10 filmes sobre psicologia que você precisa assistir

10 filmes sobre psicologia que você precisa assistir

  |  Tempo de leitura: 10 minutos

Os filmes sobre psicologia podem ajudar as pessoas a entenderem um pouco mais sobre conflitos psicológicos e transtornos mentais, bem como qual é o papel do psicólogo nessas situações. Embora muitos longas façam retratos exagerados de distúrbios da mente para tornar a história que contam mais interessante, alguns filmes não se distanciam exageradamente da realidade, proporcionando oportunidades para aprender. 

Assistir a filmes é um momento de relaxamento e de diversão tanto individualmente quanto para toda a família. Além disso, certos filmes podem incentivar reflexões a respeito de aspectos de nossas próprias vidas e nos ajudar a perceber que há, de fato, uma solução para os nossos problemas! 

Pensando nisso, separamos sugestões de filmes sobre psicologia para você relaxar no fim de semana e, ainda, aprender uma lição importante sobre saúde mental e a importância da terapia. 

1. O lado bom da vida (2012)

Pat (Bradley Cooper) foi internado em uma instituição psiquiátrica por tentar matar o amante da esposa. Quando liberado, ele volta para a casa dos pais e precisa aprender conviver com a sua vida após o incidente. É aí que conhece Tiffany (Jennifer Lawrence), uma mulher que também é julgada como louca por seu comportamento exuberante. 

À primeira vista, pode ser interpretado como um filme que retrata o relacionamento de duas pessoas “loucas”. Mas, na verdade, a história demonstra que tanto Pat quanto Tiffany possuem traumas, inseguranças e dilemas emocionais que moldam seu comportamento. À medida que o laço entre eles se aprofunda, ambos se ajudam a reencontrar o equilíbrio em suas vidas. 

2. Soul (2020)

Soul é uma das animações mais recentes da Disney, e entre os filmes de psicologia, ele é a escolha perfeita para assistir com as crianças em um fim de semana. A história acompanha a jornada de Joe Gardner, professor de música do ensino médio, para se tornar um músico de jazz. No mesmo dia em que recebe uma oportunidade de ouro para se apresentar ao lodo de uma artista renomada, ele sofre um acidente. 

Assim, a sua alma é transportada para o “Seminário Você”, onde almas se desenvolvem e adquirem paixões (ou propósitos de vida) antes de serem enviadas à Terra. Neste local, Joe é encarregado de ajudar a alma 22 a encontrar a sua paixão enquanto tenta retornar à sua vida na Terra. 

A sinopse pode soar complicada, mas a Disney possui uma habilidade especial de transformar assuntos complexos em simples. Este é um belo filme que destaca a importância do autoconhecimento e de apreciar as pequenas alegrias da vida, mesmo quando você não possui uma paixão ou não sabe qual ela é, como é o caso da personagem da alma 22. 

3. Para sempre Alice (2014)

Para Sempre Alice conta a história tocante de Alice Howland (Julianne Moore), uma renomada professora de linguística que subitamente começa a sofrer de sintomas de Alzheimer. Pouco a pouco, Alice se esquece de certas palavras durante conversas, se perde nas ruas de Nova York e não consegue completar afazeres domésticos por se esquecer deles no meio da execução. 

Aos 50 anos, ela é diagnosticada com Alzheimer, raro para a sua idade. O filme nos faz entender como é estar na pele de uma pessoa com Alzheimer, despertando um olhar empático acerca da doença. Além disso, destaca o papel dos cuidados familiares ao mesmo tempo em que retrata como essa situação difícil afeta toda a família. 

Na vida real, é importante que entes queridos e cuidadores façam terapia para adquirir informação sobre essa condição e compreender o papel do psicólogo no cuidado com a saúde mental dos familiares. 

4. Divertida Mente (2015)

Outra animação da Disney que merece ser apreciada por toda a família é Divertida Mente. Este longa descontraído narra a história de Riley, uma garotinha que se muda de cidade e precisa aprender a conviver com a sua nova realidade. Para crianças, mudanças como essa são complicadas dado que elas precisam se ambientar à um bairro novo e uma escola nova, além de fazer novos amigos.

O diferencial do filme são as emoções de Riley – Alegria, Medo, Raiva, Nojinho e Tristeza – que tentam tornar esse processo menos estressante enquanto trabalham no centro de comando de sua mente. Com elas, aprendemos como nossas emoções afetam o nosso comportamento e descobrimos a importância de sentir cada uma delas, até mesmo as negativas. 

5. O Mínimo Para Viver (2017)

Neste filme, Ellen (Lilly Collins) lida com um dos distúrbios alimentares mais comuns entre jovens ao redor do mundo: a anorexia. Já sem perspectivas de viver sem os sintomas desse transtorno, Ellen passa grande parte dos seus dias em melancolia. Porém, quando conhece o médico William Beckham (Keanu Reeves) e seu método não convencional de ajudar jovens com distúrbios alimentares, Ellen se vê diante de uma nova oportunidade para recuperar a sua felicidade. 

O longa mostra vários tipos de distúrbios alimentares, como bulimia e compulsão alimentar, e como a depressão afeta indivíduos que sofrem dessas condições. Há sempre uma maneira de buscar ajuda e tornar a sua vida mais agradável, mesmo quando tudo parece perdido. Esse é um dos filmes sobre psicologia que deixa claro o papel dos especialistas no cultivo da saúde física e mental. 

6. Cake – Uma Razão Para Viver (2014)

Interpretada por Jennifer Aniston, Claire Simmons é uma mulher depressiva cuja vida se modificou para sempre após um acidente de carro. Ela leva uma vida solitária e amargurada desde então. Sua única companhia é sua empregada Silvana (Adriana Bezerra). 

Um dia, Claire decide buscar um grupo de apoio para pessoas que sofrem com dores crônicas e descobre que um dos membros, Nina (Anna Kendrick) se suicidou. A partir de então, Claire passa a investigar a vida de Nina e desenvolve uma relação com o seu ex-marido e filho. Os detalhes do acidente que viveu são lentamente revelados. Assim como O Lado Bom da Vida, este filme destaca a importância de formar laços de qualidade para cuidar da saúde mental. 

7. Melhor é Impossível (1997)

Neste filme, o Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) é retratado de forma bem-humorada. Melvin Udall (Jack Nicholson) constrói o seu dia a dia com uma rotina inquebrável e uma capacidade única de ser detestável. Udall vai deixando que as compulsões e os padrões repetitivos de comportamento ditem sua vida até que se depara com uma novidade que muda o seu cárter de uma forma positiva. Um dos recursos usados pelo psicólogo para tratar esse transtorno é a Terapia Cognitiva-Comportamental (TCC). 

8. Tão Forte e Tão Perto (2011)

Oskar Schell (Thomas Horn) é um garotinho que precisa aprender a lidar com a morte do pai, Thomas Schell, (Tom Hanks) após o atentado de 11 de setembro. A trama mostra como a perda modificou o comportamento de Oskar, bem como seu relacionamento com a mãe, Linda (Sandra Bullock). Um ano após o incidente, Oskar encontra uma chave misteriosa em um envelope no closet do pai e embarca em uma caça aos tesouros por Nova York, conhecendo várias pessoas pelo caminho. Um filme tocante sobre sentimentos, luto e valorização da vida sob a ótica de uma criança. 

9. As vantagens de ser invisível (2012)

Este é um dos filmes sobre psicologia cujo público-alvo são os adolescentes, mas que também podem ser facilmente assistido por adultos. Baseado em um livro do mesmo nome, o longa narra a história de Charlie (Logan Lerman), um jovem que sofre episódios depressivos desde a infância e recentemente recebeu alta de uma instituição psiquiátrica.  

Ele tem dificuldade para se sentir confortável ao voltar para escola por ser muito introspectivo e, até certo ponto, temer interações sociais. Charlie, então, desenvolve uma amizade com seu professor de inglês, Sr. Anderson (Paul Rudd), que se torna um mentor para ele, bem com dois veteranos, Sam (Emma Watson) e Patrick (Ezra Miller). 

Situado em 1992, o filme retrata como Charlie consegue sair de sua bolha ao formar laços com as pessoas à sua volta, apesar do seu medo de conexões. 

Outro tema do longa, assim como Cake, é a convivência e eventual superação de traumas. Na vida real, a atuação do psicólogo é fundamental para auxiliar pessoas que passaram por eventos traumáticos.  

10. Ela (2014)

O escritor solitário Theodore (Joaquin Phoenix) ganha a vida escrevendo cartas emocionantes para outras pessoas. Após o término de seu relacionamento, ele compra um sistema operacional para seu computador chamado Samantha (Scarlett Johansson). Por conta da ausência de conexões reais e o seu humor depressivo, Theodore se vê apaixonado pela personalidade do sistema operacional. 

Embora seja um filme de 2013, os seus temas são atuais e ainda mais próximos da realidade uma vez que os assistentes digitais, como a Alexa da Amazon, cada vez ganham mais popularidade e a hiperconectividade influencia os relacionamentos interpessoais negativamente. 

Os filmes podem nos ensinar muito, principalmente por sua maneira particular de explicar e expor certos fatores. Se você se identificou com alguma questão acima e sente que isso está impactando sua vida, considere conversar com um psicólogo.

Se você gostou deste artigo, compartilhe-o com amigos cinéfilos para que eles conheçam esses filmes sobre psicologia!

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta