

Alguns sinônimos são alerta, cuidado, concentração, consciência e atenção. Mindfulness é sobre observar-se sem crítica, tendo compaixão por si mesmo. Atenção plena é a prática de prestar atenção de forma a criar espaço para a percepção.

Não importa o quão longe nossa mente consiga se afastar, a atenção plena ajuda a nos encaminhar de volta para onde estamos e o que estamos fazendo e sentindo. Se você quiser saber o que é mindfulness, é melhor praticar por um tempo.

Minfulness: a prática da atenção plena

Mindfullness ou atenção plena é a capacidade humana básica de estar plenamente presente, conscientes de onde estamos e o que estamos fazendo, e não excessivamente reativos ou oprimidos pelo que está acontecendo ao nosso redor.

Embora a atenção plena seja inata, ela pode ser cultivada através de técnicas comprovadas, exercícios para se praticar sentado, caminhando, em pé ou através da meditação em movimento (também é possível deitar, mas muitas vezes pode levar ao sono). Breves pausas que inserimos na vida cotidiana, mesclando a prática de meditação com outras atividades, como yoga ou esportes. Através dessas pausas, você permite-se ser feliz e viver o momento presente.

A meditação

Ao meditar, não preocupe-se em fixar determinada técnica, apenas pratique. Preste atenção na sua respiração, no momento presente e no ambiente ao seu redor. Quando estamos atentos, reduzimos o estresse, nos tornamos mais resilientes, obtendo conhecimento e conscientização através da observação de nossa própria mente. Aumentamos nossa atenção para o bem-estar dos outros e passamos a ser mais assertivos.

Através da meditação podemos suspender o julgamento e desencadear nossa curiosidade natural sobre o funcionamento da mente, abordando nossa experiência com compaixão e bondade – para nós mesmos e para os outros.

mindfulness como praticar a atenção plena

Meditar ajuda a manter a atenção no presente

Algumas coisas para saber sobre Mindfulness:

1) Minfulness não é algo oculto ou esotérico. É uma prática familiar para nós porque é o que já fazemos, como já estamos. É preciso muitas formas e passa por muitos nomes.

2) Mindfulness não é uma coisa especial adicionada que fazemos. Já temos a capacidade de estar presente, e não exige que mudemos quem somos. Podemos cultivar essas qualidades inatas com práticas simples cientificamente demonstradas para beneficiar nossos entes queridos, nossos amigos e vizinhos, as pessoas com quem trabalhamos e as instituições e organizações nas quais participamos.

3) Não é preciso mudar. Soluções que demandam mudar quem somos ou, nos tornamos algo que não somos, normalmente falham. Mindfulness reconhece e cultiva o melhor de quem somos como seres humanos.

4) Mindfulness tem o potencial de se tornar um fenômeno social transformador. Aqui está o porquê:

Qualquer um pode fazer isso

A prática de atenção plena cultiva qualidades humanas universais e não exige que ninguém altere suas crenças. Todos podem se beneficiar e é fácil de aprender.

É uma maneira de viver

Mindfulness é mais do que apenas uma prática. Isso traz consciência e atenção em tudo o que fazemos – e reduz o estresse desnecessário. Mesmo um pouco torna nossa vida melhor.

Como reduzir estresse no trabalho

Está baseado em evidências

Não temos que tomar consciência da fé. Tanto a ciência como a experiência demonstram seus benefícios positivos para a nossa saúde, felicidade, trabalho e relacionamentos.

Isso provoca inovação 

À medida que lidamos com a crescente complexidade e incerteza do nosso mundo, a atenção plena pode nos levar a respostas efetivas, resilientes e de baixo custo a problemas aparentemente intransigentes.

A meditação não está toda na sua cabeça

A meditação começa e termina no corpo. Isso envolve tomar o tempo para prestar atenção para onde estamos e o que está acontecendo, e isso começa com o conhecimento do nosso corpo. Esse mesmo ato pode ser tranquilizador, já que o nosso corpo tem ritmos internos que o ajudam a relaxar se a gente tiver uma chance.

Como se sentar? 

Aqui está uma prática de postura que pode ser usada como etapa inicial de um período de prática de meditação ou simplesmente como algo para fazer por um minuto, talvez para se estabilizar e encontrar um momento de relaxamento antes de voltar ao trabalho. Se você tem experimentado emoções negativas ou outras dificuldades físicas, você pode modificar isso de acordo com sua situação.

1) Pegue seu assento

O que quer que você esteja sentado – uma cadeira, uma almofada, um colchonete para meditação, um banco do parque – encontre um local que lhe dê um assento estável e sólido, não fique torto ou pendurado.

Mindfulness os benefícios da atenção plena

Peque seu assento e reserve alguns minutos do seu dia para a prática do mindfulness

2) Observe o que suas pernas estão fazendo

ente em uma almofada no chão, cruze as pernas confortavelmente na sua frente. (Se você já faz algum tipo de postura de ioga sentada, vá em frente). Se estiver em uma cadeira, é recomendável que seus pés possam tocar o chão.

3) Endireite

Mas, não endureça a parte superior do corpo. A coluna tem curvatura natural. Deixe ela estar lá. Sua cabeça e ombros podem descansar confortavelmente em cima de suas vértebras.

4) Situe os braços superiores paralelos à parte superior do corpo.

Em seguida, deixe as mãos caírem na parte superior das pernas. Com o seu braço ao seu lado, suas mãos acomodar-se-ão no lugar certo. Estar muito para a frente  fará você palpitar. Muito atrasado irá torná-lo rígido. Você está ajustando as cordas de seu corpo – não muito apertado e nem muito solto.

5) Solte o queixo um pouco e deixe seu olhar cair suavemente para baixo

Você pode deixar suas pálpebras mais baixas. Se você sentir a necessidade, pode abaixá-los completamente, mas não é necessário fechar os olhos quando meditar. Você pode simplesmente observar o que aparece à frente dos seus olhos sem concentrar-se nisso.

6) Fique por alguns instantes

Relaxe! Agora, levante-se e siga seu dia. Se, na próxima atividade na agenda, você perceber-se utilizando alguma técnica de atenção consciente, como prestar atenção à sua respiração ou às sensações em seu corpo, você começou no pé direito!

7) Comece de novo

Quando a sua postura for estabelecida, sinta sua respiração. Respire e expire profundamente. Preste atenção na sua respiração. Inevitavelmente, sua atenção abandonará a respiração e vagará para outros lugares. Quando você perceber isso – em alguns segundos, um minuto, cinco minutos – volte sua atenção para a respiração. Repita internamente: expire e inspire, até que você volte a atenção para a respiração. Volte. Você vai embora, você volta.

8) Respire

A respiração não serve apenas para absorção de oxigênio. Ella está ligada ao funcionamento e comportamento do cérebro. Cientistas descobriram, pela primeira vez, que o ritmo da respiração cria atividade elétrica no cérebro humano, sendo responsável por melhorar os julgamentos emocionais e a recuperação da memória. Os efeitos sobre o comportamento dependem criticamente de como você inala ou expira e se você respira através do nariz ou da boca.

É isso aí. Essa é a prática. Algumas pessoas podem afirmar que é muito simples, mas não é necessariamente fácil. O trabalho é apenas continuar fazendo isso. Os resultados serão acumulados.

Separei abaixo um vídeo onde a Monja Coen fala sobre Consciência Plena. Aperte o play e aproveite cada minuto!!!

Procurando Psicólogos em São Paulo? Agende hoje mesmo uma consulta!