Gratidão mulher agradecendo

Gratidão: um caminho comprovado para a felicidade e sucesso

  |  Tempo de leitura: 9 minutos

Gratidão!! Mais do que uma hashtag popular, estamos falando de um dos principais gatilhos da felicidade. Isso não é suposição: é ciência!

Sempre que reconhecemos acontecimentos, gestos, palavras ou pequenos detalhes do cotidiano como “dignos de nota” e agradecimento, nosso cérebro reage, aumentando o nível de dopamina — neurotransmissor responsável, dentre outras funções, pela sensação de bem-estar, humor e prazer. Por consequência, quanto maior a liberação de dopamina, mais satisfeitos e felizes no sentimos.

A situação não para por aí: o contentamento costuma se externar, interferindo na forma como conduzimos nossas relações e atitudes. Nos tornamos mais agradáveis, extrovertidos e abertos a novas oportunidades.

A gratidão, portanto, seria a peça fundamental para uma felicidade cíclica. A engrenagem funcionaria, mais ou menos, assim:

  1. Algo de bom nos ocorre.
  2. Percebemos, reconhecemos e ficamos agradecidos pela boa sorte.
  3. O cérebro responde, com a elevação da dopamina.
  4. A sensação de prazer nos inunda. Deixa nosso semblante, nossa vontade e disposição mais vívidos e otimistas.
  5. Quem — ou que — nos encontra com tal ânimo, de certa forma, retribui, alimentando esse saudável estado de espírito.

Parece muito abstrato? Então confira alguns exemplos práticos — bem como modos de desenvolver a gratidão em seu dia a dia — e veja como novos (e simples) hábitos podem, efetivamente, enriquecer sua qualidade de vida pessoal e profissional.

Seja melhor, seja grato!

Para entender porque gratidão é importante e como, de modo objetivo, ela transforma o cotidiano, vamos começar pelo básico: afinal, o que é gratidão?

A melhor maneira de compreender um conceito é aplicá-lo na prática. Portanto, imagine uma situação trivial, como pedir um café.

Numa situação normal, você recebe o que pediu, agradece, paga e pronto. Fim da história. Porém, se ao trazer o café, o atendente for especialmente solícito, entregar o pedido numa louça caprichada e adicionar um pequeno chocolate mentolado, como um agrado, sua experiência será outra.

Você recebeu mais do que imaginava, mais do que, por direito, merecia. Seu agradecimento passa de mera formalidade para um estado impregnado de certo encantamento. O café se torna um marco em seu dia. E você sai do estabelecimento sorrindo.

Ser grato!

Ao seu lado, uma pessoa faz o mesmo pedido e recebe igual atenção. No entanto, como está com pressa, envolvida numa troca de mensagens frenética e com a cabeça longe do presente, nem percebe o que lhe ocorreu.

Ela pode agradecer pelo atendimento. Mas não terá a chance de ser grata pelo que lhe foi proporcionado. Simplesmente, porque não tomou conhecimento daquela pequena dádiva. Sua expressão ao deixar o local? Provavelmente, a mesma com a qual entrou.

Usamos esse exemplo para ilustrar que o sentimento de gratidão não é equivalente ao ato de agradecer — esse, que as convenções e princípios de educação nos estimulam a manifestar. O agradecimento é polido, bem-vindo, gentil. Mas também pode ser bastante “mecânico”.

A gratidão exige mais. Exige percepção acordada, que se surpreende e reconhece que, naquela circunstância, há um valor adicional, algo imprevisto que é motivo de sincero contentamento.

Outros exemplos:

  • Você sofre um acidente e sai ileso. Olha para o cenário catastrófico e percebe que podia ter morrido! Qual sensação lhe ocorre? Sim, a própria…
  • Você executa um trabalho e, em troca, espera sua remuneração. Mas, no dia do pagamento, seu chefe o chama para uma conversa. Você pode até imaginar o pior. Para seu espanto, o que recebe é uma enxurrada de palavras que enaltecem seu desempenho e uma simpática cesta de iguarias. Seu chefe é grato pela sua produtividade. E você, é grato por receber mais do que esperava. Uma questão extra: como fica sua vontade para o trabalho, a partir desse ato? Pense nisso!
  • Você planeja um passeio. Torce para que não chova! Quando o dia chega, lá está ele, em todo seu esplendor: o sol! É sorte, é graça, é causa de gratidão.

A chave é saber ver. Considerar a experiência de vida como uma demonstração de que muitas coisas podem ser diferentes de nossas expectativas.

Quando nos frustramos, ninguém precisa nos ensinar o baixo astral. Ele é automático. E, sabemos, várias pequenas situações cotidianas podem nos encher de frustrações. Pense em todas as razões de suas lamentações e reclamações. Muitas delas, têm origem em miudezas, bobagens, imprevistos praticamente insignificantes.

Agora, experimente exercitar o outro lado. Observe, nessas mesmas ocasiões, quando algo positivo acontece.

Cultive a gratidão, permita-se vivenciar segundos de prazer ao encontrar a vaga perfeita, ao receber a mensagem de um amigo distante, ao cumprir uma meta, ao assistir a um bom filme.

Não é difícil, nem artificial. É hábito.

10 Benefícios científicos da gratidão

Robert Emmons, PhD em Psicologia da Personalidade e autor do livro “Agradeça e seja feliz”, passou décadas estudando os efeitos da gratidão na vida das pessoas.

Em suas conclusões, pontuou vantagens na qualidade de vida daqueles que desenvolveram a gratidão como um hábito. Dentre esses benefícios, destacou:

  1. fortalecimento do sistema imunológico;
  2. redução da depressão e do estresse;
  3. maior entusiasmo, energia, otimismo e felicidade;
  4. superior qualidade de sono;
  5. despertar mais agradável e com maior disposição;
  6. diminuição da pressão arterial;
  7. vida social mais ativa e prazerosa;
  8. menor apego a emoções tóxicas, como rancores, ressentimentos, desilusões, medo e inveja;
  9. menos queixas de dores e mal-estares;
  10. redução significativa nas sensações de isolamento, inadequação e solidão.

Formas de exercitar a gratidão

Você já compreendeu que pessoas gratas são mais felizes, saudáveis, produtivas e resilientes. Afinal, quando encontramos, no dia a dia, estímulos ao prazer e satisfação, nos sentimos mais seguros, bem-resolvidos, recompensados. O hoje sai do “piloto automático” e o amanhã, definitivamente, se sugere como uma possibilidade de superação e descobertas.

Contudo, o caminho para vivenciar a gratidão pode não ser tão instintivo quanto gostaríamos.

A boa notícia é que existe uma tendência denominada “psicologia positiva”, da qual o Dr. Martin Seligman é máximo expoente, que propõe um novo olhar sobre a saúde mental e contempla, dentre outras atitudes, a gratidão.

Antes de passar aos exercícios práticos propostos por essa abordagem, vamos conceituá-la rapidamente.

A psicologia tradicional foca seus estudos e propostas de tratamentos na análise de problemas, transtornos ou distúrbios que, por sua vez, causam prejuízos ao bem-estar, à autoestima, aos relacionamentos, enfim, à saúde mental do indivíduo.

A psicologia positiva propõe uma mudança de paradigma. Ao invés de investigar os males, procura fortalecer e estimular seus “antagonistas”. Ou seja: privilegia as emoções, sentimentos, condutas, ações e pensamentos que sejam sinônimos de felicidade.

Vale destacar que a psicologia positiva não se opõe à tradicional. Ela se desenvolve como um apoio, um complemento, uma ótica colaborativa.

O interessante é que se aplica como uma “filosofia de vida”, destinando-se a qualquer indivíduo que busque maior plenitude e leveza em sua rotina.

Como a psicologia positiva propõe a prática da gratidão?

Vamos explorar duas estratégias, já bastante famosas. A primeira delas é a “Carta de Gratidão”.

Feche os olhos e deixe a mente vagar, buscando lembrar de uma pessoa que foi muito importante em sua vida. Alguém que fez algo significativo, que fez diferença em sua trajetória.

Talvez, várias pessoas lhe ocorram à memória. Ótimo! Sinal de que você é uma pessoa afortunada e que, realmente, tem muito a agradecer.

Mas para que o exercício possa ser realizado, centre sua atenção em uma pessoa especial. Lembre de momentos específicos que fazem dessa pessoa um alguém a quem você gostaria de dizer um “muito obrigado” honesto e profundo.

Agora, pegue papel e caneta. Escreva uma carta, demonstrando sua gratidão em palavras que destaquem o que aquela pessoa lhe ensinou, o que ela representou, o que sua atitude trouxe de bom, como ela transformou a situação que você vivia.

Em resumo: expresse sua gratidão. Enalteça e reconheça aquilo que recebeu. Agradeça pelos detalhes que fizeram a imensa diferença.

Só de pensar nessa carta, você já se sentirá bem, pois ativará sensações positivas. Ao escrever, sua dopamina lhe deixará ainda mais feliz! Mas o ápice será se você puder ler essa carta, pessoalmente, a quem escreveu. Se não for possível, envie pelo correio.

Apenas um aviso: o bem-estar é tão imponente que você ficará viciado na prática!

Agradeça diariamente

A segunda estratégia é chamada de “Diário das três bênçãos”. Consiste em reservar 5 minutos, antes de dormir, para recordar o dia. Em um caderno, anote a data e registre 3 coisas boas que aconteceram no transcorrer das últimas 24 horas. Não procure por coisas grandiosas: pense com simplicidade.

Enquanto busca o que escrever, notará que a visão de seu dia ganhará uma nova conotação. Perceberá que uma breve e desimportante conversa, na verdade, foi um evento gracioso.

Com o hábito, você passará a prestar mais atenção aos momentos. Vivê-los mais intensamente. E entender o poder do agradecimento como agente multiplicador de felicidade.

Frases e provérbios para inspirar seus pensamentos

  • “A gratidão é a memória do coração.” (Antístenes)
  • “Quem acolhe um benefício com gratidão, paga a primeira prestação da sua dívida.” — Sêneca
  • “A gratidão é não apenas a melhor das virtudes, mas a mãe de todas as outras.” — Cícero
  • “Sábio é aquele que não chora pelas coisas que não possui, mas rejubila com as que já tem.” — Epíteto
  • “Não é a felicidade que nos torna gratos, mas a gratidão que nos torna felizes.” — Martin Seligman
  • “Recompensa com uma fonte inesgotável a quem te presenteou com uma gota de chuva.” — Provérbio Chinês
  • Gratidão imediata é a mais lenta de todas.” — Provérbio Grego

Gostou do artigo? Assine nossa newsletter e receba, em sua caixa de email, notificações sobre nossas publicações e promoções!

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade.