Efeitos do estresse no corpo

O que o estresse causa no corpo?

4.5/5 - (19 votes)

  |  Tempo de leitura: 9 minutos
4.5/5 - (19 votes)

Os efeitos do estresse no corpo são grandes alertas (ou podem até serem convites) para reavaliarmos a forma como estamos vivendo. 

O estresse é uma das grandes mazelas da sociedade atual. Além das relações interpessoais, conhecidas por normalmente já serem desafiadoras, o trabalho, os estímulos constantes da mídia e das redes sociais e o ritmo acelerado da vida são os maiores causadores desse mal. 

Embora nem sempre tenhamos o controle de todos os aspectos que compõem a nossa vida, podemos escolher o que nos tira do sério ou não. Se fizermos a escolha errada, a tendência é ser dominado pelo estresse até este se tornar crônico. O estresse não afeta apenas o emocional, como já se sabe, mas também traz diversos prejuízos para o corpo

Os efeitos do estresse no corpo mais comuns 

Pessoas estressadas costumam a tomar consciência do quanto realmente estão estressadas apenas quando o físico começa a ser afetado. É comum ignorarem os sintomas emocionais por estes serem vistos como fraqueza, desrespeitando as próprias limitações até acabarem no hospital. 

Não é à toa que a Síndrome de Burnout, ou do estresse ocupacional, tem se tornando cada vez mais comum em nossa sociedade. 

Apesar de condições de trabalho desfavoráveis contribuírem para o estresse no meio corporativo, funcionários viciados em trabalho são mais propensos a desenvolverem a síndrome. Ou seja, precisamos estar atentos aos nossos hábitos, pois eles podem ter um grande papel por trás do estresse que sentimos. 

Confira alguns dos efeitos do estresse no corpo abaixo:

  • Enxaqueca;
  • Dor no peito ou taquicardia;
  • Fadiga;
  • Dor no estômago;
  • Náusea;
  • Constipação;
  • Diarreia;
  • Tremores no corpo; 
  • Problemas para dormir;
  • Alergias na pele (vermelhidão);
  • Libido sexual reduzido;
  • Boca seca;
  • Maxilar tensionado.

Em último caso, quando os níveis de estresse no corpo estão extremamente altos, a pressão alta ou baixa pode ocasionar um mal súbito. 

Outra grande preocupação que você deve ter é em relação ao hormônio cortisol, responsável por controlar o estresse. Quando em níveis elevados, afeta o sistema imunológico, baixando a imunidade do corpo. Assim, ficamos mais vulneráveis a doenças e infecções.

Os efeitos do estresse no emocional

Além de afetar a nossa saúde física, todos esses sintomas comprometem também o nosso emocional.

As dores de cabeça consequentemente provocam irritabilidade e ansiedade, pois demoram a passar e surgem em momentos inconvenientes, como durante um dia atarefado no trabalho. 

As dores musculares nos deixam inquietos, à procura de maneiras de aliviar o desconforto, mas, mesmo com alongamos e exercícios leves, não conseguimos encontrar o desejado bem-estar.

A dor no peito assusta, preocupa e afeta a nossa motivação e habilidade de concentração nas tarefas diárias. As dores do estômago, devido a sua frequência, podem causar angústia, tristeza e até depressão porque passamos a evitar diversas situações sociais para fugir do mal-estar. 

Os efeitos do estresse no comportamento 

Os sintomas físicos do estresse também são refletidos em nosso comportamento. As enxaquecas também causam reações exageradas ou anticlimáticas porque não conseguimos processar as situações de forma tranquila. As dores musculares podem levar a acessos de raiva devido ao tamanho desconforto.

Para aliviar as dores do peito, a pessoa estressada pode recorrer ao álcool ou a uma alimentação desregrada. Em outras palavras, desenvolve comportamentos destrutivos. As dores no estômago acabam afetando a disposição para fazer exercícios, o que pode ocasionar o ganho excessivo de peso. 

Os efeitos do estresse no corpo, de modo geral, criam pessoas irrequietas, exaustas, com baixa autoestima e que buscam o isolamento social. Os sintomas físicos afetam o nosso emocional que, consequentemente, afeta o nosso comportamento e modo de agir e interagir com o mundo. 

Em síntese, o corpo e a mente estão ligados. Quando estamos estressados, a nossa saúde em sua totalidade é prejudicada, colaborando para um estilo de vida cansativo e repleto de inconveniências. 

Se você notar que está sem paciência, irritando-se com tudo e todos, e com autoestima baixa, preste atenção em seu corpo. Com uma breve análise dos sintomas, é possível chegar à conclusão de que você está mesmo muito estressado. 

Quais são as consequências do estresse crônico?

Se não devidamente combatido, os efeitos do estresse no corpo podem evoluir para doenças graves, como pressão alta, doenças cardiovasculares e obesidade, e transtornos mentais, como depressão, ansiedade e transtornos alimentares, ao longo dos anos. 

Outras complicações de saúde ocasionadas pelo estresse crônico englobam problemas menstruais, disfunção sexual, queda de cabe-lo, acne, eczema, gastrite, ulcera estomacal, trombose, diabetes, entre muitos outros.

Quanto mais cedo você procurar reduzir o estresse em sua vida, maiores são as suas chances de evitar o comprometimento de sua saúde física e mental. Mas como desestressar em meio aos compromissos e obrigações? Existe mesmo uma cura para o estresse? 

Como manejar o estresse?

Existe, sim, cura e tratamento para o estresse. Para livrar-se completamente dele, é preciso embarcar em uma jornada em direção a uma vida mais saudável tanto física quanto emocionalmente. 

Não ignore o mal-estar recorrente dos elevados níveis de estresse em seu corpo. Assim que tiver percepção que algo está realmente afetando a sua saúde, procure um médico para aliviar os sintomas físicos e um psicólogo para identificar a causa do estresse em sua vida.

Para ajudá-lo a dar os primeiros passos, separamos algumas dicas para aliviar o estresse no seu dia a dia. 

Fuja momentaneamente das pendências diárias

Desenvolva um hobbie ou marque um compromisso prazeroso semanal com amigos e familiares (cinema, café ou jantar, por exemplo). Procure ocupar a mente com coisas prazerosas e que lhe tragam alegria para esquecer-se das obrigações do trabalho, da casa, da família e quaisquer compromissos que você tiver.

Apesar de eu ter utilizado a palavra “fugir”, este momento de descontração não é uma fuja, mas uma necessidade para a saúde de qualquer pessoa. Nos tempos atuais, praticar o autocuidado tornou-se obrigação. Não hesite em desconectar-se das redes sociais e dos e-mails de trabalho para focar em si mesmo. 

Entretanto, dê preferência para atividades que promovam a atividade, seja mental ou física, como ler um livro, encontrar um amigo ou praticar yoga. 

Quando você coloca a sua mente para descansar de frente para a TV ou enquanto passa horas na internet, a longo prazo, os estímulos incessantes desses meios podem acabar contribuindo para o estresse. 

Pratique um esporte ou atividade física

Na Vittude, estamos sempre enfatizando a importância de manter o corpo ativo. Essa repetição não é à toa. Para pessoas estressadas, a atividade física é primordial para controlar os níveis de cortisol, liberando hormônios positivos em seu lugar. Movimentar o corpo ajuda, ainda, o sangue a circular e o coração a ficar forte.  

Escolha um esporte que você tenha interesse ou se matricule em uma academia perto de sua casa e encontre um horário agradável para manter-se na ativa. Se não tiver muito tempo devido à rotina agitada, priorize atividades físicas leves, como caminhada ou alongamento, que podem ser feitas em casa. 

Apenas 20 minutos são necessários para que você possa desfrutar de todos os benefícios dos exercícios físicos

Cuide bem da sua alimentação

Todos sabem da importância de se alimentar bem, mas será que você faz o esforço necessário para ingerir alimentos saudáveis e naturais no dia a dia? Uma alimentação balanceada pode reduzir os sintomas mais básicos do estresse, como dores de cabeça, cansaço e mau humor. 

Alimentos como banana, iogurte natural, folhas verdes, chás calmantes, peixe, cereais e leite, por exemplo, possuem propriedades específicas que ajudam a aliviar o estresse. 

Para evitar desentendimentos, marque uma consulta com um nutricionista para conhecer todos os alimentos que combatem o estresse e montar uma dieta saudável.

Não se preocupe excessivamente

Você deve estar pensando “é fácil falar”. Para evitar preocupações desnecessárias, é preciso fazer um esforço. Ao longo da vida, fomos programados para estar sempre na ativa, pensando no próximo curso para garantir mais uma qualificação, no próximo cargo a ser conquistado dentro da empresa, e nos próximos projetos inovadores. 

Com tudo isso, surge também à ansiedade e a apreensão que, com o passar dos dias, acabam nos deixando estressados. 

Neste contexto, cabe a você designar o grau de importância para os perrengues da sua vida. É neste momento que entra a inteligência emocional, uma virtude a qual deve ser desenvolvida o mais rápido possível. Só você sabe o valor do seu tempo e da sua saúde, portanto, avalie com cuidado com o que vale a pena gastar energia preocupando-se. 

Tem dúvidas de como fazer isso? A terapia pode ajudá-lo a determinar os aspectos de sua vida que merecem a sua atenção redobrada. 

A terapia pode ajudar a reduzir o estresse?

O tratamento do estresse na terapia geralmente foca em dois fatores principais: a identificação dos estressadores e a administração dos mesmos. Durante o acompanhamento terapêutico, você ganha resistência contra os causadores de estresse em sua vida ao aprender maneiras mais saudáveis de lidar com eles. 

Conte com a Vittude para ajudá-lo a livrar-se dos temidos efeitos do estresse no corpo e construir um estilo de vida cheio de serenidade através desse link.

Se você gostou desse artigo, aproveite para seguir a Vittude no Instagram e também assinar nossa newsletter!

Leia também:

10 sinais de que você anda muito estressada

7 dicas práticas para desestressar e viver uma vida mais tranquila

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta